Segunda-feira, 24 de Setembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1005
Menu

JORNAL DE DEBATES > CASO ISABELLA

Megashow da vida, do Fantástico ao ato de fé do padre Marcelo

Por Alberto Dines em 22/04/2008 na edição 482

Três milhões de pessoas compareceram no feriado da segunda-feira (21/4) ao autódromo de Interlagos para celebrar os 10 anos de atuação evangélica do padre Marcelo Rossi.


Entre os presentes à missa-show, devidamente filmada e fotografada, Ana Carolina Oliveira, mãe da menina Isabella Nardoni, assassinada há três semanas, e os 18 amigos do sacerdote-menestrel, todos cantores-campeões de vendas. Inclusive Xuxa & Sacha.


Na noite anterior, no programa Fantástico, os patéticos depoimentos do pai e madrasta, indiciados um dia antes pelas autoridades policiais como autores do assassinato da filha e enteada. Disseram o que queriam dizer. Uma telenovela sem roteiro, rigorosamente encenada pelos advogados de defesa, galvanizou o país. Na segunda-feira, o Jornal Nacional repercutiu.


Cautela seletiva


A espetacularização da dor não é só da mídia. É fenômeno de um mundinho incapaz de suportar tragédias por muito tempo – e, por isso, tão necessitado de alívios imediatos.


A mídia, sobretudo a TV, usa o sofrimento para driblar o sofrimento. Quanto mais instantâneas as catarses, mais intensidade transfere-se para o espetáculo.


A mesma pressa em purgar o padecimento impede que sejam mantidos os ritos da justiça. A sociedade brasileira está tomada pela gana de linchar. Quer sentenças na marra, sumárias.


Antes do indiciamento os dois principais suspeitos já estavam formalmente acusados. Indiciados, já estão automaticamente condenados. Ninguém se dá ao trabalho de acrescentar o usual adjetivo atenuador, ‘suposto’. Este tipo de cautela reserva-se aos grandes patifes e aos estelionatários de alto bordo. Paulo Maluf é um suposto corrupto, pronto, o código de ética está atendido. Criminosos bárbaros não merecem o benefício da dúvida.


Queimar etapas


É verdade que são extremamente frágeis os álibis e as explicações dos acusados. Dificilmente aparecerá um Terceiro Homem ou Terceira Mulher para salvá-los. Não há lugar para uma testemunha-bomba ou homem-chave. Os peritos é que darão a palavra final (se já não a deram).


Mas até o momento em que este texto está sendo redigido (1h de 22/4), Alexandre Nardoni e Ana Carolina Jatobá têm o status jurídico de indiciados. O processo ainda não foi entregue ao Ministério Público, a prisão ainda não foi decretada.


Portanto, não são réus. Não se trata formalidade, mero protocolo. São cláusulas do Estado de Direito. Uma imprensa responsável, que tanto reclama quando suas prerrogativas são ameaçadas, deveria cuidar-se para não cometer abusivos atropelos nos procedimentos.


Assim como a ministra Dilma Rousseff achou legítimo antecipar a campanha eleitoral e classificou como ‘comício’ a cerimônia de lançamento de mais um projeto do PAC, assim também grande parte da mídia resolveu queimar etapas colocando os indiciados no banco dos réus.


A presença da mãe de Isabella no ato de fé do padre Marcelo Rossi, antes mesmo da missa do 30º dia de sua filha, não é fruto da nossa inclinação para a religiosidade. É resultado da nossa vocação para esquecer liturgias.

Todos os comentários

  1. Comentou em 01/06/2010 Leonardo de Miranda Ferreira

    Há uma denúncia muito grave embasada por documentos investigados pelo Ministério Público envolvendo o atual presidente do Vasco da Gama Roberto Dinamite. Na matéria do blog, são expostos documentos e uma rápida entrevista feita por telefone com o presidente do clube. É assustador que nenhuma linha nos jornais foi colocada sobre tais denúncias.
    Veja no site: http://www.midiasemmedia.com.br/paulinho/?p=18173
    É público e notório que a mídia acoberta as falcatruas feitas pela atual diretoria do clube. Para se ter uma idéia, as contas do exercício de 2009 foram rejeitadas pelo Conselho Fiscal. Foram cobradas na ocasião notas fiscais que comprovassem os gastos. Até hoje, nada foi entregue. E nada saiu nos jornais. Estranho que diariamente denúncias do mesmo naipe eram expostas em horário nobre no JN contra o ex-presidente Eurico Miranda. O final disso tudo a gente já sabe: ele foi absolvido de todos os processos e tem ficha limpa ainda hoje. Aliás, essa informação também não foi publicada.

  2. Comentou em 11/10/2008 anderson da cunha carvalho

    venho aqui fazer uma denucia
    sobre o corpo de bombeiros o senhor coronel suarez que explorar os praças da corporaçao
    colocando eles pra fazer dois plantoes de 24 horas
    na mesma semana
    sendo q nossa escala e de 36 horas semanas que na verdade seria
    12 por 60 nao tem bombeiro q nao aguente e por isso q tem muita gente pedindo baixa na corporaçao nao queremos larga nossa farda mais ganhar mal e trabalhar como escravos nao dar fica complicado nos temos familia
    presizamos ter outro emprego pois no bombeiro so nao da

  3. Comentou em 29/04/2008 Marco Antônio Leite

    Caro Luis o que muda súplica religiosa pela menina morta estupidamente por gente que há cercava! O ideal é a sociedade fazer pressão para que os matadores sejam presos e condenados a muitos anos de masmorra, dessas de alto “luxo”, que estão lotadas de pobres, os quais não tiveram exposição na mídia, como também seus pais, muitos não tem ou nem sabe o que é isso, não são advogados e com dinheiro.

  4. Comentou em 29/04/2008 Marco Antônio Leite

    Caro Luis o que muda súplica religiosa pela menina morta estupidamente por gente que há cercava! O ideal é a sociedade fazer pressão para que os matadores sejam presos e condenados a muitos anos de masmorra, dessas de alto “luxo”, que estão lotadas de pobres, os quais não tiveram exposição na mídia, como também seus pais, muitos não tem ou nem sabe o que é isso, não são advogados e com dinheiro.

  5. Comentou em 28/04/2008 Lu L.

    A entrevista do fantástico, foi horrível.Perderam a chance de se calarem.Mas foi um direito de Alexandre(o pai) e Ana Carolina Jatobá ( madrasta )de Isabella.Pena que perderam a chance de mostrarem sua inocência.Quanto à missa do Padre Marcelo,vivemos numa democracia.Ninguém foi obrigado a participar da missa ou assitir pela televisão.Lá estavam presentes quem quis e quem se sentiu bem em comparecer. Cada um ‘na sua’. Assim devemos ser. O válido é que ali com o padre Marcelo, a mãe da menina asssassinada, quis, do seu modo, ficar perto da filha e de Deus.Também espero que a justiça se faça, porque uma menina morreu com violência.Quem sabe, este crime bárbaro, se tornará um símbolo e um marco para lembrarmos de milhares de outras crianças que já passaram e ainda passarão por violência doméstica. A violência contra as crianças precisa acabar e a Justiça tem que ser cada vez mais rigorosa ao julgar seus agressores.Sejam eles quem forem. O Promotor de Justiça do caso Isabella está sendo exemplar. Que Deus o ilumine até o julgamento final.

  6. Comentou em 28/04/2008 Lu L.

    A entrevista do fantástico, foi horrível.Perderam a chance de se calarem.Mas foi um direito de Alexandre(o pai) e Ana Carolina Jatobá ( madrasta )de Isabella.Pena que perderam a chance de mostrarem sua inocência.Quanto à missa do Padre Marcelo,vivemos numa democracia.Ninguém foi obrigado a participar da missa ou assitir pela televisão.Lá estavam presentes quem quis e quem se sentiu bem em comparecer. Cada um ‘na sua’. Assim devemos ser. O válido é que ali com o padre Marcelo, a mãe da menina asssassinada, quis, do seu modo, ficar perto da filha e de Deus.Também espero que a justiça se faça, porque uma menina morreu com violência.Quem sabe, este crime bárbaro, se tornará um símbolo e um marco para lembrarmos de milhares de outras crianças que já passaram e ainda passarão por violência doméstica. A violência contra as crianças precisa acabar e a Justiça tem que ser cada vez mais rigorosa ao julgar seus agressores.Sejam eles quem forem. O Promotor de Justiça do caso Isabella está sendo exemplar. Que Deus o ilumine até o julgamento final.

  7. Comentou em 28/04/2008 Camelia G.C

    A verdade é como cortiça sobre a água. Por mais que se tente afundá-la ela sempre subirá para a superfície. Está claro quem são os únicos suspeitos do assassinato.Temos que parar de imaginar ,de delirar, de nos iludirmos que existiu um terceiro culpado pela morte da isabella. Só quem tem que seguir esse caminho, são os advogados de defesa que estão no seu papel de defenderem os seus clientes,custe o que custar. Só os advogados do Alexandre e da madrasta é que estão isentos para fazerem a defesa que quiserem em nome dos seus dois clientes.Nós, cidadãos brasileiros,pais de família honrados,temos que analisar esse crime com clareza e sem ilusões.Afinal, acreditar na versão do pai e da madrasta, diante do que a perícia toda já desvendou, é como acreditar em Papai-Noel, em Coelhinho da Páscoa, em Cegonha e em Bicho-Papão.Ou então é acreditar em ‘crime perfeito’. A Justiça será feita,com certeza.Sobre a mãe da garotinha Isabella, não vejo nenhum indício que se possa acus-a-la como suspeita do crime. Temos que nos direcionar a prestar atenção ao que está mais do que evidente, que são os dois suspeitos(o pai e a madrasta) que estavam com a Isabella sob seus cuidados. A mãe, na minha opinião,está sendo apenas Lúcida.Ou seja, está sendo cuidadosa,precavida,discreta e muito adulta.Com seu comportamento, ela está demonstrando o certo. Que cabe ao Promotor de Justiça, agir no seu lugar

  8. Comentou em 28/04/2008 nieta lopes

    Por mais que se diga ‘Não julgueis para não seres julgado.’ É difícil através de tantos indícios são não acreditar que Alexandre e Ana Jatobá não estão envolvidos na morta de Isabella. A situação está taõ complicada que o avó e a tia da menina que sempre apareciam na Mídia evitam dar entrevista.Será que eles o estão escondendo alguma coisa? Leva o tempo que levar a verdade sempre aparece!!!!

  9. Comentou em 28/04/2008 Rita Cerva

    Rogério F. Alencar,releia o comentário seguinte:Quanto a mãe de Isabella,Ana Carolina Oliveira,creio que todos nós,a mídia e etc, deveríamos deixá-la em paz.Até certo ponto,sinto pena dela pela pressão que vem sofrendo desde a morte da filha.Se ela chorar,será criticada.Se não chora feito uma louca histérica todos a julgam.Quando falou com a imprensa,foi analisada de todas as maneiras possíveis.Se não fala mais, está sendo chamada de indiferente. Se se tranca em casa, é considerada alienada ao que está acontecendo. Se sai de casa, vai ao cemitério,vai na missa do padre Marcelo e se recomeça a trabalhar é também criticada, analisada e perseguida.Será que ninguém ainda parou para pensar o que esta mãe pode estar passando em segredo,como está sua cabeça?Ela é muito jovem, perdeu a filha de 5 anos num brutal crime,o próprio pai da menina é o suspeito.Pai que,certamente, no passado, ela amou a ponto de terem gerado a Isabella e que, depois a trocou pela Ana Carolina jatobá,hoje a madrasta de Isabella suspeita de também ter matado sua filha.Claro que essa mãe está confusa e sofrendo.A’ficha’ainda nem caiu.Respeitem-a.
    Enfim,espero ter sido clara agora.Quanto à madrasta,no fundo,eu torço para que surja um terceiro suspeito do assassinato de Isabella.Mas,por enquanto,a perícia,a polícia,o MP e as evidências apontam apenas dois suspeitos.Não sou eu quem afirma isso!Entenda-me,ok? PAZ!!

  10. Comentou em 28/04/2008 Rita Cerva

    Rogério F. Alencar,releia o comentário seguinte:Quanto a mãe de Isabella,Ana Carolina Oliveira,creio que todos nós,a mídia e etc, deveríamos deixá-la em paz.Até certo ponto,sinto pena dela pela pressão que vem sofrendo desde a morte da filha.Se ela chorar,será criticada.Se não chora feito uma louca histérica todos a julgam.Quando falou com a imprensa,foi analisada de todas as maneiras possíveis.Se não fala mais, está sendo chamada de indiferente. Se se tranca em casa, é considerada alienada ao que está acontecendo. Se sai de casa, vai ao cemitério,vai na missa do padre Marcelo e se recomeça a trabalhar é também criticada, analisada e perseguida.Será que ninguém ainda parou para pensar o que esta mãe pode estar passando em segredo,como está sua cabeça?Ela é muito jovem, perdeu a filha de 5 anos num brutal crime,o próprio pai da menina é o suspeito.Pai que,certamente, no passado, ela amou a ponto de terem gerado a Isabella e que, depois a trocou pela Ana Carolina jatobá,hoje a madrasta de Isabella suspeita de também ter matado sua filha.Claro que essa mãe está confusa e sofrendo.A’ficha’ainda nem caiu.Respeitem-a.
    Enfim,espero ter sido clara agora.Quanto à madrasta,no fundo,eu torço para que surja um terceiro suspeito do assassinato de Isabella.Mas,por enquanto,a perícia,a polícia,o MP e as evidências apontam apenas dois suspeitos.Não sou eu quem afirma isso!Entenda-me,ok? PAZ!!

  11. Comentou em 27/04/2008 Sérgio Amaral Campos Campos

    De tudo que já foi falado no caso da morte hedionda da menina Isabella. não ficou bem claro para nós que a menina poderia ter sido arremessada do seu próprio quarto , uma vez que a janela não tem tela e seria mais fácil o pai tê-la jogaddo do quarto dela mesma. e depois ele simulou outro quarto para que os peritos fizessem análise somente do quarto, é claro que lá embaixo, no chão ele mudou o corpo dela de lugar , como se ela tivesse caído daquele quarto onde a tela foi cortada. Avô é muito astuto porque se dependesse só do pai de isabella ele já estava preso. isto só não aconteceu porque o pai dele deu uma aula de orientação para o filho e para a nora. Com certeza o ‘avô’ é um monstro´também, ele deve ser investigado também!!

  12. Comentou em 25/04/2008 Rogério Ferraz Alencar

    Acho que o que Rita Cerva diz sobre a mãe de Isabella quem está passando, na verdade, é a madrasta. Não dão qualquer chance de defesa a ela. Exigem dela o que não exigem da mãe de Isabella. Se ela chora, dizem que ela chora pouco ou chora lágrimas de crocodilo. Eu estranho muito a mãe de Isabella. Ela parece ser hoje, no Brasil, a única pessoa indiferente à morte da filha.

  13. Comentou em 25/04/2008 Rita Cerva

    O pai e madrasta já são fortíssimos suspeitos e tudo leva-nos a crer e concluir que foram mesmo eles, os assassinos da Isabella. Mas,a nós cabe apenas aguardar o julgamento e, provada a culpa e responsabilidade de ambos, torceremos sim, para que sejam condenados com justiça e com pena equivalente ao brutal assassinato cometido. Quanto a mãe de Isabella, Ana Carolina Oliveira, creio que todos nós, a mídia e etc, deveríamos deixá-la em paz.Até certo ponto, sinto pena dela pela pressão que vem sofrendo desde a morte da filha.Se ela chora, é criticada. Se não chora feito uma louca histérica todos a julgam.Se fala com a imprensa, é analisada de todas as maneiras possíveis.Se não fala,é chamada de indiferente. Se se tranca em casa, é considerada alienada ao que está acontecendo. Se sai de casa, vai ao cemitério,vai na missa do padre Marcelo e se recomeça a trabalhar é também criticada, analisada e perseguida.Será que ninguém ainda parou para pensar o que esta mãe pode estar passando em segredo,como está sua cabeça?Ela é muito jovem, perdeu a filha de 5 anos num brutal crime,o próprio pai da menina é o suspeito.Pai que,certamente, no passado, ela amou a ponto de terem gerado a Isabella e que, depois a trocou pela Ana Carolina jatobá,hoje a madrasta de Isabella suspeita de também ter matado sua filha.Claro que essa mãe está confusa e sofrendo.A ‘ficha’ ainda nem caiu.Respeitem-a.

  14. Comentou em 24/04/2008 Ronaldo Abreu

    Caro Marco, então nada que o padre faça para você será bom, pois você é contra as religiões. Então, não tem jeito. pelo menos, lá ele não pediu dinheiro, diferente do encontro feito pela Universal no aterro de botafogo/RJ, onde se arrecadou dos fiéis com boleto bancário.

  15. Comentou em 24/04/2008 Marcelo Ramos

    Cara, eu não vi, mas a descrição que a prof. Aida fez de um desses ‘shows’… nossa, já ultrapassou em muito o limite de pessoas normais, virou show de horrores, ‘freak show’. Parece execução pública, como se fazia na Idade Média. E hoje já temos aquelas lutas tipo ‘gaiola da morte’ exibidas em TV a cabo, então, pergunto: o que nos separa da Idade Média, ou da Idade antiga, onde o Coliseu abrigava pessoas babando por sangue e morte? Por favor, não respondam que a tecnologia nos torna melhores.

  16. Comentou em 23/04/2008 Fábio José de Mello

    Padre Marcelo Rossi juntou os ‘cansados’ Hebe, Ivete, Xuxa, Chitãozinho, os tucanos Geraldinho e Serra e o demo Kassab, num ato político que poderia ser classificado como showmício. Indecente. Como castigo dos céus, houver um tremor de terra em Sampa.

  17. Comentou em 23/04/2008 Alberto Sanx

    Não bastasse essa tragédia alguns comentaristas insistem em lembrar de outra tragédia: a política partidária. Que me interessa saber se Dilma fez isso, fez aquilo, o que eu quero saber é quando eles vão começar a fazer alguma pelo país, porque todo dia se repetem outros desastres: a saúde moribunda, a educação analfabeta, a justiça injusta e militantes medíocres e fanáticos.

  18. Comentou em 23/04/2008 Alberto Sanx

    Não bastasse essa tragédia alguns comentaristas insistem em lembrar de outra tragédia: a política partidária. Que me interessa saber se Dilma fez isso, fez aquilo, o que eu quero saber é quando eles vão começar a fazer alguma pelo país, porque todo dia se repetem outros desastres: a saúde moribunda, a educação analfabeta, a justiça injusta e militantes medíocres e fanáticos.

  19. Comentou em 23/04/2008 MARCELA SILVA

    ‘A presença da mãe de Isabella no ato de fé do padre Marcelo Rossi, antes mesmo da missa do 30º dia de sua filha, não é fruto da nossa inclinação para a religiosidade. É resultado da nossa vocação para esquecer liturgias.’

    POR FAVOR VC NÃO TEM NEM NOÇÃO DO QUE FALA E ESCREVE PRESTA ATENÇÃO NÃO TM NEM NEXO ISSO… VAI APRENDER ..ESTUDAR.. DEIXAR DEUS MOLDAR SEU CORAÇÃO PARA NÃO DIZER TANTAS ASNEIRAS

  20. Comentou em 22/04/2008 João bosco

    Não entendí. A terceira pessoa é a Dilma? E o Diogo Mainard não sabia?

  21. Comentou em 22/04/2008 ognei santos vieira vieira

    simplesmente patético.

  22. Comentou em 22/04/2008 Alexandre Carlos Aguiar

    A Justiça existe exatamente para que as decisões emocionais, do povão, do senso comum, não redundem em erros e a sua devida correção não seja tardia. O grande problema é que a Justiça, especialmente no caso dos brasileiros, há muito é inepta e anacrônica. Por isso, o senso comum e a sua expressão, a imprensa, afloram em casos como esse, onde a emoção está falando mais alto. Exacerbou-se a síndrome de C.S.I. americana, de tal sorte que já se decide sobre evidências e provas como peritos gabaritados. Que o casal Nardoni etá caindo de culpado, isso é inegável, mas tivéssemos uma Justiça mais atuante, algumas coisas não precisariam que o cidadão comum desse o veredicto final.

  23. Comentou em 22/04/2008 Christian Silva

    Ok, você escreve isso na comodidade da sua nenhuma relação direta com o caso. O que a opinião pública prega tem a ver com a incorporação da situação alheia, ou seja, e se fosse com você? Apesar de não ser essa a reação da mãe da menina, é certamente a da sociedade, que quer o culpado na cadeia (e, sejamos sinceros, nada leva a crer que não sejam os ‘indiciados’). Com o povo não há instâncias jurídicas que determinem comportamento ‘a’ ou ‘b’, ainda mais nesse caso, onde pouco se pode dizer a favor dos ‘culpados’.

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem