Terça-feira, 17 de Julho de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº995
Menu

ENTRE ASPAS > TERÇA-FEIRA, 8/7

Microsoft insiste na compra do Yahoo!

Por Leticia Nunes (seleção de textos) em 08/07/2008 na edição 493

Leia abaixo a seleção de terça-feira para a seção Entre Aspas.


************


O Estado de S. Paulo


Terça-feira, 8 de julho de 2008


 


INTERNET
O Estado de S. Paulo


Microsoft quer reabrir negociações com o Yahoo


‘A Microsoft assegurou ontem que estaria disposta a reabrir as negociações para a compra total ou parcial do Yahoo no caso da eleição de um novo conselho de administração do portal. A Microsoft confirmou, por meio de um comunicado, que manteve nas últimas semanas conversas com o bilionário americano Carl Icahn, acionista do Yahoo, sobre um possível acordo com o portal.


Ontem, Icahn publicou uma carta aberta aos acionistas da empresa em que relata as conversas com a Microsoft. Segundo ele, a gigante do software está interessada em um acordo mais amplo com o Yahoo. O investidor afirmou também que o Yahoo está perdendo participação no mercado de busca online. ‘Nossa empresa está se movendo em direção a um precipício’, disse.


Apesar de observar que não há garantia de um futuro acordo, ele afirmou que um novo conselho retomaria imediatamente as negociações com a Microsoft. Por isso, desafiou o atual conselho de administração ao apresentar uma lista alternativa de candidatos para tomar o controle do conselho. A assembléia geral de acionistas do Yahoo deve escolher os novos membros do conselho de administração em agosto.


Entre os conselheiros que concorrem à reeleição estão o fundador do Yahoo, Jerry Jang, e o atual presidente do conselho, Roy Bostock, que deverão defender perante os acionistas sua decisão de rejeitar a oferta multimilionária de compra feita pela Microsoft.


A empresa fundada por Bill Gates confirmou que ‘imediatamente’ depois que ocorrer a assembléia de acionistas, ‘estaria interessada em discutir com o novo conselho de administração uma negociação com o Yahoo, seja para a compra do site de buscas com garantias financeiras amplas ou para a do conjunto da companhia’.


ABERTURA


Ontem, o conselho de administração do Yahoo afirmou que continua aberto para retomar as conversas sobre sua venda para a Microsoft . ‘Se a Microsoft e o Sr. (Steve) Ballmer (presidente da Microsoft) realmente desejam comprar o Yahoo, nós os convidamos novamente para fazer uma proposta imediatamente’, afirmou o Yahoo, em comunicado.


Segundo o Yahoo, porém, Ballmer já disse que sua empresa não estava mais interessada em comprar a gigante da internet a qualquer preço, mesmo depois de executivos do Yahoo terem se aproximado dele para discutir a transação.


Na avaliação do portal, Ballmer e Icahn juntaram forças para coagir o Yahoo a vender sua unidade de buscas na internet para a Microsoft num preço a ser determinado pelos diretores de Icahn, e que a administração da Microsoft não está seguindo os melhores interesses de seus acionistas. ‘Se o Sr. Icahn possui um verdadeiro plano para o Yahoo, além de esperar que a Microsoft feche um acordo do qual repetidamente fugiu, estaremos interessados em ouvi-lo’, disse o Yahoo.


A Microsoft afirmou que, como já havia dito em 12 de junho, sua proposta para comprar os negócios de busca e fazer uma parceria com o Yahoo geraria mais valor para os acionistas da companhia de internet e para o mercado como um todo.


Mas a empresa afirmou também que vai ficar de fora da batalha por procuração lançada por Icahn. ‘Nós respeitamos o direito dos acionistas do Yahoo de determinar o destino de sua empresa, e nós não pretendemos participar dos comentários atuais sobre essas questões antes da reunião de acionistas do Yahoo.’’


 


 


CAMPANHA
Ricardo Brandt


Kassab deve ficar com dobro do tempo de Alckmin na TV


‘O prefeito Gilberto Kassab (DEM) será o candidato com maior tempo de televisão na disputa pela Prefeitura de São Paulo. Seu espaço reservado no horário eleitoral gratuito será o dobro do obtido pelo seu rival direto, o candidato do PSDB, Geraldo Alckmin.


Por conta das coligações obtidas, o prefeito terá aproximadamente 8 minutos e 30 segundos por programa de TV, contra 4 minutos e 18 segundos do tucano. O cálculo foi feito pelo Estado após a confirmação oficial, ontem, das candidaturas. Ao todo, 11 nomes foram registrados. O tempo oficial ainda será divulgado pela Justiça Eleitoral.


A candidata do PT, a ex-prefeita Marta Suplicy, é a segunda candidata com maior tempo em TV. Serão 6 minutos e 40 segundos, aproximadamente, por programa. Pela regra, serão dois programas por dia de 30 minutos cada. As propagandas de candidatos a prefeito vão ao ar dia sim dia não, alternando com as propagandas dos candidatos a vereador.


A vantagem do prefeito em relação aos adversários está diretamente relacionada à coligação com o PMDB. Como o cálculo do espaço no horário gratuito está vinculado ao tamanho das bancadas na Câmara dos Deputados, o acordo entre as legendas foi estratégico.


O DEM espera usar o tempo obtido no horário gratuito para reverter a desvantagem de Kassab em relação a Marta e Alckmin. Enquanto seus adversários já passam a casa dos 30% nas pesquisas, ele apresenta 13% das intenções de voto até agora.


Os candidatos Paulo Maluf (PP), Sônia Francine (PPS) e Ivan Valente (PSOL) terão entre 1 minuto e 30 segundos e 2 minutos e 30 segundos, cada.


NANICOS


O tempo restante será dividido entre cinco nanicos. Três deles terão direito a apenas 54 segundos, pois seus partidos não tiveram representantes eleitos para a Câmara em 2006, ficando excluídos do cálculo: Edmilson Costa (PCB), Levy Fidélix (PRTB) e Anaí Caproni (PCO).’


 


 


GUERRILHEIRO
O Estado de S. Paulo


La Paz divulga diários e fotografias de ‘Che’


‘Autoridades bolivianas divulgaram ontem arquivos do guerrilheiro argentino Ernesto Che Guevara que estiveram guardados por décadas nos cofres do Banco Central do país. O conjunto inclui dois diários, fotografias e jornais revolucionários escritos pelo guerrilheiro nos anos 60, quando ele tentou levar a revolução para a Bolívia. Alguns trechos dos cadernos de Che já haviam sido divulgados e inspiraram o filme Diários de Motocicleta, de 2004.’


 


 


TELECOMUNICAÇÕES
Gerusa Marques


Indicada do PMDB deve ir para conselho da Anatel


‘Depois de oito meses de vacância, o governo indicou ontem a assessora especial da presidência do Senado, Emília Ribeiro, para um mandato de cinco anos no Conselho Diretor da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Para assumir o cargo, ela depende da aprovação do Senado. A sabatina na Comissão de Infra-Estrutura deve ocorrer na semana que vem, na tentativa de aprovar o nome de Emília antes do recesso, que começa no dia 17.


O quinto conselheiro da Anatel terá papel fundamental no segundo turno de votação da proposta de reformulação do Plano Geral de Outorgas (PGO), que permitirá a conclusão da compra da Brasil Telecom pela Oi. Se Emília for aprovada, o conselho diretor estará completo com seus cinco membros, evitando divisões, como ocorreu no primeiro turno de votação do PGO.


Emília Ribeiro, que tem o apoio do senador José Sarney (PMDB-AP), entra na cota do PMDB na Anatel, que saiu vencedor em uma disputa político-partidária travada pelo cargo. Disputavam a vaga o professor da Unicamp Márcio Wohlers, apoiado pelo presidente do BNDES, Luciano Coutinho, e o superintendente de Serviços Privados da Anatel, Jarbas Valente, com apoio do presidente da agência, Ronaldo Sardenberg.


Embora seja considerada uma profissional articulada, Emília tem pouca experiência no setor de telecomunicações, adquirida com sua participação no conselho consultivo da agência, nos últimos dois anos.


CORREÇÃO


Diferentemente do que foi publicado na página B11 do Caderno de Economia de ontem, Peter Miller é brasileiro nato.’


 


 


APAGÃO
Marili Ribeiro e Michelly Teixeira


Falta de plano B pode custar clientes


‘A idéia de fragilidade pode colar à Telefônica e vir a prejudicá-la, com perda de clientes. A demora em corrigir uma pane, que, por 36 horas, deixou inúmeros serviços públicos e consumidores privados sem serviço de acesso rápido à internet em São Paulo, na semana passada, promoveu uma onda de espanto pela ausência, por parte da empresa, de um ‘plano B’ em situação emergência.


‘Quando um elevador quebra, o outro supre as carências’, compara Paulo Sales, sócio da empresa de consultoria de imagem SPGA. ‘Nesses casos, o usuário do serviço quer respostas rápidas. A demora na resposta afeta a imagem de eficiência da empresa.’


A exposição na mídia do presidente do Grupo Telefônica, Antonio Carlos Valente, embora seja a regra número um nos manuais de boa conduta, não aliviou a situação, na opinião de executivos da área presentes à audiência pública da agência reguladora Anatel, que ocorreu ontem na sede da Fiesp.


O assunto dominou as rodinhas e até sobrou críticas para a escolha do ator Paulo Goulart como o mensageiro das desculpas da companhia, em comercial da DM9DDB. O papel dele na última novela – a de um professor sem muito caráter em Duas Caras -, ainda está fresco na cabeça das pessoas.


Consultado sobre os possíveis estragos à imagem da empresa, o presidente da Telefônica disse que a companhia procurou atuar com total transparência, ética e honestidade. ‘Estamos tentando equacionar transtornos’, acentuou Valente.


O maior, na opinião de Sales, seria a ausência de cálculos de risco. ‘O sistema pode falhar’, pondera. ‘E, ao que tudo indica, não havia opção programada para atender o consumidor.’


Segundo o diretor da Telefônica para o segmento empresas, Vladimir Barbieri, eventos como a pane causam ‘discussões alternativas’ no que diz respeito à segurança das informações. Especialistas em tecnologia da informação avaliam que planos de contingência e gestão de riscos devem estar no centro da pauta das empresas.’


 


 


TELEVISÃO
Cristina Padiglione


Meu nome é Johnny


‘Um cãozinho escalado para atuar em Revelação, novela que Iris Abravanel escreve para o SBT, foi batizado pela autora como Guti. Isso era no papel. Na hora de gravar, o bichinho não se permitiu atender por outro nome que não fosse o da sua vida real: Johnny.


Vencidas as esperanças de que o cachorro reagisse aos chamados ‘Guti, vem, Guti’, Iris telefonou para a amiga Cláudia Saad e explicou o caso à mulher de Johnny Saad. Da primeira-dama da Bandeirantes a primeira-dama do SBT ouviu que não havia problema algum e que o seu Johnny não se sentiria de modo algum ofendido por isso.


O SBT confirma apenas que o cão deveria se chamar Guti, mas não aceitou ser chamado como tal, mantendo-se daí o Johnny original.


Embora o SBT já tenha colocado no ar algumas chamadas – com Iris de costas para a câmera e de frente para a tela de um computador – a emissora ainda não tem previsão de estréia. A história já tem 60 capítulos escritos e 15 editados.


Enquanto isso, a reprise de Pantanal bate nos 13 pontos e provoca fila de anunciantes, mas o SBT ainda aposta em mais ibope para abrir intervalos no horário.’


 


 


************


Folha de S. Paulo


Terça-feira, 8 de julho de 2008


 


PUBLICIDADE
Folha de S. Paulo


Tutela excessiva


‘RESTRIÇÕES legais ao uso e à publicidade de substâncias nocivas à saúde e causadoras de dependência, como álcool e tabaco, fazem sentido. Além de onerar serviços públicos com despesas de tratamento, causam danos diretos a terceiros, como fumantes secundários ou vítimas de acidentes de trânsito.


Já os alimentos com excesso de gordura, sal ou açúcar fazem mal só à saúde do consumidor individual. Não cabe, portanto, traçar uma analogia completa com bebidas alcóolicas e fumo quando se discutem restrições a eles, como faz agora a Agência Nacional de Vigilância Sanitária.


A Anvisa apresentará em breve a consolidação de 676 propostas recebidas em consulta pública sobre o tema. Trata-se de excelente oportunidade para debater e desbastar certas sugestões de regulação exagerada que a iniciativa propiciou. Entre elas, a proibição de propaganda na TV e no rádio, entre 6h e 21h, de guloseimas contendo teores de gordura, sal e açúcar que ultrapassem valores preconizados pela Organização Mundial da Saúde.


Tal tutela invade a seara da liberdade do indivíduo. Não cabe ao Estado impedir que todas as pessoas, sem exceção, sejam expostas a tais conteúdos, como se o público fosse incapaz.


No máximo podem-se cogitar algumas restrições às peças publicitárias veiculadas em associação direta com programas infantis. Mesmo aí, exige-se cautela para não pretender substituir o discernimento dos pais e, por que não, das próprias crianças.


Também parece aceitável que embalagens e anúncios dos alimentos inequivocamente perniciosos sejam acompanhados de alertas sobre efeitos nocivos à saúde. A iniciativa da Anvisa contém provisões para fornecimento de informação simples e cientificamente embasada. É o melhor modo de engajar cidadãos, sem paternalismo, na prevenção da obesidade e de seus males, como doenças cardiovasculares, hipertensão e diabetes.


Por fim, não é papel da Anvisa legislar sobre a liberdade dos cidadãos, prerrogativa do Congresso. Está parado na Câmara um projeto de lei (nº 1.637) que trata do mesmo tema. Esta é a hora de retomar sua tramitação.’


 


 


TODA MÍDIA
Nelson de Sá


Entre um vilão e outro


‘Na manchete da Agência Brasil, desde o G8 no Japão, ‘Biocombustível é vilão na crise de alimentos, dizem ONU e Banco Mundial’. Segundo a agência estatal, ‘apesar dos esforços do governo brasileiro’, o etanol segue na lista dos culpados. ‘No entanto’, Robert Zoellick, do Bird, ‘fez questão de diferenciar o biocombustível de cana do que é feito de cereais’.


Na mesma direção, ontem no site do ‘New York Times’, parlamentares europeus já propõem ‘reconsiderar objetivos’ e reduzir a meta de 10% de etanol na gasolina até 2020. E o site Huffington Post já pergunta: ‘É o fim da linha para os biocombustíveis?’


Destaca a Reuters, porém, que a possibilidade de ‘Petróleo a US$ 200 lança sombra sobre o G8’.


EMERGENTES, NÃO


Na Folha Online, ‘EUA recusam emergentes no G8’. Para o porta-voz de George W. Bush, ‘neste momento’, não. Argumenta o primeiro-ministro italiano que hoje eles podem ‘falar de modo franco’. Coluna no ‘Guardian’, ligado ao primeiro-ministro britânico, concorda.


NO PALCO DO MUNDO


Já o ‘Des Moines Register’, de Iowa, Estado-símbolo da agricultura nos EUA, deu a longa reportagem ‘Brasil rico em recursos toma seu lugar no palco do mundo’. O enviado a Recife relata como o ‘boom’ está por todo lado, mas persistem ‘os sinais de pobreza’, nas favelas etc.


‘OURO’


De todo lado, os olhos se voltam aos novos campos.


O ‘China Daily’, diário estatal de língua inglesa, trouxe ontem a longa reportagem ‘Alto preço do petróleo leva a ‘corrida do ouro’ em áreas antes ignoradas’. Foi assim no Cazaquistão e é assim, neste momento, no Brasil.


Na Argentina, ontem também, o ‘Clarín’ deu o longo relato ‘Brasil petroleiro: ouro negro para as favelas’. ‘Subimos a favela do Vidigal’, anunciou o correspondente no Rio, ‘para saber o pensam ali’. Se a anunciada riqueza com o petróleo ‘vai chegar até os mais pobres’.


EM SILÊNCIO


No alto da capa, mais reprodução por Yahoo News e vários jornais, mais eco por agências, blogs e outros, o ‘NYT’ proclamou ontem que, ‘Silenciosamente, Brasil ofusca aliado’. Que Lula ofusca Hugo Chávez, da Venezuela


ANO ELEITORAL


Foi manchete ao longo do dia no Drudge Report, com Reuters, e no site do ‘Washington Post’, ambos próximos dos republicanos: o primeiro-ministro iraquiano ‘sugeriu pela primeira vez’ prazos para a retirada das tropas americanas. É ‘um passo ao qual o governo Bush sempre se opôs’, diz o ‘WP’.


Mas que foi recebido com desconfiança por sites considerados próximos dos democratas, como o Huffington Post, e até pelo ‘NYT’.


DO ‘WSJ’ AO ‘WP’


O ex-editor do ‘Wall Street Journal’, que deixou o jornal depois da compra por Rupert Murdoch, foi confirmado como o novo editor do ‘WP’. Marcus W. Brauchli, na notícia dada antes pelo ‘NYT’, deve comandar a união das redações de imprensa e web.


Na descrição do ‘WSJ’, ele assume ‘um dos poucos sobreviventes entre os jornais locais com ambição nacional e internacional’. Em versão posterior do texto, o ‘WSJ’ atenuou suas restrições.


NO RIO


Cada vez mais focados na cidade do Rio, ‘Jornal Nacional’ e ‘Jornal da Record’ abriram ontem com o desabafo, longamente explorado por ambos, do pai taxista de João Roberto, o menino baleado pela polícia


OBAMA E AMIGOS


Chris Hughes, criador do Facebook, que passou o MySpace e, no Brasil, ameaça o Orkut, trocou sua criação por Barack Obama. Diz o ‘NYT’ que a campanha em si já concentra, na mídia social, a ‘revolução’’


 


 


TELEVISÃO
Daniel Castro


Novelista manda ator calar a boca e revolta a Globo


‘Uma crônica do autor Manoel Carlos, publicada na ‘Veja Rio’ da semana passada, revoltou atores da Globo.


No texto, ‘De Astros e Estrelas’, Maneco, como é chamado, reclamava das ‘bobagens escritas e ditas por nossos atores e atrizes’. ‘São declarações pífias, equivocadas, algumas pretensamente inteligentes, mas burras em seus propósitos. Sinto uma certa vergonha, não por me achar melhor ou mais inteligente do que eles, mas por lamentar que não fiquem calados quando não têm nada a dizer’, escreveu o autor de ‘Páginas da Vida’. Após reproduzir frases de astros como Marlon Brando e Charles Chaplin, Maneco sugeriu um programa de inverno aos atores: ‘Aproveitem o inverno, enfiem-se na cama com um bom livro e… aprendam a pensar e a dizer alguma coisa além daquilo que decoram como personagens de ficção’.


No ar em ‘Ciranda de Pedra’, Caio Blat liderou uma ‘reação’ contra Manoel Carlos. Nesta semana, a revista publicou uma carta de Blat e outra que ele escreveu em nome do elenco de ‘Ciranda’ _o que gerou insatisfações, porque nem todo o elenco concordou com ela.


Blat escreveu que se sentiu ofendido e classificou a crônica de grosseira. ‘Em seu desprezo generalizado pelos atores, ele [Manoel Carlos] esquece que suas histórias jamais teriam repercussão alguma sem o brilho de centenas de intérpretes que deram vida a seus personagens’, disse Blat, que nunca fez novela de Manoel Carlos. ‘O cronista [Manoel Carlos], sim, perdeu bela oportunidade de ficar calado’, finalizou o ator.


A carta assinada pelo ‘elenco’ de ‘Ciranda’ acusa Manoel Carlos de generalizar e censurar a classe. Na ‘Veja Rio’, a atriz Lília Cabral saiu em defesa do autor: ‘[A crônica] É um guia do bom comportamento para todo ator e toda atriz’.


À Folha Manoel Carlos lamentou ter generalizado. ‘Sentiram-se magoados com uma coisa que não era para atingir ninguém. Generalizei, está certo, poderia ter acrescentado ‘uma boa parte dos atores e atrizes’ ou então ‘a maioria deles’ etc. Mas não pensei que fosse ofender quem não se julgasse incluído nessa massa imensa de faladores de bobagens. Me enganei’, disse.


MAU COMEÇO


O seriado ‘Guerra e Paz’ estreou na última sexta na Globo marcando apenas 17 pontos no Ibope da Grande São Paulo. Ruim, porém um pouco melhor do que seu antecessor no horário, ‘Dicas de um Sedutor’.


XU DÁ MAIS


Não foi um bom negócio para a Globo, no Ibope, trocar temporariamente o programa de Xuxa por Stock Car. No último sábado, a competição deu seis pontos. Perdeu para a Record. Xuxa marcava nove e era líder.


PRÉ-PAGO


A Sky lançou ontem no Estado de São Paulo um serviço de TV pré-paga. Nele, o assinante paga R$ 299 pelos equipamentos e compra créditos de sete, 15 ou 30 dias de acesso ao serviço. Os créditos são gastos imediatamente após a compra, com ou sem TV ligada.’


 


 


Bruna Bittencourt


Futura traz série completa sobre d. João


‘Em meio à comemoração dos 200 anos da chegada da família real portuguesa ao Brasil e de todo o revisionismo que ela incita, a historiadora Lilia Schwarcz e o ilustrador Spacca propuseram contar o período pela linguagem dos quadrinhos em ‘D. João Carioca – A Corte Portuguesa no Brasil (1808-21)’ (Companhia das Letras).


Baseado no livro, o canal Futura exibe desde março ‘Dom João no Brasil’. Na série de 12 programetes, os desenhos originais ganharam vida com movimento de câmera, recursos de videografismo, trilha sonora e dublagem -que inclui o sotaque lusitano.


E, se não chegam a ser um desenho animado em seu formato mais tradicional, os programetes fazem uma boa transposição do livro para a TV. Hoje, o Futura reúne todos os episódios em um único programa, que traz ainda um making of sobre o processo de animação das ilustrações do livro.


Permeado por humor, ‘Dom João no Brasil’ começa ainda em Portugal, com a notícia de que Napoleão dará um mês aos portugueses para que fechem seus portos aos ingleses, levando dom João a cogitar a mudança da corte ao Brasil.


O programa segue narrando os principais fatos dos 13 anos em que dom João esteve bem à vontade em terras brasileiras.


DOM JOÃO NO BRASIL


Quando: às 19h30


Onde: no Canal Futura; classificação livre’


 


 


INTERNET
Marco Aurélio Canônico


Mapa do tesouro


‘Ler um mapa nem sempre é fácil, mas a internet vem tornando a tarefa mais simples, mais divertida e, acima de tudo, mais completa.


É o fenômeno dos ‘mash-ups’ -mistura de dados de sites e de aplicativos para criar um híbrido-, que chegou com força aos mapas on-line, permitindo criar, sem muita complicação, atlas personalizados.


Por exemplo, um fã do Nirvana pega vídeos de shows no YouTube e os joga sobre o mapa-múndi do Google, criando um grande roteiro por onde a banda passou em sua carreira e permitindo ver trechos de apresentações nas mais variadas datas e cidades.


‘O bom dessa tecnologia é que você não precisa ser um programador especializado para criar seus próprios aplicativos’, disse à Folha Hank Liu, o criador do site A World of Nirvana.


‘Eu criei o site apenas por diversão, como um tributo a Kurt Cobain. Mas, quando ele entrou no ar, comecei a receber muitas visitas e elogios tanto de fãs do Nirvana quanto de entusiastas da web 2.0.’


Em termos culturais, a ferramenta serve tanto para fãs -vide o caso do Nirvana ou o Geography of Seinfeld, que destaca os locais marcantes da série de TV – quanto para artistas que querem divulgar suas obras.


É o caso da dupla Catarse Crew, que juntou fotos (vindas do Flickr.com) de seus grafites e instalações com o Google Maps para criar um roteiro de ‘street art’ em São Paulo.


‘Misturar coisas é tão velho quanto o pão. Sempre dá certo’, diz o artista plástico Tony de Marco, o Pixotosco, metade do Catarse Crew (a outra parte é formada por Tom-B, o criador do mapa, em 2007).


Loira do banheiro


Estudantes também têm utilizado as ferramentas on-line para experimentar, como é o caso de José Carlos Silvestre, mestrando em Tecnologias da Inteligência na PUC-SP e criador do ‘mash-up’ ‘Where in the World Is Loira do Banheiro?’ (bogotissimo.com/mapas/loira.php), que coleta histórias (e locais) de aparições fantasmagóricas. ‘Queria ver ser era possível usar esta ferramenta de formas criativas, e não só documental. Por isso começar com um mapa de lugares mal-assombrados’, disse Silvestre. As possibilidades de ‘mash-ups’ de mapas são infinitas -é possível acompanhar as mensagens de usuários do Twitter no mundo todo (twittervision.com), dar uma olhada no telejornalismo on-line (5tvs.com/internet-tv-maps/news) e até ver os nomes de bebês mais populares em diversos países (www.babynamemap.com).’


 


 


Folha de S. Paulo


Microsoft diz ainda ter interesse no Yahoo!


‘A Microsoft afirmou que ainda está interessada em negociar a aquisição do Yahoo! desde que os acionistas da rival substituam os membros do conselho. Em carta, a Microsoft disse que estaria interessada em comprar toda a empresa ou apenas o mecanismo de busca. O Yahoo! afirmou que está pronto para negociar e criticou a concorrente por deixar a negociação anteriormente.’


 


 


 


************

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem