Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

JORNAL DE DEBATES > FOGO SOBRE GAZA

O genocídio não é televisionado

Por Paulo Bento Bandarra em 13/01/2009 na edição 520

Impressiona a reação internacional motivado pela mídia da ação israelense em Gaza. De repente, existe um levante contra o Estado de Israel que faz uma incursão militar fora das suas fronteiras em defesa do seu território e de seus cidadãos. Poderia ser uma reação comovedora e humanista que mostrasse uma nova atitude da nossa espécie. A solidariedade humana com pessoas atingidas pela violência e pelo terrorismo de Estado por pessoas inocentes e pacíficas. Poderia, mas não é. É uma manobra fácil de verificar quando assistimos à completa falta de manifestações pela Somália, pelas ações criminosas realizado pelas Farc há 40 anos, o silêncio sobre Darfur, vítimas dos muçulmanos, a guerra civil do Congo por décadas, em que as vítimas são aos milhares e que sonhariam com uma situação de vida como a existente na faixa.

A falta de reação da imprensa e dos manifestantes, professor titular de sociologia contra o ditador cubano no Brasil onde os presidentes de esquerda debocharam dos presos políticos de Cuba. O humanismo nem sempre é preocupação, basta não haver imprensa. Como sempre, alguns são mais iguais do que os outros, como denunciou há muito tempo George Orwell.

Esta que é a vantagem de não permitir a existência da mesma. Não divulgado, não é conhecido, não existe. Quantos morreram e morrem em Cuba, na ex-URSS, na Chechênia, na China comunista, na Coréia do Norte? Ninguém sabe e nem se preocupa com isto. Passa a valer a versão dos facínoras que divulgam dados falsos de êxitos em saúde e educação sem contraditório, sem a imprensa livre que não se dobre à necessidade dos regimes totalitários socialistas de criar uma realidade falsa para o público externo, e principalmente para o interno, escravizado em seus direitos básicos por uma elite partidária iluminada que impõe ao povo o que desejar, pensar, aceitar.

Ajuda humanitária

Uma recriação de estados aristocráticos primitivos que uma elite nobre, agora chamado de partido, aqueles agraciados pela confiança dos reis, passam a exercer o poder totalitário sobre a população escravizada, tornada servil em nome dos interesses de estado. Do socialismo nacionalista ou internacionalista. Nestes regimes não existe a divulgação dos abusos, da pergunta inconveniente, da contradição de dados oficiais, visitas a prisões, o acesso de organismos de direitos humanos, advogados de defesa com garantias constitucionais. Os três poderes estão na única mão. Tudo que um governante fascista adora.

Assim, as mortes que ocorrem pelas ações provocadas pelo Hamas, amplamente respaldado em suas ações pelos cidadãos de Gaza, chama a atenção pelo silêncio dos mesmos manifestantes nas atuais situações ignoradas por eles mesmos de milhares de vítimas em vários locais do mundo. Vítimas estas que não enviam homens bombas, não lançam foguetes nas residências civis ou militares dos vizinhos, que juram por Alá a morte dos vizinhos. Mas que mesmo assim, nem o professor Gilson Caroni Filho, no OI, ache que a causa seja nossa, seja humanitária, seja de lutar por elas. Apenas comemorar que os EUA saíram da Somália, vítimas de tribos muçulmanas, para levar a mesma ajuda humanitária que gritam para Gaza.

******

Médico, Porto Alegre, RS

Todos os comentários

  1. Comentou em 20/01/2009 Paulo Bandarra

    Pelo menos, Rogério Ferraz Alencar, você deveria saber um pouco da história para discordar. Você colocou o link de um texto como ‘verdade’ e nem mesmo sabe do que o autor trata. Apenas tem fé porque é contra Israel.

  2. Comentou em 19/01/2009 CELIO LEVYMAN

    Preferi nao me manifestar sobre o atual conflito.Mas artigos do Bandarra sempre acendem paixoes,e dessa vez ele esta correto.O estado ‘genocida’ israelnse e uma ficcao:pais criado apos a Segunda Guerra,houve quem julgasse que apenas com uma patria propria os judeus viveriam em seguranca.Curiosamente,a maioria dos judeus ficou em seus paises.O chamado nacionalismo judaico,sem patria,e contestado por intelectuais de escol.O proprio sionismo nada mais e do que a volta dos judeus ao Oriente Medio,e nada tem a ver com racismo ou interpretacoes ignorantes desse tipo.Eu mesmo sou judeu,identificado mais com o povo que com a religiao,nao me sinto na obrigacao de automaticamente aprovar tudo que Israel faz,embora tenha o direito de emigrar para la quando quiser,sem burocracia.Alem do petroleo,ha a importante questao de que Israel e efetivamente uma democracia parlamentarista,a moda europeia,com indices de desenvolvimento comparaveis a Europa Ocidental:interessa a ditadores civis,militares ou monarcas a presenca de um pais assim como exemplo por la ?Leiam a Historia:nao e a toa que o Exercito israelense se denomina Forcas de Defesa de Israel-e os sempre ‘vitimas’hebreus construiram um exercito poderoso.Tem outro jeito ?A civilizacao arabe se fez sentir e fez bem na Peninsula Iberica,por exemplo-mas os radicais de agora,de ambos os lados,querem suas jihads.E paz e o que todos precisam.

  3. Comentou em 17/01/2009 Paulo Bandarra

    Israel fará cessar fogo unilateral visto o Hamas se negar a fazer. Nada de novo entre os palestinos.

  4. Comentou em 16/01/2009 Paulo Bandarra

    Caro Rogério Ferraz Alencar, você é um homem de fé. Discute e mostra texto de Normam Filkenstein mas nem mesmo conhece a história do texto que você achou “esclarecedor”! Nunca leu nada dele mas acredita. Sabe o certo sem sabe a Bíblia ou a história. Caro Alexandre Carlos Aguiar, procure um paralelo coerente pelo menos antes de se fazer afirmações falsas. Mortes indiscriminadas. Indiscriminados são os foguetes e os homens bombas. Não tem alvo certo ou estratégico. O texto colocado pelo Rogério mostra que desde março começou a ocorrer este planejamento para desarmar o grupo terrorista que estava acumulando armas demais. O Hamas até agora não pediu cessar fogo porque não lhe interessa e nem lhe comove as vítimas. Israel que deveria fazer e continuar na mesma situação de fragilidade na região? O Hamas foi amplamente votado para fazer guerra contra Israel. O bloqueio existe pelo constante armamento da região pelos grupos palestinos terroristas. Explosivos e armamentos não caem do céu e nem possuem geração espontânea. Estão lá por planejamento e para isto mesmo que estão sendo usados. Não tem ninguém na contramão por descuido. Mas por ações planejadas e armamento farto estocado. Vinte dias respondendo diariamente e combatendo de rua em rua. Sem querer cessar fogo algum.

  5. Comentou em 15/01/2009 Paulo Bandarra

    Agradeço o seu comentário, reservista nelson lott , rio grande-RS – algumas vezes ponderado, outras vezes claramente simpático a ditadura cubana, respaldada pela ONU, você diz. O que justamente vem ao encontro do que eu escrevi. Dois pesos, duas medidas. Darfur esteve na mídia, mas nunca, releia o texto, nossos “progressistas” e professores de sociologia acharam que era uma “causa nossa”! Socialistas sempre foram antisemitas. Este que é o foco. Darfur nunca repercutiu no OI. Os assassinos não eram judeus. Eram os simpáticos muçulmanos que se associam aos nossos presidentes “progressistas” neofascistas da AL. Aqueles que na faixa de Gaza comemoraram os ataques as Torres gêmeas. Tres mil mortos que a esquerda comemorou. Mil mortos civis? Nenhum militante, não é? Rogério, você sabe porque os limites de 1967? Já havia ouvido falar?

  6. Comentou em 15/01/2009 Evandro Trigueiro Tavares

    O Dr. Bandarra defende o Estado de Israel incondicionalmente devido a ele ser financiado pelos Estados Unidos. Não importa a inabilidade da política externa dos falcões em sua cruzada contra os palestinos, desmoralizando o ideal democrático numa parte do mundo onde pululam ditaduras, muitas delas, aliás, como a egípcia e a saudita, bancadas pelos dólares de Washington.

  7. Comentou em 15/01/2009 Evandro Trigueiro Tavares

    O Dr. Bandarra defende o Estado de Israel incondicionalmente devido a ele ser financiado pelos Estados Unidos. Não importa a inabilidade da política externa dos falcões em sua cruzada contra os palestinos, desmoralizando o ideal democrático numa parte do mundo onde pululam ditaduras, muitas delas, aliás, como a egípcia e a saudita, bancadas pelos dólares de Washington.

  8. Comentou em 14/01/2009 Felipe Faria

    Civis inocentes morrem no Rio de Janeiro..porque s[o os de Gaza são chorados? Porque Isral está envolvido? O velho ‘antissemitismo’está de volta à toda…..

  9. Comentou em 14/01/2009 Alexandre Carlos Aguiar

    Realmente o texto é de difícil entendimento, tanto pela retórica torta, como pela escrita enviesada, bem como, ainda, se imaginar que um humano escreva isso. Porém, do pouco que se pode compreender, constata-se o mesmo discurso: distorcer o que está acontecendo e desviar o foco para outros pontos, pois, assim, as pessoas acabarão dando crédito ao massacre. Fica claro que identificar o pacifismo com os regimes socialistas tem um caráter ainda mais subreptício, pois incuta nas pessoas avessas à esquerda a idéia de que a causa de Israel é nobre e o pacifismo, posto agora, é equivocado. Convoco aos que se dizem humanistas e defendem o massacre perpetrado por Israel, incomodados com o que há em Darfur (eu sei onde fica), Cuba, Somália, Sri Lanka e demais focos de conflitos, a levatarem estas bandeiras por aqui ou em outros canais. Tragam-nos notícias com a mesma energia que defendem Israel e garanto que boa parte dos participantes veria isso com bons olhos. Mas, é claro, o objetivo nunca foi esse. Comparar gente que quer o fim dos massacres com racistas, ou dizer que há relativismo na mídia é o ponto principal para enganar a opinão pública. A razão é dar crédito a um massacre, principalmente se for para jogar bombas sobre a cabeça de crianças, potenciais homens-bomba. E, nesse aspecto, Israel e seus adeptos estão sendo perfeitos! Até quando?

  10. Comentou em 14/01/2009 Andrea Guedes

    Rogério! Você vai perder tempo com o Bandarra? Confuso ,superficial e chato demais pro meu gosto.

  11. Comentou em 14/01/2009 Andrea Guedes

    Rogério! Você vai perder tempo com o Bandarra? Confuso ,superficial e chato demais pro meu gosto.

  12. Comentou em 13/01/2009 Sílvio Miguel Gomes

    Mesmo que Israel massacre os integrantes do HAMAS e toda a GAzA, já perdeu esta guerra. Bilhoões de pssoas do mundo inteiro serão sempre contra Israel. Eu li o texto, do Dr. Bandarra, de difícil compreensão.

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem