Sexta-feira, 24 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

JORNAL DE DEBATES > O PODER E A MÍDIA

O PT e o controle da imprensa

Por Domingos Sávio em 24/02/2010 na edição 578

O professor Anis José Leão é um dos homens mais preparados de Minas Gerais. Recentemente, ele publicou um artigo em que questiona a imprensa em relação ao que seria, de um lado, benevolência com o presidente Lula e, do outro, com o governo do estado.


Essa é uma reflexão importante e merece atenção. Vejamos um exemplo recente. Recentemente, os chamados jornais nacionais e os principais blogs noticiaram que o Ministério Público abriu uma investigação contra o ex-prefeito de Belo Horizonte Fernando Pimentel, do PT, por superfaturamento de obras. Apesar da gravidade do tema, não vi nenhuma linha sobre o assunto nos veículos de Minas. A única exceção foi o registro feito pelo Hoje em Dia. Por quê?


Da mesma forma, nunca li nenhuma denúncia significativa contra a gestão do PT na prefeitura durante o período que ela durou. Não terá sido cometido nenhum erro em todos aqueles anos? Ou mesmo agora, durante o governo Marcio Lacerda? Essa constatação é importante, porque tal reflexão precisa ser travada com serenidade e um mínimo de compromisso com a realidade.


É natural que partidários desse ou daquele governante tentem sempre acusar os adversários de serem protegidos da mídia. Para ficarmos no cenário nacional, é importante notar que essa é uma discussão que ocorre há décadas, e dela não escapa sequer a Folha de S.Paulo, veículo tido por muitos como o jornal mais importante do país. A substituição de um dos ombudsmans desse jornal, Mário Magalhães, por exemplo, foi atribuída por muitos às 23 críticas que ele fez ao jornal por proteger o governador de São Paulo (ver aqui).


Reação irônica


A importância do tema torna relevante analisarmos as ações institucionais em torno dele. E, nesse caso, é preciso olhar com atenção as iniciativas patrocinadas pelo governo federal nessa área, e que são interpretadas por muitos como tentativas autoritárias contra a liberdade de imprensa e expressão.


O primeiro alerta veio com a tentativa de expulsão do jornalista Larry Rohter, do jornal The New York Times, por ter criticado a pessoa do presidente da república – ‘Governo cancela visto e bane do Brasil jornalista do NYT‘ . Num gesto que surpreendeu ao país, o governo federal confundiu a pessoa física do presidente com a honra nacional, e simplesmente pretendeu expulsar um jornalista por ter ousado criticar o presidente. Alguém já imaginou se fosse o presidente Fernando Henrique Cardoso a fazer isso? O mundo viria abaixo. Ainda em 2004, o governo federal tentou controlar a produção de conteúdo das emissoras de televisão do país através da criação da Ancinav. Depois, veio a famigerada tentativa de criação do Conselho Federal de Jornalismo, órgão que seria destinado a controlar a atividade dos profissionais de imprensa. Defendido pelo governo federal e por sindicatos vinculados ao PT, a ideia foi rechaçada com vigor pelos profissionais independentes.


Veja o que disse sobre isso Alberto Dines, no seu Observatório da Imprensa:




‘A iniciativa é a mais inábil e atarantada já produzida na esfera da imprensa por algum governo, desde a redemocratização em 1985. Tanto no espírito como na forma, é rigorosamente autoritária e corporativa. A oportunidade, a justificativa e o conteúdo não poderiam ser mais funestos e inconvenientes. Parece homenagem ao onipotente Estado Novo, com toques de Mussolini, George W. Bush e Hugo Chávez’.


Para não deixar dúvidas sobre qual é a posição do governo federal nesse quesito, veja a declaração do assessor especial da presidência, Marco Aurélio Garcia, recém-chegado de uma visita oficial à Venezuela, no momento em que todas as entidades defensoras das liberdades de imprensa na América Latina se uniam para denunciar o cerceamento à liberdade de expressão naquele país, com o fechamento de veículos de imprensa e prisão de jornalistas, publicada no O Globo do dia 5/8/2009:




‘Ao ser perguntado se a liberdade de imprensa tinha acabado na Venezuela, Garcia, que passou os últimos dias no país vizinho e se encontrou com Chávez na segunda-feira, reagiu com ironia.


– Se acabou, deve ter sido apenas depois que eu saí.’


Obrigação primeira


Os veículos de comunicação foram benevolentes com os prefeitos Patrus e Pimentel? São com o prefeito Marcio Lacerda e com o governador Aécio Neves? Os do Espírito Santo são com o governador Hartung? Os do Rio com o governador Sérgio Cabral? Os de São Paulo com o governador José Serra? Os veículos em geral são condescendentes com o presidente da República de forma como nunca se viu antes na história deste país?


Não sei. É possível que, para muitos, a resposta seja sim a todas as perguntas.


Mas nenhum desses cenários me parece tão preocupante quanto o desenhado pelas iniciativas patrocinadas pelo governo federal. Por uma razão simples. As primeiras estão no âmbito das iniciativas e responsabilidades de empresas privadas que tomam as decisões que julgam as mais corretas e por elas serão julgadas.


As outras estão no âmbito do poder público. Estão sendo patrocinadas pelo Estado que deveria ser o primeiro a zelar pelas liberdades. Inclusive a dos outros.

******

Deputado estadual (PSDB), líder da Maioria na Assembleia Legislativa de Minas Gerais

Todos os comentários

  1. Comentou em 27/02/2010 Angelo Frizzo

    Não sei que jornal, que rádio, que TV o Sávio usa para se ‘informar’.
    Dizer que alguma dessas (da grande imprensa, claro)defende o Governo Lula ou o PT , é brincar com nossa inteligência. Até acho que deviam estar contentes com o tal ‘mensalão’ que diáriamente a quase cinco anos, é mencionado em quase todos os meios de comunicação. E eu ainda não sei bem o que foi o tal ‘mensalão’.. Mas se foi um erro do PT, isso não dá direito a comparar c/os escândalos atuais (no governo do PT) que estão mais do que provados.
    Sobre imprensa livre, a Venezuela foi um exemplo de como nossa imprensa é golpista. Mandaram homens e dinheiro para ajudar num golpe de Estado contra Chaves. Disseram que ele tinha fexhado a imprensa de oposição. Agora, surgiram mais seis emissoras de direita?
    Mas está melhorando, o império p/ex., já permite que os canais de notícias e politica da RAI (Italia) cheguem até nós (quem tem TV a cabo, claro). Estávamos ha mais de 40 anos sem musica, sem cinema, sem politica e noticias DIRETAS da Europa. Hoje , acreditem, estou vendo e ouvindo debates políticos, diáriamente, na TV-RAI (publica-estatal), em italiano é claro. Não é sonho não, é verdade. Já imaginaram se eles deixarem haver debates na TV em horário nobre no Brasil? Esquerda e direita?. Todos os Partidos?
    Só em sonho mesm ….seria MUITA DEMOCRACIA .

  2. Comentou em 27/02/2010 Marcelo Ramos

    O Miro Junior levantou perguntas interessantes e pertinentes. O artifício do deputado Domingos Sávio é tentar envolver pessoas menos informadas sobre a crítica à imprensa. Isso ainda existe hoje e consiste em duas vertentes: 1) fazer um recorte da realidade e mostrar o ‘seu lado’. Aliás, essa vertente é tipicamente política, tipo Rubens Ricúpero; e 2) misturar pesos e medidas para confundir esses pesos e medidas, por exemplo, os grandes grupos de mídia fazem e fizeram campanha eleitoral explícita e descarada para Serra e FHC. Mas apontar esse desequilíbrio de comportamento significa atentar contra a ‘liberdade de expressão’. Esses artifícios elementares podem até funcionar para pessoas menos informadas, que ainda são tuteladas pelo noticiário político descontextualizado, veiculado diariamente por esses 4 grupos de mídia. Mas o nobre deputado vai ter uma supresa, aqui no OI, ao perceber que muitos dos comentaristas já lê o noticiário de maneira bem mais crítica desde antes de 2002. Neste momento, já se sabe que a denúncia contra o Pimentel não foi aceita pelo Ministério Público Federal. Para informação do deputado ver link http://www.viomundo.com.br/voce-escreve/ministerio-publico-detona-furo-da-istoe/. A propósito, se ele quer ver alguma ‘denúncia’ contra o PT. pode comprar a IstoÉ. Mas sabemos em que consiste esse jogo. Os informados não vão entrar… por que estão informados

  3. Comentou em 12/02/2007 Anne Lima

    Oi, sou Anne Caroline da empresa HOTWords.
    Gostaria de tornar parceiro do Observatório da Imprensa para inserção de anúcios publicitários no site.
    Estou com anunciantes de diversas áreas que querem estar em sites com este perfil.
    Aguardo um retorno para iniciarmos esta parceria.

    Um abraço e bons negócios,

    Anne Caroline B. Lima
    ——————————
    anne@hotwords.com.br
    http://www.hotwords.com.br
    ——————————
    Phone: 11 3284 4334

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem