Quinta-feira, 13 de Dezembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1017
Menu

JORNAL DE DEBATES >

O bonapartismo de
araque e a lei da selva

Por Alberto Dines em 20/03/2008 na edição 477

O Observatório da Imprensa não é um tribunal, é um fórum, e este observador não se considera juiz nem emite sentenças. Opina em um site pluralista que funciona ininterruptamente há 12 anos.


Ao longo destes anos, é fácil constatar que este observador considera o jornalismo dito ‘engajado’ – à direita ou à esquerda – como mau jornalismo, porque contraria todos os compromissos da imprensa com a sociedade: confunde a busca da verdade com um bonapartismo de araque e troca o esclarecimento pelo justiçamento sumário. O idealismo inerente à ‘última profissão romântica’ não pode conviver com o paredón e o linchamento.


Quando o engajamento jornalístico manifesta-se em cruzadas contra ou a favor de interesses comerciais, corre o risco de ser avaliado como jogada comercial. Neste caso, a discussão deixa a esfera da qualidade profissional para ingressar inevitavelmente no campo moral.


Quando o UOL ‘demitiu’ este Observatório da Imprensa do seu portal no ano 2000, respondia à acusação de que a grande mídia antecipava-se à emenda constitucional que permitiria a participação do capital estrangeiro em empresas de comunicação.


Para ilustrar a denúncia, foi citado o caso da Folha, que abriu o capital da sua subsidiária gráfica para um parceiro americano antes da legalização deste tipo de associação. Como o contrato com o UOL venceria proximamente, o Observatório foi avisado de que o compromisso não seria renovado. Houve tempo, portanto, para que fosse escolhido outro provedor. O aviso prévio não é apenas uma conquista trabalhista, é uma norma comercial capaz de impedir a universalização da lei da selva.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem