Domingo, 17 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

ENTRE ASPAS > LEITURAS DE FIM DE SEMANA

O pacto da mesmice

Por Alberto Dines em 09/06/2008 na edição 488



Acomodados com a profusão de anúncios que chegam com o Dia dos Namorados, jornais e revistas parecem ter perdido o desejo de se diferenciar. Quem perde em cada edição são os leitores. Mas no longo prazo é a imprensa que corre risco.


A leitura dos jornais e revistas do fim de semana confirma a perigosa vocação para a homogeneidade. Como que combinados, os três jornalões (Folha de S.Paulo, Estado de S.Paulo e O Globo) parecem dizer ao leitor que só precisa comprar um deles.


Ao invés de competir e se diferenciar, fazem questão de uniformizar-se. A diversidade só se manifesta por intermédio de colunistas individuais. Mais rápida, a Folha conseguiu contratar a ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva. Dificilmente contratará repórteres ou correspondentes, dificilmente abrirá novas sucursais para acompanhar no noticiário diário o desmatamento na Amazônia. E se o Estado tivesse a primazia de contratar a ex-ministra, faria o mesmo.


A verdade é que Marina Silva continuará pregando no deserto, tão ou mais solitária do que quando estava instalada na Esplanada dos Ministérios.


200, 250?


As revistas são ainda mais condescendentes com a sua semelhança. Não se importam em confundir-se. Com edições abarrotadas de anúncios por causa do Dia dos Namorados, todas optam pelo picadinho, certas de que com isso não serão furados ou ultrapassados pelos concorrentes.


Nosso jornalismo completou 200 anos na semana passada num estranho pacto de silêncio. Neste passo dificilmente chegará aos 250 anos: acabará antes, graças a um pacto de morte coletivo.

Todos os comentários

  1. Comentou em 10/06/2008 luiz r p silva Portela

    Observatorio….e sobre a pataquada do JB e ‘Corrupcao abala governo do PT’. Ninguem comenta nada? Onde voces pensam que vao chegar? Ja repararam na quantidade de comentarios em resposta a seu textos? Ou nao se tocaram que cada dia é menor?! Nao ha jornalisatas no Observatorio.

  2. Comentou em 09/06/2008 Jose de Almeida Bispo

    Sinceramente, jamais pensei em pensar assim, mas não há perdão para a ex-ministra Marina Silva. Não adianta. A ‘crise do mensalão’ mostrou o que é na verdade a Folha de São Paulo. Continua a velha Folha da Tarde reacionária e golpísta de 1964. E eu não posso acreditar em tamanha ingenuidade da ex-ministra. Principalmente porque ela sabe que só estará ali enquanto for peça de legitimação da farsa jornalística do Sr Frias Junior e seus meninos. No momento conveniente será cuspida para a sarjeta ‘de onde nunca deveria ter saído’. E ela sabe disso. Porque diabos arriscar uma segunda face da reputação se já tanto arriscou a outra ao se defrontar com os questionamentos naturais de quem governa? Será que ela acredita que será bem vinda nos salões da FIESP por isso? Será que não assistiu a ‘O homem que virou suco’? Prestígio internacional? Ora, e quem disse que ela precisa escrever num panfletão paulista para preservar o que construiu dignamente? Nacionalmente ela será igual a seu guru Chico Mendes, um zero à esquerda até que a mídia estrangeira grite tanto que seja impossível as famiglias da midia brazurca não ouvir. Quem com porcos se mistura, farelos come.

  3. Comentou em 09/06/2008 Gustavo Gomes de Matos Gomes de Matos

    A pasteurização da imprensa é uma realidade que podemos comprovar diariamente. Falta jornalismo investigativo e profissionais capacitados para fazê-lo. Salve Alberto Dines, o ombudsman do jornalismo brasileiro. Ainda temos salvação !

  4. Comentou em 09/06/2008 Gustavo Gomes de Matos Gomes de Matos

    A pasteurização da imprensa é uma realidade que podemos comprovar diariamente. Falta jornalismo investigativo e profissionais capacitados para fazê-lo. Salve Alberto Dines, o ombudsman do jornalismo brasileiro. Ainda temos salvação !

  5. Comentou em 09/06/2008 mário mendes

    yeda crusius no pt
    http://ee.jornaldobrasil.com.br/reader/default.asp?ed=1327
    página a4

  6. Comentou em 09/06/2008 Clovis Eduardo

    É Dines, diante do atual escândalo envolvendo os Tucanos e da pouca pauta de denúncias contra o PT, os jornalões parecem entrar em uma espécie de cartel informativo, unificação da agenda setting entre redações concorrentes. Uma harmonia que dá dó. Ainda bem que aqui no RJ temos alguns jornais popularecos com umas poposudas na capa para alegrar os olhos seguidas de legendas semi-pornôs.

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem