Terça-feira, 16 de Outubro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1008
Menu

JORNAL DE DEBATES >

Pluralismo é fermento da democracia

Por Alberto Dines em 18/04/2008 na edição 481

Em agosto do ano passado, o ministro do STF Ricardo Lewandowski surpreendeu o país ao afirmar que a imprensa pressionou a suprema corte para aceitar as denúncias contra os acusados do mensalão.


Nesta quarta-feira (16/4), o ministro da Justiça Tarso Genro também acusou a imprensa de pressionar o STF para interromper a retirada dos arrozeiros de uma reserva indígena.


O ministro Lewandowski deu uma opinião pessoal fora do recinto do tribunal. É uma opinião estranha, mas é legítima. Já o ministro Tarso Genro, porque faz parte do Executivo e estava numa solenidade pública nas dependências da Polícia Federal, permitiu que a sua crítica a respeito de uma cobertura jornalística se convertesse automaticamente em ameaça.


A análise do ministro da Justiça sobre a cobertura na desocupação da Reserva Raposa/ Serra do Sol é equivocada. A imprensa está acompanhando o caso com enfoques diferenciados. O próprio governo está dividido, como o demonstra a manifestação do comandante militar da Amazônia, general Augusto Heleno, ao declarar no mesmo dia que ‘nossa política indigenista é caótica’ (O Globo, 17/4, primeira página).


Certas esferas palacianas ainda não aprenderam a conviver com o pluralismo, acreditam que democracia resume-se à convocação de eleições. Errado. Democracia significa também respeitar a livre circulação de idéias.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem