Quarta-feira, 20 de Setembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº958

JORNAL DE DEBATES > CHINA

Portal envolvido em mais uma prisão de internauta

20/04/2006 na edição 377

A organização Repórteres Sem Fronteiras [19/4/06] obteve uma cópia do veredicto do caso do ciberdissidente chinês Jiang Lijun, condenado por ‘subversão’ a quatro anos de prisão em novembro de 2003. O documento comprova que o provedor e portal de internet Yahoo! ajudou a polícia chinesa a identificar Lijun. O internauta foi acusado de tentar usar ‘maneiras violentas’ para impor a democracia ao publicar na rede artigos sobre o tema. A polícia chinesa também acredita que ele seja o líder de um pequeno grupo de ciberdissidentes, ao qual pertencia a internauta Liu Di. Ela ficou presa de novembro de 2002 a novembro de 2003, depois de participar de um fórum de discussão na rede.


É a terceira vez que o Yahoo! se envolve em casos de prisão de internautas. Em agosto de 2003, o escritório do Yahoo! em Hong Kong teria delatado o dissidente político Li Zhi, condenado a oito anos de prisão sob acusação de participar do Partido Democrático da China, um grupo de oposição ao governo proibido de funcionar no país. No ano passado, o portal teria colaborado ativamente com as autoridades chinesas na localização e detenção do jornalista Shi Tao, ao fornecer informações obtidas a partir de sua conta pessoal de e-mail. Tao foi condenado a 10 anos de prisão, acusado de ‘divulgar segredos de Estado ao exterior’.


Apelo ao Yahoo!


‘Aos poucos, vamos juntando evidências para o que já suspeitávamos há muito tempo: o Yahoo! está envolvido na prisão da maior parte das pessoas que nós estamos defendendo’, afirma a RSF. ‘Na semana passada, fomos aos escritórios da empresa para pedir que ela pare de colaborar com as autoridades chinesas. Pedimos para o Yahoo! retirar seus servidores de e-mails da China, porque é o único caminho para evitar fazer parte da atual sanção a democratas e a jornalistas’, acrescenta a ONG. Os executivos da companhia recusaram-se a receber os representantes da RSF e ameaçaram chamar a polícia. Depois, finalmente concordaram em realizar um encontro, no dia 10/4, mas na reunião não se chegou a nenhum resultado concreto.


De acordo com o veredicto, o Yahoo! confirmou que uma conta de e-mail havia sido usada em conjunto por Jiang Lijun e outro ativista pró-democracia, Li Yibing. Uma ‘declaração’ de 2002 teria sido encontrada na pasta de rascunhos do e-mail, mas não foi especificado se o Yahoo! forneceu esta informação ao governo. O acesso pode também ter sido feito por Li Yibing, suspeito de ser um informante policial no caso.


O veredicto informava que Jiang Lijun escreveu que o regime chinês era ‘autocrático’, sendo ele a favor do ‘estilo ocidental de democracia’; o internauta teria escrito também sobre seus planos de estabelecer um partido político. Além disso, Lijun teria tentado interromper o 16º Congresso do Partido Comunista, ao telefonar para a polícia com um falso alerta de bomba. O veredicto, traduzido para o inglês pela Fundação Dui Hua, pode ser baixado no sítio da RSF.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem