Quinta-feira, 21 de Março de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1029
Menu

ENTRE ASPAS >

Projeto alivia punição por rádio clandestina

Por Leticia Nunes (seleção de textos) em 11/02/2009 na edição 524

Leia abaixo a seleção de terça-feira para a seção Entre Aspas.


************


O Estado de S. Paulo


Terça-feira, 10 de fevereiro de 2009


 


RADIODIFUSÃO
Gerusa Marques


Projeto alivia punição por rádio clandestina


‘Alegando que está atendendo a uma antiga reivindicação do setor de radiodifusão comunitária – uma das bases políticas do governo – o presidente Luiz Inácio Lula da Silva encaminhou ao Congresso um projeto de lei que livra da prisão quem opera emissoras clandestinas. Pelo projeto encaminhado no mês passado operar rádio sem licença deixa de ser crime e os responsáveis responderão apenas a um processo administrativo.


O projeto foi recebido com críticas no Congresso. Deputados da Comissão de Ciência e Tecnologia, por onde deverá tramitar a proposta, defendem uma discussão mais ampla sobre o assunto, que envolva também o processo de concessão de outorgas, conduzido pelo Ministério das Comunicações. O deputado Paulo Bornhausen (DEM-SC) considerou o projeto um ‘atraso’ e alertou para a possibilidade de o alívio nas punições virar um incentivo à ilegalidade.


‘O governo tenta justificar sua inoperância e adiciona uma pitada de ideologia muito forte (ao assunto)’, avaliou Bornhausen. Na opinião dele, a proposta serve apenas para atender a uma demanda política. ‘Isso é um projeto ideológico.’ Para o deputado do DEM, que é presidente da Frente Parlamentar da Radiodifusão, o assunto tem de ser discutido em audiências públicas. ‘Esse projeto é um estímulo para que a lei não seja cumprida.’


‘INFRAÇÃO’


Pela proposta, o processo administrativo contra a emissora clandestina correrá no Ministério das Comunicações e a operação de rádio sem autorização significará uma infração gravíssima, que será punida com multa e apreensão de equipamentos, além de suspensão da análise do pedido de licença.


A prisão continua sendo prevista para casos em que a operação ilegal da emissora ponha em risco serviços de telecomunicações de emergência e de segurança pública. Incluem-se aí os casos de interferência do sinal de rádio pirata na comunicação entre aviões e torres de comando.


O presidente da comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara, deputado Walter Pinheiro (PT-BA), defende a elaboração de uma legislação mais abrangente. O mais correto, na opinião de Pinheiro, seria resolver primeiro o acúmulo de pedidos e o ritmo lento da análise dos processos pelo governo. O argumento das entidades que administram rádios comunitárias é que são forçadas a operar ilegalmente por causa da demora no Ministério das Comunicações em analisar os pedidos de concessão.


Pinheiro lembra, porém, que outras rádios clandestinas, de interesse comercial e até político, acabam pegando carona no argumento da radiodifusão comunitária para operar irregularmente. ‘Se retirarmos o caráter criminal, como vamos separar a comunitária da educativa, da picaretagem e da bandidagem?’, questionou. ‘O rigor tem de continuar.’


PRECEDENTE


Pinheiro explica que no ano passado a comissão aprovou um projeto para anistiar do processo criminal os proprietários de rádios que operavam ilegalmente. Segundo ele, a proposta passou na comissão levando em conta que mais de 20 mil pedidos de outorga de rádios comunitárias aguardam decisão do Ministério das Comunicações. ‘Optamos pela anistia, que suspende os processos para trás, mas mantivemos a tipificação de crime’, afirmou.


O deputado Júlio Semeghini (PSDB-SP) também defende uma discussão mais ampla. ‘Dizer que não é crime, sem definir o futuro, pode incentivar a operação irregular’, afirmou. Segundo ele, este não deve ser um projeto isolado, mas deve vir ao lado de regras que deem agilidade ao processo de concessão.’


 


 


INCÊNDIO
Cláudia Trevisan


Fogo arrasa símbolo do ‘boom’ chinês


‘O mais ousado projeto arquitetônico levantado por Pequim para a Olimpíada de 2008 foi parcialmente destruído ontem por um incêndio que consumiu uma torre de 30 andares no complexo que abrigará a nova sede da rede de televisão estatal CCTV, desenhado pelo arquiteto holandês Rem Koolhaas.


O fogo atingiu a torre batizada de Television Cultural Center (TVCC), que teria estúdios de gravação, um teatro com capacidade para 1.500 pessoas, cinemas digitais, salão de baile, local para exposições e um hotel cinco estrelas.


O prédio que pegou fogo fica ao lado de uma das estruturas mais originais do mundo, formada por duas torres inclinadas e conectadas pela base e o topo, formando uma espécie de ‘loop’ anguloso. O complexo, situado numa das áreas mais valorizadas de Pequim, seria inaugurado nos próximos meses.


O incêndio teve início no alto do edifício por volta das 20h30, mas a reação das autoridades foi lenta e confusa. A reportagem do Estado chegou ao local antes dos bombeiros.


Os primeiros carros do Corpo de Bombeiros que chegaram ao local não eram equipados com escadas para levar a água aos andares mais altos e jatos potentes só começaram a ser vistos depois das 22h30. A polícia demorou para interromper o trânsito nas ruas ao redor do complexo e o local só foi isolado depois das 22h40, quando labaredas gigantescas consumiam o prédio de alto a baixo. Até o início da madrugada de terça-feira o governo não havia dado nenhuma informação sobre as prováveis causas do incêndio nem confirmado se há vítimas.


CENSURA


A imprensa oficial chinesa ignorou o assunto até as 22h15, horário local, quando inúmeros internautas já haviam divulgado fotos e comentários sobre a destruição do prédio. As centenas de pessoas que se aglomeravam na frente da construção tiravam fotos e mandavam mensagens de celulares. Na medida em que a informação se espalhava, mais e mais pessoas se aglomeravam nas proximidades do complexo, que em razão de seu formato é chamado pela população de ‘cueca de ferro’ – dakucha em chinês.


O fogo começou quando os moradores de Pequim bombardeavam o céu com fogos de artifício para celebrar o Festival da Lanterna, que marca o fim dos 15 dias de festas do ano-novo chinês. As chamas espalharam-se rapidamente pelo prédio.


Na internet, a maioria dos comentários atribuía o incêndio aos fogos de artifício, o que faria do prédio um caso único de vulnerabilidade numa época em que a cidade fica tomada pelas explosões de rojões e foguetes.


O texto divulgado pela agência oficial de notícias Xinhua acabou alimentando essa versão, ao afirmar que testemunhas viram pessoas soltando fogos de artifício ao redor do prédio por volta das 20 horas, 30 minutos antes do início do incêndio. Normalmente, as autoridades chinesas exercem forte controle sobre o uso de pólvora e explosivos na periferia de Pequim, mas a restrição é relaxada durante as festas de ano-novo.


A ideia original do governo chinês era utilizar a TVCC para as transmissões da CCTV durante a Olimpíada, mas o complexo não ficou pronto a tempo para o evento.


PRESTÍGIO


A intenção do governo chinês é transformar a CCTV em uma rede de alcance internacional, nos moldes da BBC britânica, e a nova sede faz parte do esforço de busca de prestígio para a emissora – totalmente sujeita à censura e aos interesses políticos das autoridades de Pequim.


O complexo consumiu investimentos estimados em US$ 600 milhões. A torre destruída custou cerca de US$ 100 milhões.’


 


 


TECNOLOGIA
The New York Times


Amazon avança nos livros eletrônicos


‘A Amazon.com anunciou ontem o lançamento de uma nova versão do seu leitor de publicações digitais, o Kindle 2, intensificando esforços para dominar essa nova indústria. A Amazon disse que a nova versão do dispositivo apresenta sete vezes mais memória do que a original, permite que se alterne entre as páginas com maior velocidade e traz uma tela de definição muito melhor, apesar de ainda monocromática.


O Kindle 2 também traz novo design, com teclas redondas e um pequeno controle, parecido com um joystick – bastante diferente do projeto original, alvo das críticas de alguns compradores que o consideraram desajeitado. O novo dispositivo será comercializado a partir de 24 de fevereiro. A Amazon manteve o preço do produto em US$ 359.


Apesar de o novo Kindle apresentar apenas melhorias incrementais, o fundador e diretor executivo da Amazon, Jeffrey P. Bezos, estabeleceu metas ambiciosas. ‘Nossa visão é ter todos os livros que jamais foram impressos, em qualquer idioma, disponíveis na tela em menos de 60 segundos’, disse ele numa entrevista coletiva concedida em Nova York.


A Amazon introduziu vários novos recursos no Kindle. Uma nova função transforma texto em fala, permitindo aos leitores que alternem entre ler as palavras na tela do dispositivo e escutá-las por meio de uma voz computadorizada. Essa tecnologia foi oferecida pela Nuance, empresa especializada em reconhecimento de voz instalada em Burlington, Massachusetts.


A Amazon também permitirá que os proprietários do dispositivo transfiram textos entre o Kindle e outros aparelhos portáteis. A empresa disse que estava trabalhando na disponibilização de textos digitalizados para outros dispositivos (como telefones celulares), apesar de não ter especificado quais seriam esses aparelhos.


Um dos concorrentes que têm ameaçado a tentativa da Amazon de dominar o mundo dos e-books é o Google, que incluiu no seu acervo digital cerca de 7 milhões de livros, a maioria dos quais fora de catálogo. O Google também firmou parcerias com editoras e autores para dividir a receita proveniente da venda desses textos na internet.


O Google disse recentemente que logo começaria a vender esses livros para leitura em dispositivos portáteis como o iPhone, da Apple, e telefones equipados com o sistema operacional Android, do próprio Google.


Referindo-se implicitamente à ameaça representada pelo Google, Bezos disse que a Amazon era mais experiente do que a concorrência em se tratando daquilo que os leitores de livros desejam, e destacou o catálogo digital da Amazon, que inclui 230 mil títulos, entre livros recentes e best sellers.


‘Temos dezenas de milhões de fregueses que compram livros de nós todos os dias, e sabemos o que eles desejam ler’, disse. ‘Estamos nos certificando de priorizar esses itens.’ Markus Dohle, diretor executivo da Random House, a maior editora mundial de livros destinados ao consumidor – uma unidade do grupo alemão Bertelsmann -, disse que a empresa estava trabalhando com a Amazon e outras produtoras de e-books na digitalização da sua lista de livros fora de catálogo.


Depois da entrevista coletiva, perguntaram a ele se estava preocupado com os efeitos do predomínio da Amazon sobre o mercado de livros digitais. Dohle fez uma pausa e riu. ‘Não somos nós que devemos falar sobre a concorrência da Amazon’, disse ele. ‘Não acho que uma estratégia de negócios defensiva possa dar certo. Queremos expandir nossos negócios em todos os canais, e um dos fregueses de crescimento mais acelerado em todas as áreas é a Amazon. Enxergamos o Kindle e os livros eletrônicos como uma verdadeira oportunidade porque achamos que esse formato não vai devorar a parte física do ramo, mas vai gerar e criar novos leitores de livros’, completou.


LIVRO DIGITAL


Inovações: A nova versão do Kindle, o leitor de livros digitais da Amazon, tem sete vezes mais memória que a versão anterior do aparelho, permite que se alterne entre as páginas com mais velocidade e traz uma tela com definição muito melhor


Objetivo: Segundo o fundador da Amazon, Jeffrey Bezos, a meta da empresa é ter todos os livros que já foram impressos no mundo, em qualquer idioma, disponíveis na tela em menos de 60 segundos’


 


 


 


************


Folha de S. Paulo


Terça-feira, 10 de fevereiro de 2009


 


POLÍTICA
Folha de S. Paulo


PMDB baiano cria jornal e cita Geddel 27 vezes


‘O ministro Geddel Vieira Lima (Integração Nacional) ganhou novo espaço para divulgar o seu nome na Bahia -o jornal ‘É o 15’, publicação do diretório estadual do PMDB.


Com oito páginas, o jornal citou 27 vezes o nome do ministro e publicou três fotos de Geddel.


Segundo Lúcio Vieira Lima, irmão de Geddel e presidente do diretório estadual do partido, o jornal é mensal e a primeira edição teve 50 mil exemplares. Segundo o PMDB, a impressão custou R$ 4.000, bancados pelo diretório, que também vai custear o envio de malas-diretas. Os textos são da assessoria do PMDB-BA.


Numa das reportagens, o jornal diz que a tendência do partido é fechar com a ministra Dilma Rousseff (PT), candidata preferida de Lula para 2010.’


 


 


Eliane Cantanhêde


Saçaricando


‘BRASÍLIA – Esta semana é de festa em Brasília, com Lula, seus 84% de aprovação e a sua candidata Dilma Rousseff saçaricando entre 3.500 a 4.000 prefeitos, ao som de verbas do BNDES, obras do PAC, refinanciamento de dívidas.


Toda semana, aliás, está virando uma festa, com Dilma de cara nova, cabelos e unhas caprichados e sorrisos como nunca se viu na antes durona chefe da Casa Civil, agora alegre candidata. E a máquina de propaganda, quer dizer, de notícias, aumenta e está a todo vapor.


Por aqui, não tem essa história de crise. A popularidade de Lula vai de salão em salão, rodopiando com Dilma, consolidando apoios certos e não-sabidos -como os do PMDB de Michel Temer e Sérgio Cabral.


De um lado, festa. Do outro, crises, divisões, castelos. Aécio Neves mostra que não estava mesmo brincando e não só exige as prévias contra José Serra, ops!, do PSDB, como já confraterniza a céu aberto com Lula, elogiando Dilma. Soa ou não soa como ameaça?


No Congresso, o PMDB ganha na Câmara e no Senado e comemora lançando sinais lânguidos para a candidatura Dilma, que já tem uma dúzia de partidos e partidecos. Já o PSDB se estapeia pela liderança na Câmara, inviabilizando o diálogo e os acordos, enquanto o seu principal aliado, o DEM, não queria o tal Edmar Moreira candidato a vice-presidente da Câmara, mas é quem acaba pagando o pato. Ele tem o castelo, mas quem tem de dar satisfação aos súditos é o partido.


Bem feito! Quem mandou abrir ficha de inscrição para quem recolhe e embolsa contribuição do INSS, não paga dívidas nem para o verdureiro da esquina e tirou do nada um castelo que não é de vento? Guenta!, como diria o outro na TV.


É assim que Dilma vai subindo e José Serra vai caindo nas pesquisas.


Ainda muito pouco, para um lado ou para o outro, mas é uma tendência, surgindo devagar, bem longe. Com empenho do Planalto e decisivo esforço da oposição.’


 


 


TODA MÍDIA
Nelson de Sá


Dispara, quase dobra…


‘Fim do dia e, no topo do Google Notícias, agregador para a cobertura brasileira, a ‘Produção de veículos dispara em janeiro’. Na manchete do UOL, ‘Em um mês, quase dobra’. Também no site da Reuters Brasil, ao longo de tarde e noite, as ‘Montadoras recuperam fôlego no começo do ano’.


Início da noite, no entanto, e o ‘Jornal Nacional’ traz a manchete ‘IBGE registra em dezembro a maior queda nos empregos na indústria desde 2001, mas o setor automobilístico dá sinais de reação em janeiro’.


OU AFUNDA


Ajudando a explicar as demissões de dezembro, ‘Otimismo afunda nos Brics’, no enunciado do UOL para uma reportagem do ‘Financial Times’. No original, mais especificamente, o que caiu foi o ‘otimismo dos industriais’. Foi uma queda com ‘efeito paralisante’ nos quatro Brics -e o pessimismo então foi ‘maior no Brasil’.


A pesquisa ‘monitorou a tendência’ de 1.800 indústrias dos quatro. Por aqui, segundo a BBC Brasil, na escala de -100 a +100 de confiança para o ano, os empresários ficaram em -3 (contra +65,3, seis meses antes).


PACIÊNCIA


A Bloomberg levantou junto a ‘analistas’ da economia brasileira a previsão de corte de 0,75% nos juros, na próxima reunião do Banco Central, daqui a um mês.


Mas ontem o presidente do BC, Henrique Meirelles, já comemorava que o ‘crédito está perto do nível anterior ao agravamento da crise’. Ato contínuo, na manchete da Folha Online e de outros, descartou ‘atitudes excessivamente agressivas’ para manter o ritmo de crescimento do Brasil, que ‘poderiam exacerbar problemas desnecessariamente’. Diz que é preciso ser ‘um pouco paciente’.


NOS ALPES


Duas semanas atrás, ao vivo de Davos para o canal CNBC, ao lado de executivo do Itaú, Henrique Meirelles dizia que ‘o Brasil vai desacelerar, mas menos que outros’


À ESQUERDA


Com chamada entre aspas na capa do ‘El País’, ‘Brasil ferve de vida que vem de baixo’, Roberto Mangabeira Unger voltou ontem a dar uma longa entrevista sobre como ‘assessora Lula na fórmula de um novo modelo de desenvolvimento’. O ‘ministro atípico’ dividiu a esquerda mundial em três, uma ‘vendida’ ao mercado, outra que quer ‘desacelerar o progresso dos mercados’ e uma terceira, que o interessa e ‘quer reconstruir o mercado e reorientar a globalização com inovações institucionais’.


Apresentado também como ‘professor de Obama’, ele descreve o Brasil, no título interno, como ‘o país mais parecido com os EUA no mundo’.


‘AMBIÇÕES’


José Sergio Gabrielli, da Petrobras, falou ao ‘Hard Talk’, da BBC, ouviu questionamento sobre etanol e diesel -e delineou o plano para tornar a estatal ‘a quinta empresa de energia do mundo’


SÃO PAULO


É Paraisópolis que queima carros, nos telejornais da Record e da Band, mas é Heliópolis que serve de cenário e título para um romance recém-lançado e resenhado elogiosamente ontem pelo ‘FT’.


Ludo, protagonista e narrador, ‘nasceu em uma das maiores favelas’ e, adotado por um milionário, ‘mudou-se para uma das comunidades afluentes cercadas de São Paulo’. Descreve a cidade, em trecho separado pelo jornal, como ‘a maior, a mais barulhenta, a mais suja e a mais insolente… um pulmão cujo oxigênio é dinheiro’ -e onde o contato entre ricos e pobres é feito a tiros.


CELEB


De novo, a cobertura de Brasil se concentra em celebridade, no caso, as complicações com a plástica da mulher do músico Usher, em São Paulo. A notícia surgiu no Access Hollywood e tomou milhares de sites, inclusive de jornais de prestígio, em horas’


 


 


CHINA
Folha de S. Paulo


Marco arquitetônico pega fogo em Pequim


‘Um incêndio atingiu ontem um prédio de 44 andares, onde seria inaugurado neste ano um dos mais suntuosos hotéis em Pequim, dentro do complexo onde funciona a nova sede da emissora estatal CCTV -um dos edifícios emblemáticos do boom arquitetônico asiático.


Como a torre estava vazia, autoridades relataram sete feridos pelo fogo -seis bombeiros (três deles em coma) e um funcionário da emissora.


O prédio atingido é uma das edificações projetadas após a China garantir o direito de receber a Olimpíada de 2008. O governo promoveu concursos internacionais de arquitetos para apresentar ao mundo edifícios modernos, de design inovador. Os idealizadores do complexo atingido ontem são os holandeses Ole Scheeren e Rem Koolhaas -vencedor do Pritzker, o equivalente do Nobel na arquitetura.


O incêndio provavelmente foi causado por um antigo costume local, celebrar o término do feriado de Ano Novo Lunar com uma queima de fogos de artifício. Ontem foi a primeira noite de lua cheia no Ano do Boi chinês.


Autoridades locais relataram que uma investigação inicial aponta para o uso ilegal de fogos. Segundo bombeiros, vestígios achados no alto do prédio indicam o mesmo.


Pequim proíbe a venda e restringe o uso de fogos de artifício dentro do centro da cidade -na região em que fica o complexo da CCTV. Mas as autoridades costumam fazer vistas grossas no feriado, encerrado ontem.


Iniciado, segundo testemunhas, às 20h30 locais, o fogo só foi controlado por volta das 2h, quando cerca de 200 bombeiros ainda trabalhavam no local.


Segundo a agência estatal Xinhua, o fogo destruiu completamente mais de 100 mil m2 da edificação, que tem 159 m de altura. O projeto do hotel prevê 241 apartamentos.


O combate às chamas foi dificultado pela altura do fogo. Enquanto as mangueiras dos bombeiros tinham alcance máximo de 40 m de altura, testemunhas contaram que as labaredas atingiram 80 m. Como a cidade não tem chuvas há 106 dias, a estação seca também pesou para acelerar o incêndio.


As cinzas do prédio -que foi parcialmente usado durante a Olimpíada e agora estava na fase de decoração- se espalharam para além de um quilômetro da torre, distante cerca de 80 m do prédio da CCTV.


Com agências internacionais’


 


 


TECNOLOGIA
Folha de S. Paulo


Amazon lança nova versão de ‘livro eletrônico’


‘A Amazon exibiu ontem a mais recente encarnação de seu leitor de livros eletrônicos, o Kindle. O aparelho é mais fino que a versão anterior, tem mais capacidade de memória e recurso que lê o texto em voz alta ao usuário.


O novo Kindle, que será vendido por US$ 359 (aproximadamente R$ 800) no site da empresa, está disponível para encomenda antecipada e começará a ser despachado no dia 24.


A nova versão resolve um problema com ‘viradas’ de página involuntárias e traz controle de direções que permite ao usuário saltar entre artigos e seções de jornais.


A primeira versão do Kindle foi lançada em novembro de 2007.’


 


 


INTERNET
Folha de S. Paulo


‘Wikipedia de investimentos’ oferece dicas de aplicação


‘Seguindo o modelo da Wikipedia, o Wikinvest é um site de finanças que traz novidade: seu conteúdo, com informações sobre investimentos nas Bolsas, é gerado e editado pelos próprios usuários, que analisam gráficos, explicam altos e baixos e opinam sobre venda e compra de ações, além de editar perfil das empresas. O site faz ranking dos usuários, baseado na confiabilidade dos textos. Basta se cadastrar em http://www.wikinvest.com.’


 


 


TELEVISÃO
Daniel Castro


‘Pânico’ pode trocar a Rede TV! pelo SBT


‘Vai recomeçar a ‘novela’ sobre a continuidade do ‘Pânico na TV’ na Rede TV!. Mas, diferentemente das ocasiões anteriores, desta vez são maiores as chances de negociações vingarem, principalmente com SBT.


A ‘diferença’ é que agora humoristas e o ‘dono’ do ‘Pânico’, Antônio Augusto Amaral de Carvalho Filho, o Tutinha, estão descontentes com a Rede TV!, que anda atrasando salários. Desde outubro, com a agravamento da crise financeira internacional, a emissora tem tido problemas de liquidez.


Na última quarta, Tutinha e o jurado de ‘Ídolos’ Luís Calainho (que são sócios) almoçaram com Walter Zagari (vice-presidente comercial da Record) e Paulo Franco (diretor de programação da emissora). No encontro, Tutinha disse que não pretende renovar contrato com a Rede TV!, que vence no final do ano. Afirmou também que o humorístico pode deixar a emissora antes disso, porque os atrasos nos pagamentos abrem brechas para rompimento contratual sem multa.


A Record, em reunião de cúpula na sexta, decidiu não levar adiante as negociações. Oficialmente, a emissora se diz abastecida de humorísticos com dois programas de Tom Cavalcante. Mas, extraoficialmente, ainda não engoliu o ‘não’ do ‘Pânico’ há dois anos, quando Cavalcante ameaçava sair.


Ainda não houve novas negociações com o SBT. Silvio Santos volta de férias hoje.


LAMA


O ‘Fantástico’ de anteontem marcou só 21,3 pontos no Ibope, com a sintonia de 34,6% dos televisores ligados na Grande São Paulo. Foi o oitavo pior desempenho na década.


DILEMA


A Globo poderá fazer testes para escolher a protagonista da próxima novela das oito. É que o autor Manoel Carlos ainda não se decidiu por Taís Araújo. ‘Quero uma Helena mais nova, mas a Taís é nova demais’, afirma. Os testes, ‘caminho mais provável’, teriam atrizes da Globo e desconhecidas.


DE SEGUNDA


A Record anda reprisando no ‘Domingo Espetacular’ edições antigas do ‘Câmera Record’, sem intervalos. É como se o ‘Fantástico’ reprisasse o ‘Globo Repórter’.


BIS


Os amantes do trash têm diversão garantida neste Carnaval. A Rede TV! confirma Carla Perez, de novo, como ‘repórter’ em Salvador. Em São Paulo, a novidade será o ‘repórter especial’ David Brazil.


DIGITAL


Os assinantes da Net que compraram o pay-per-view de ‘Big Brother Brasil’ já podem, a partir de hoje, votar nos paredões do reality show usando o controle remoto. Essa era uma das promessas da TV digital aberta -que ainda vai demorar a chegar, se chegar.


INTRIGA


Não é dos melhores o clima nos bastidores do ‘Hoje em Dia’, da Record. Ana Hickmann quer um programa só dela. Outros apresentadores querem aumento salarial.’


 


 


Folha de S. Paulo


Programa explica império de Napoleão


‘A série ‘Construindo um Império’, do canal a cabo The History Channel, exibe amanhã episódio sobre a ascensão e queda de Napoleão Bonaparte (1769-1821), que sonhava em construir um império como o de Roma.


Grande estrategista militar, Napoleão passou de comandante do Exército no interior para o posto de general das forças na Itália, no final do século 18. Ele se autoproclamou imperador da França em 1804, após a Revolução Francesa depor a monarquia.


Seu império incluiu países como Espanha, Itália, Áustria e Alemanha, mas chegou ao fim após uma fracassada invasão à Rússia.


Outros líderes franceses também ganham destaque no programa, por meio de suas grandes construções, muitas das quais viraram símbolos de Paris.


Estão lá a catedral de Notre Dame, construída pelo rei Luís 7º, o palácio de Versalhes, levantado durante reinado de Luís 14, e o Arco do Triunfo, feito a pedido de Napoleão como monumento para celebrar as guerras de seu império.


A torre Eiffel, que substituiu o Arco do Triunfo como o cartão-postal da cidade, foi inaugurada em 1889, com 299 metros de altura, em apenas 22 meses de construção.


CONSTRUINDO UM IMPÉRIO – EPISÓDIO SOBRE NAPOLEÃO


Quando: amanhã, às 16h


Onde: The History Channel


Classificação: não informada’


 


 


DOWNLOAD
Leandro Fortino


Perdidos na tradução


‘Aumentou nos últimos dias o cerco aos sites que trazem, de maneira irregular, legendas em português para filmes e seriados que acabaram de estrear nos Estados Unidos e ainda são inéditos no Brasil.


Em pedido enviado aos datacenters que hospedam esses sites, a APCM (Associação Antipirataria Cinema e Música) solicitou -e conseguiu-, com a alegação de violação de direitos autorais, a retirada do ar de três dos mais populares sites do gênero no Brasil.


Juntos, eles são responsáveis pela tradução de todos os episódios de seriados como ‘House’, ‘Lost’, ‘Heroes’ e ‘Desperate Housewives’, e de filmes que acabaram de estrear nos cinemas daqui, como o indicado a cinco prêmios Oscar ‘Dúvida’, com Meryl Streep, que entrou em cartaz na sexta-feira passada e antes disso já estava disponível para download ilegal.


No pedido, a APCM, agindo como representante de grandes empresas de entretenimento, entre elas a Universal, a Warner Bros., a Sony-BMG, a Disney, a Paramount Pictures e a 20th Century Fox, afirma que esse tipo de site prejudica ‘os interesses dos detentores de direitos autorais em um ou mais trabalhos protegidos por direitos autorais’.


O comunicado, assinado por Edner de Toledo Alves Bastos, gerente de antipirataria na internet da APCM, diz também que ‘os itens estão sendo oferecidos de uma maneira que não é autorizada’ pelos ‘membros [da APCM], agentes ou pela lei’. A reportagem da Folha entrou em contato com Bastos e enviou perguntas por e-mail, mas foi informada de que não haveria resposta da APCM.


Traduza, por favor


Como explicação pelo cancelamento do serviço, o datacenter americano Softlayer enviou por meio de mensagem para o legendas.tv a seguinte explicação: ‘De modo a prevenir mau uso de nossos termos de serviço, bloqueamos o acesso ao IP associado ao relatório de mau uso e solicitamos que este site seja removido da nossa rede’, e retirou o endereço sem ter recebido notificação jurídica.


No mesmo bolo acabaram entrando, posteriormente, o legendando.com.br e o insubs.com, arrancados da rede no último dia 4.


Segundo o principal porta-voz do legendas.tv, que se identifica apenas como Junior Lovesick, o site voltou à internet em versão ‘lite’. ‘O datacenter em que estamos agora é provisório e provavelmente lá não sabem que se trata de um site de legendas; não sabemos ainda como eles lidam com isso’, explica o ‘legender’, que já achou uma empresa que hospedará o site definitivamente.


‘Já o nosso datacenter para valer sabe que se trata de um site de legendas e afirmou que reclamações feitas por entidades de defesa de direitos autorais serão ignoradas’, conta.


De acordo com o advogado Eduardo Senna, especialista em propriedade intelectual, disponibilizar legendas desse tipo é proibido. ‘Do ponto de vista legal, a realização de uma obra derivada precisa de autorização do dono dos direitos autorais da obra, e a tradução é uma obra derivada’, explica.


O troco


O contra-ataque não tardou, e o site da APCM (www.apcm.org.br) foi invadido por hackers que retiraram todo o seu conteúdo do ar e redirecionavam quem o acessava para sites populares -e ilegais- de trocas de arquivos digitais, do tipo ‘torrent’ (até o início da tarde de ontem, o site ainda estava em manutenção).


Em nota, a APCM ameniza o ataque -’uma falha de segurança e devido a isso [o site] foi retirado do ar’. Não se sabe quem são os autores do ataque.


Os serviços de legendas ainda acusam, por meio de blogs e de comunidades em sites de relacionamento, os estúdios de usarem sem autorização legendas feitas por seus integrantes.’


 


 


 


************

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem