Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

JORNAL DE DEBATES > ANNA POLITKOYSKAYA

Suspeitos de assassinato acusados formalmente

19/06/2008 na edição 490

Foram abertas, esta semana, acusações formais contra quatro homens suspeitos de ligação com o assassinato da jornalista russa Anna Politkovskaya, em 2006. Três deles foram acusados de envolvimento com o assassinato e um funcionário do Serviço Federal de Segurança russo enfrenta acusações de extorsão e abuso de poder. Todos continuam presos desde que foram detidos, em agosto do ano passado.


Anna foi morta a tiros na porta de seu prédio em Moscou. Seus colegas acreditam que sua morte esteja relacionada a reportagens sobre abusos de direitos pelas tropas russas na Chechênia. Um suspeito do crime, Sergei Khadzhikurbanov, é ex-policial. Outros dois, os irmãos Dzhabrail e Ibragim Makhmudov, são chechenos.


O comitê de investigação informou que as acusações contra o funcionário da agência de segurança, tenente-coronel Pavel Ryaguzov, estão relacionadas a outros crimes. Não está claro se há alguma conexão com o assassinato de Anna. Anteriormente, autoridades haviam acusado Ryaguzov de ter fornecido o endereço da jornalista aos assassinos.


Também não foi citada a motivação para o crime. Uma investigação separada sobre o suspeito de ter atirado em Anna, Rustam Makhmudov, que permanece solto, continua em andamento. Ele é o mais velho dos irmãos chechenos. Já as acusações contra outros suspeitos foram retiradas.


Investigação comprometida


Colegas de Anna, que trabalhava no diário Novaya Gazeta, acusam as autoridades russas de prejudicar deliberadamente a investigação, ao divulgar detalhes do caso antes de ir a julgamento. Para o editor Dmitry Muratov, o vazamento de informações permitiu que o suspeito de ter atirado em Anna escapasse da prisão.


O governo diz acreditar que o mandante do crime seja alguém de fora da Rússia, com o objetivo de prejudicar o Kremlin. Nas declarações governamentais não são citados nomes, mas especula-se que um dos suspeitos seria o bilionário russo Boris Berezovsky, que em seu país enfrenta acusações de fraude financeira. Berezovsky vive hoje em Londres e é conhecidamente crítico ao Kremlin. O empresário nega a acusação de envolvimento na morte de Anna Politkovskaya. Informações da AP [18/6/08].


 

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem