Domingo, 16 de Dezembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1017
Menu

JORNAL DE DEBATES >

Tempo de mudanças no Wall Street Journal

06/03/2008 na edição 475

Rupert Murdoch deu início à temporada de mudanças no jornal financeiro Wall Street Journal. Dono do império de mídia News Corporation, o magnata nunca escondeu seu interesse especial pelo carro-chefe da Dow Jones, empresa que comprou no ano passado. Em diversas ocasiões, Murdoch afirmou que pretendia expandir o conteúdo do Journal e misturá-lo ao de seus outros negócios.


Para ele, o jornalismo feito pelo diário poderia ser distribuído também pelas outras plataformas do grupo, entre elas o canal Fox News, nos EUA, os serviços por satélite na Europe e Ásia e os jornais na Austrália. Do mesmo modo, conteúdo produzido por outros braços da News Corp – entre eles o estúdio de cinema 20th Century Fox, a editora HarperCollins e o sítio de relacionamentos MySpace – poderia ser aproveitado no Journal.


Mudanças


Por enquanto, a mudança mais aparente é a inserção de uma página de esportes às sextas-feiras. O conteúdo esportivo virá da Stats, serviço de estatísticas que pertence à News Corp em parceria com a Associated Press. Murdoch também pretende investir pesado em uma nova revista para o diário, que será chamada de WSJ e tem lançamento previsto para setembro. Esta semana, o novo editor contratado para o projeto começará uma viagem pela Europa para conversar com anunciantes – os EUA são os próximos na lista.


Antecipando futuros pedidos, os editores já começaram a mudar o formato dos textos e chamadas da primeira página. No processo de compra da Dow Jones, Murdoch afirmou que o jornal tinha muitos textos longos demais. Segundo um repórter – que falou ao Washington Post em condição de anonimidade -, parece que as mudanças no estilo do texto estão sendo feitas para agradar o patrão. Entre as maiores novidades, entretanto, está a transferência da redação do Journal, com seus 750 funcionários, para a base da News Corp, provavelmente ainda este ano.


Bart Simpson


Ainda que, durante a fusão, a possibilidade de Murdoch colocar o dedo no Journal tenha gerado algumas piadas, a News Corp deixou claro que não pretende banalizar a tradicional e respeitada marca do jornal. Nada que impeça algumas brincadeiras: em um episódio dos Simpsons em setembro passado, semanas após o conselho da Dow Jones aprovar a oferta de US$ 5 bilhões de Murdoch, Bart Simpson aparecia escrevendo repetidamente em um quadro negro a frase ‘O Wall Street Journal está melhor do que nunca’. O desenho pertence à Fox, que pertence a Murdoch.


Piadas à parte, o chefe de redação do jornal, Marcus W. Brauchli, diz que a nova relação entre as duas empresas ainda é algo novo. ‘Nós estamos claramente empolgados com as possibilidades de trabalho que teremos com os vários braços da News Corp. Há muitas coisas para que podemos mudar’, afirma. A página de esportes, por exemplo, poderá vir a se tornar diária no futuro, e o sítio do Journal poderá ter vídeos do canal Fox Sports. Clipes de notícias das emissoras da marca Fox já estão no sítio. Do mesmo modo, o sítio do Fox Business Network, canal financeiro lançado por Murdoch no ano passado, tem material do sítio MarketWatch – enquanto repórteres do MarketWatch aparecem no canal. Informações de Frank Ahrens [Washington Post, 5/3/08].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem