Terça-feira, 13 de Novembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1013
Menu

MEMóRIA >

Morre o jornalista Renato Pompeu, aos 72 anos

Por Edison Veiga em 11/02/2014 na edição 785

Morreu na manhã deste domingo, 9, aos 72 anos, o jornalista Renato Pompeu. Ele foi integrante da equipe que fundou o Jornal da Tarde, do Grupo Estado, em 1966 – onde voltaria a trabalhar nos anos 1990. Também atuou na revista Veja, da Editora Abril, – parte do time que criou a revista, em 1968 –, e no jornal Folha de S. Paulo.

Pompeu também trabalhou na agência United Press International (UPI) e na equipe da enciclopédia Larousse-Cultural.

Até a véspera da morte, o jornalista continuava trabalhando diariamente. O último post em seu Blog do Renatão (renatopompeu.blogspot.com.br), mantido por ele desde outubro de 2009, data de sábado, 8. Também assinava uma coluna na revista Caros Amigos e colaborava com o jornal Diário do Comércio.

Ao longo de sua carreira, Pompeu publicou mais de 20 livros, entre eles os romances Quatro-Olhos, de 1976, e A Saída do Primeiro Tempo, de 1978, ambos lançados pela editora Alfa-Omega, e o infantojuvenil A Menina Que Veio das Estrelas, que saiu em 1985 pela Companhia Nacional. Em 2003, publicou pela Ediouro Canhoteiro – O Homem Que Driblou a Glória, biografia do jogador José Ribamar de Oliveira (1932-1974), o Canhoteiro, apontado por muitos como o maior ponta-esquerda do futebol brasileiro.

Ele cursou Ciências Sociais na Universidade de São Paulo – e jamais concluiu. Como jornalista, ganhou um prêmio Esso e três prêmios Abril. Até as 20h deste domingo, a família ainda não havia divulgado onde o corpo seria velado.

******

Edison Veiga, da Agência Estado

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem