Terça-feira, 21 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

MEMóRIA > JOSÉ DOMINGOS RAFFAELLI (1936 – 2014)

Reverenciado pelos músicos

Por Angela Boldrini em 06/05/2014 na edição 797
Reproduzido da Folha de S.Paulo, 4/5/2014

O jornalista e radialista carioca José Domingos Raffaelli era um dos grandes críticos especializados em jazz e música instrumental no Brasil.

Durante sua carreira, iniciada nos anos cinquenta, trabalhou em grandes veículos, como o “Jornal do Brasil”, de 1972 a 1987, e “O Globo”, de 1987 a 2002.

Segundo o colega de trabalho Mauro Ferreira, o crítico sempre foi muito respeitado pelos músicos, por seu conhecimento técnico da música instrumental. “Ele identificava referências embutidas nos arranjos, ia sempre com precisão,” disse.

Segundo a Associação Brasileira de Imprensa, Raffaelli é o autor do primeiro texto sobre bossa-nova a ser publicado em jornais brasileiros, em 1959, no “Última Hora”, de Samuel Wainer.

Ganhador do prêmio de melhor crítico de jazz fora do dos EUA pela Internacional Association of Jazz Educators (IAJE), em 1999, o jornalista nunca deixou de ser uma pessoa reservada e querida pelos colegas de profissão.

“Seu conhecimento era grande, mas seu coração era maior ainda,” lembra Ferreira. “Eu era um crítico de vinte e poucos anos, imaturo, e ele sempre me incentivou, o que é raro.”

Artistas prestaram homenagens ao crítico carioca em seus perfis nas redes sociais. O compositor de MPB Ed Motta postou, em seu perfil do Twitter condolências à família do “jornalista que mais sabia de jazz no Brasil”.

José Domingos Raffaelli morreu no sábado, dia 26 de abril, aos 77 anos, vítima de um melanoma na região da coluna, segundo informado por seu filho Flávio.

******

Angela Boldrini, para a Folha de S.Paulo

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem