Sábado, 07 de Dezembro de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1066
Menu

MEMóRIA >

Jornalista e referência na crítica gastronômica

Por Pedro Ivo Tomé em 09/06/2015 na edição 854

Comer caquis com Pierre Cardin, 92, em uma feira no Rio não estava nos planos da jornalista Danusia Barbara Jurczynska Nunes Barbosa, mas a demora do fotógrafo que iria retratar o estilista durante a entrevista acabou motivando o passeio pelas ruas.

Um fotógrafo lambe-lambe a salvou, e a conversa com a lenda da moda foi publicada, assim como outras que teve com Charles Aznavour, Carlos Drummond de Andrade, Darcy Ribeiro, entre outros.

Estudiosa desde a infância, a carioca sempre se interessou pelas artes –dança e moda, principalmente–, assuntos sobre os quais escrevia nos veículos em que trabalhou.

Era formada em letras e em direito, e mestra pela UFRJ (federal do Rio) com tese pioneira comparando a literatura infantil do inglês Lewis Carrol à de Monteiro Lobato.

Trabalhou nos cadernos de cultura do “Jornal do Brasil” e de “O Globo”. Nos anos 1970, relatou os churrascos feitos por moradores da região ao redor do estádio do Maracanã em dias de jogos, embrião das reportagens sobre gastronomia que iriam lhe trazer fama.

O “Guia Danusia Barbara de Restaurantes do Rio”, publicado por anos, tornou-se referência no tema. Criticava o lugar-comum de que se come mal em Londres: amava os restaurantes de lá e o hábito de tomar chá, principalmente em dias nublados.

Em 2010, a falta de concentração durante os programas na rádio CBN foi o alerta para a doença neurológica degenerativa que a impediu de dançar o samba que tanto amava.

Morreu no dia 27 de maio, aos 67 anos. Deixa dois filhos, dois netos, o irmão e o ex-marido, seu grande amigo.

***

Pedro Ivo Tomé, da Folha de S.Paulo

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem