Quinta-feira, 23 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

MEMóRIA > ROBERTO TALMA (1949-2015)

Morre, aos 65, diretor da TV Globo

Por ‘FSP’ em 28/04/2015 na edição 848
Reproduzido da Folha de S.Paulo, 24/4/2015; título original “Morre, aos 65, diretor da TV Globo Roberto Talma”

O diretor e produtor da Globo Roberto Talma morreu na madrugada desta quinta-feira (23/4), no Rio, aos 65 anos em decorrência de insuficiência renal crônica e doença arterial coronariana. Ele estava internado desde 2 de março.

Talma esteve à frente de vários sucessos da Globo, que completa 50 anos no domingo (26). Ele trabalhou em novelas como “Que Rei Sou Eu?” (1989), “Rainha da Sucata” (1990) e “Água Viva” (1980), passou pelo “Domingão do Faustão” e participou da criação de “Malhação”, em 1995.

Seu corpo será velado neste sábado (25), às 11h, no cemitério Memorial do Carmo, no Rio. A cremação será no mesmo dia, às 15h.

Nascido em São Paulo em 29 de abril de 1949, Talma fez seu primeiro trabalho na TV aos nove anos, como parte de um grupo de sapateado que se apresentava no “A Grande Gincana Kibon”, da Record.

Trabalhou como operador de videoteipe, integrando o núcleo de jornalismo da Globo em 1969. Participou do “Jornal Nacional”, fez parte da primeira equipe do “Fantástico” e editou programas como “Globo Repórter” e o musical “Globo de Ouro”.

Em 1972, estreou na dramaturgia como codiretor da novela “Selva de Pedra”, de Janete Clair. Três anos depois, fez seu primeiro trabalho como diretor, em “O Grito”. Em 1976, dirigiu “Saramandaia”.

Na década de 80, Talma passou a dirigir shows especiais da Globo. Em 1983, assumiu o cargo de diretor-executivo da Central Globo de Produção. Nesse período, criou “Armação Ilimitada” (1985) e “Anos Dourados” (1986).

Talma deixou a Globo em 1995 e criou uma produtora. Quatro anos depois, retornou à emissora, assumindo o núcleo de programas infantis.

Sofreu um infarto em 2002, mas voltou meses depois à TV. Em 2012, passou por uma angioplastia para a colocação de stents, mola que dilata artéria que irriga o coração.

Seu núcleo de produção fez, nos últimos anos, “Vida Alheia” (2010), “O Astro” (2011), “Aquele Beijo” (2011), “Gabriela” (2012) e “Pé na Cova” (2013). O autor de novelas Walcyr Carrasco, que trabalhou com Talma em “Gabriela”, disse no Twitter que, com a morte de Talma, “se vai uma era da TV brasileira”.

O ator André Marques, o Mocotó de “Malhação”, lembrou no Instagram que foi por causa do diretor que acabou fazendo o teste para o personagem na novela, em 1994.

Talma, que foi casado com a atriz Maria Zilda, deixa três filhos: Raphael, Stephan e Matheus.

 

 

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem