Quinta-feira, 22 de Agosto de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1051
Menu

MEMóRIA >

O talento

Por Janio de Freitas em 09/02/2011 na edição 628

O Reynaldo Jardim morto ontem [2/2] foi um dos jornalistas mais injustiçados do Brasil. Sua criatividade sem limite e incessante deixou legados que não lhe foram reconhecidos na medida própria, quando o foram em alguma medida.

 

Caso do Suplemento Dominical do Jornal do Brasil, o célebre e celebrado SDJB, vanguarda em todos os sentidos, criado e sempre editado por Reynaldo (em associação com Ferreira Gullar), mas só nos últimos tempos retirado, por uma ou outra pesquisa, de falsos criadores.

 

Muitas das criações de Reynaldo Jardim nem são citadas, como a revolução que fez no rádio de estúdio, quando dirigiu a Rádio JB, e hoje tem traços marcantes em toda a radiofonia brasileira.

 

Poeta original, Reynaldo Jardim fez há pouco, como se pressentindo a urgência, uma espécie de vasta antologia de sua obra poética, sob o título característico de Sangradas Escrituras. Escultor, cronista, gráfico, Reynaldo Jardim foi amigo generoso e afetuoso. Talento mais do que iluminado.

******

Jornalista, colunista da Folha de S.Paulo

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem