Grupo Tribune tenta vender seus jornais | Observatório da Imprensa - Você nunca mais vai ler jornal do mesmo jeito
Domingo, 19 de Agosto de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1000
Menu

MONITOR DA IMPRENSA > FUSÕES E AQUISIÇÕES

Grupo Tribune tenta vender seus jornais

18/12/2012 na edição 725
Tradução: Jô Amado (edição de Larriza Thurler)

A empresa Tribune Co., proprietária falida do Chicago Tribune, do Los Angeles Times e de seis outros jornais, está entrevistando banqueiros numa tentativa de vender suas publicações, segundo duas pessoas que acompanham o assunto. A Tribune Co. está procurando um consultor para uma possível venda depois que a empresa sair da falência, o que está previsto para acontecer até 31 de dezembro, segundo as mesmas pessoas, que pediram para manter o anonimato, pois as discussões são particulares. Segundo uma pessoa próxima a Rupert Murdoch, presidente e principal executivo da News Corporation, este tem planos de examinar cuidadosamente os jornais pertencentes à Tribune Co. assim que estes estejam disponíveis.

Vender alguns dos jornais da Tribune Co. traria um fluxo de dinheiro à empresa, após quatro anos de bancarrota. Segundo Reed Phillips, sócio do banco de investimentos DeSilva & Phillips LLC, os novos proprietários talvez queiram preservar os maiores jornais, como o de Los Angeles e o de Chicago, e tentar vender os menores imediatamente. “Eles irão olhar para os ativos disponíveis e começarão a avaliá-los em dinheiro”, disse Phillips. Gary Weitman, porta-voz da Tribune Co., que tem sede em Chicago, e Nathaniel Brown, porta-voz da News Corp. em Nova York, não quiseram fazer comentários a Edmund Lee e Serena Saitto, do The Washington Post [11/12/12].

Umacompra de US$ 8,3 bilhões

Em novembro, a Tribune Co. recebeu a aprovação por parte da Comissão Federal de Comunicações (FCC, sigla em inglês) para transferir suas licenças de televisão e de rádio para novos proprietários – que incluem JPMorgan Chase & Co. e os fundos de cobertura Oaktree Capital Management e Angelo, Gordon & Co. –, o que significaria o último obstáculo para sair da bancarrota.

O juiz Kevin Carey, do tribunal de causas falimentares, aceitou a proposta da Tribune Co. de dividir a propriedade do jornal e da televisão entre os credores, em julho. Murdoch, de 81 anos, manifestou interesse em examinar alguns dos jornais da Tribune Co. de maior circulação. A News Corp. vai se separar em duas empresas – uma focado em entretenimento e a outra em jornais e publicações. A nova empresa, que nasce sem quaisquer débitos pendentes, pode dar a Murdoch a possibilidade de adquirir jornais.

A Tribune Co. tem oito jornais diários, 23 estações de televisão e participação em mais de 50 sites, inclusive o CareerBuilder.com. A empresa foi à falência depois que Sam Zell, um bilionário do setor imobiliário, orquestrou a compra da companhia por 8,3 bilhões de dólares (cerca de R$ 17,2 bilhões), pouco antes da recessão global que fez os preços na publicidade de impressos despencarem e devastarem a indústria jornalística.

Zell levou a empresa à falência em dezembro de 2008, quando foi travada uma luta judicial entre acionistas que detinham o débito da Tribune anterior à venda e os emprestadores, que fundaram a empresa incorporada. Um acordo aprovado pelo tribunal de causas falimentares permitiu que antigos credores tentassem recuperar parte de suas perdas processando acionistas e gerentes, inclusive Zell.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem