Quarta-feira, 26 de Setembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1006
Menu

MONITOR DA IMPRENSA > SAM GARDINER

Adolescente finge ser jornalista e arrebanha 20 mil seguidores no Twitter

04/02/2014 na edição 784

Tradução: Fernanda Lizardo, edição de Leticia Nunes. Com informações do BBC Trending – relato de Sam Gardiner [“How I posed as a football journalist on Twitter and fooled the world”, BBC, 1/2/14]

Um estudante londrino de 16 anos enganou o mundo ao se passar por um jornalista esportivo. Sam Gardiner conquistou mais de 20 mil seguidores no Twitter, incluindo inúmeros jornalistas e uma série de jogadores de futebol britânicos. Gardiner publicou entrevistas imaginárias com atletas, inventou rumores de transferências iminentes de jogadores e fingiu que transmitia partidas ao vivo dos estádios.

Mas por que ele fez isso? Gardiner estava cansado de ser um adolescente que “ninguém levava a sério”. Por isso, criou no Twitter o perfil de um “olheiro de futebol que virou jornalista” chamado Dominic Jones, e ilustrou a página com uma fotografia aleatória copiada da internet.

Sua grande chance veio em novembro de 2012, quando previu corretamente a demissão do treinador do Chelsea, Roberto Di Matteo, um dia antes dela acontecer. Com a previsão certeira, seu alter ego logo causou um estardalhaço e sua identidade começou a ser questionada. Implacável, Gardiner simplesmente trocou a foto do Twitter, o nome e as informações pessoais, assumindo um novo personagem: desta vez ele era “Samuel Rhodes”, um jornalista esportivo freelancer que escrevia para publicações de prestígio como o Daily Telegraph e o Financial Times.

Estratégia sofisticada

Gardiner determinou para si arrebanhar 50 mil seguidores e por isso aperfeiçoou uma sofisticada estratégia de mídias sociais. O adolescente estudou e copiou o estilo de jornalistas reais bem-sucedidos no Twitter – que fazem “uma mistura de humor, opinião, boatos e estatísticas”, segundo ele. Gardiner também se preocupava em publicar seus textos em horários de pico, enviando teasers 30 minutos antes de cada tweet e interagindo com seus seguidores mais importantes. “Minha motivação não era enganar deliberadamente as pessoas, mas publicar minhas opiniões na maior plataforma possível e espalhá-las pelo mundo”, disse o jovem à BBC.

A falsa identidade do estudante veio a público no início de janeiro, ao ser denunciado por um funcionário de um de seus pretensos empregadores. O jornalista esportivo Mark Ogden, do Daily Telegraph, publicou em sua conta no Twitter: “Só para confirmar, @SamuelRhodes_ não trabalha para o Telegraph, então desconsiderem qualquer coisa que ele disser. Não faço ideia de quem ele seja”.

Just to confirm, @SamuelRhodes_ does not work for the Telegraph, so disregard anything he tweets. No idea who he is.

— Mark Ogden (@MOgdenTelegraph) January 5, 2014

A conta falsa de Sam Gardiner foi suspensa pela administração do próprio Twitter. Hoje, ele mantém uma conta pessoal (com sua identidade verdadeira), que, antes de ser entrevistado pela BBC, tinha 150 seguidores. Na segunda-feira (3/2), já contava com quase 500.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem