Domingo, 18 de Fevereiro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº974

MONITOR DA IMPRENSA > DIREITOS AUTORAIS

Getty Images disponibiliza banco de imagens online

11/03/2014 na edição 789
Tradução: Pedro Nabuco, edição de Leticia Nunes. Informações de Oliver Laurent [“Getty Images makes 35 million images free in fight against copyright infringement”, British Journal of Photography, 5/3/14]

A agência fotográfica Getty Images irá disponibilizar seu arquivo – que tem 35 milhões de imagens – gratuitamente através de um serviço de embed, que irá permitir que as fotos sejam incorporadas, de forma não comercial, aos sites num formato similar ao que o YouTube utiliza para disponibilizar seus vídeos em outras páginas.

Segundo Craig Peters, vice-presidente sênior de desenvolvimento de negócios, conteúdo e marketing, com o crescimento da internet e a mudança dos hábitos dos usuários, a agência não conseguia mais ter tanto controle sobre seu conteúdo. Assim, decidiu retirar a marca d’água de parte de suas coleções. “Hoje em dia, todo mundo consegue publicar algo graças às redes sociais. É incrivelmente fácil encontrar conteúdo online e, com um simples clique com o botão direito, utilizá-lo”, afirma.

Ctrl C + Ctrl V

Nos últimos anos, a Getty Images descobriu que seu conteúdo era muito usado dessa maneira na web – e sem a marca d’água nas fotos. Muitas vezes, o usuário encontrava as imagens – limpas – em sites que eram clientes da agência ou através de buscas em sites de pesquisa. A partir daí era só salvá-las e postá-las onde bem entendesse.

Foi para resolver esse problema que a agência resolveu adotar a estratégia pouco convencional. “Nós estamos lançando a possibilidade de embutir as nossas imagens para uso não comercial online,” explica Peters.

Isso quer dizer que qualquer usuário poderá visitar a biblioteca de conteúdo da Getty e selecionar e copiar um código HTML para utilizar a imagem no seu site. A ferramenta também irá acrescentar nas imagens o crédito e um link para a página de licenciamento da agência.

Ciente da possível controvérsia que o anúncio poderia causar, Peters afirmou que a agência não tinha outra opção a não ser disponibilizar seu banco de imagens. “O que nós temos visto é uma quantidade significativa de violação online nessa área. Infelizmente, nós não conseguimos controlá-la porque é assim que a internet se desenvolveu. O que nós estamos tentando fazer é disponibilizar um método legal para que isso ocorra e também beneficie os donos de nosso conteúdo”. Mas ele ressalta que, assim como ocorre no YouTube, as imagens embutidas da Getty deverão, no futuro, trazer anúncios publicitários.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem