Jornal britânico permite que polícia publique matéria em seu site | Observatório da Imprensa - Você nunca mais vai ler jornal do mesmo jeito
Sábado, 18 de Agosto de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1000
Menu

MONITOR DA IMPRENSA > PARCERIA

Jornal britânico permite que polícia publique matéria em seu site

18/03/2014 na edição 790
Tradução: Pedro Nabuco, edição de Leticia Nunes. Informações de Roy Greenslade [“Newspaper ill-advised to let police post their own online story”, The Guardian, 14/3/14]

Um jornal da pequena cidade de Torquay, no sul da Inglaterra, permitiu que a polícia local publicasse em seu site uma matéria acusando um homem – com direito a foto – de roubo. O editor do Torquay Herald Express, Jim Parker, afirmou que a “parceria” foi uma maneira de manter a boa relação do jornal com a polícia. O texto, que tratava de um roubo que aconteceu em uma biblioteca da cidade, questionava “Quem é esse homem?”, junto com a foto de uma pessoa na biblioteca. Segundo a polícia, o homem tinha roubado uma bolsa deixada no chão por uma vítima distraída.

 

 

A matéria, porém, não trazia nenhum fato que comprovasse a acusação. Mesmo sem nenhuma prova de que o homem na fotografia fosse nada além de um possível suspeito, o artigo foi aclamado – tanto pela polícia quanto pelo jornal – como um momento histórico. A polícia anunciou no Twitter: “Nós acabamos de publicar nossa própria matéria no site do @TQHeraldExpress com uma foto. Incrível”. Já o editor Jim Parker ressaltou que a iniciativa abria “novos caminhos de se comunicar e fornecer mais conteúdo útil para o nosso site e nosso jornal semanal”.

“Claramente, a polícia não conhece muito de legislação de mídia”, criticou o professor de jornalismo e colunista do Guardian Roy Greenslade, ressaltando que o texto trata de uma alegação, não de um fato, e que, sem provas, o homem da foto deveria, no máximo, ser tratado como suspeito, não como criminoso.

Já David Montgomery, executivo-chefe da Local World, editora que publica o jornal, não vê problemas na iniciativa. Para ele, o principal papel dos jornalistas, no futuro, será moldar conteúdo gerado por usuários em “formatos atraentes”.

Greenslade avalia que este tipo de parceria é possível – e até bem-vinda – em outras áreas, mas com questões policiais deveria ser diferente. “De verdade, eu acho que o Herald Express e a Local World deveriam pensar mais a fundo sobre permitir à polícia acesso liberado a seus sites”, completa o professor.

Nota do OI: Esta semana, a página da matéria assinada pela polícia no Herald Express foi removida.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem