Em plano para 2014, AP defende maior acesso à Casa Branca | Observatório da Imprensa - Você nunca mais vai ler jornal do mesmo jeito
Terça-feira, 21 de Agosto de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1000
Menu

MONITOR DA IMPRENSA > COBERTURA POLÍTICA

Em plano para 2014, AP defende maior acesso à Casa Branca

25/03/2014 na edição 791
Tradução: Fernanda Lizardo, edição de Leticia Nunes. Com informações de Donna Bryson [“AP pushes bid for independent coverage of Obama”, Associated Press, 18/3/14]

A Associated Press expôs, em uma convenção para discutir a indústria jornalística nos EUA, seus esforços para ampliar a cobertura independente da Casa Branca e de um governo considerado hipersensível a respeito da própria imagem. A AP e outros veículos já haviam protestado contra a proibição rotineira de fotógrafos a eventos oficiais do presidente Barack Obama. Na convenção mediaXchange 2014, na semana passada, a correspondente da AP na Casa Branca, Julie Pace, e o fotojornalista Charles Dharapak apresentaram seus pontos de vista sobre o assunto.

De acordo com os jornalistas, a Casa Branca de Obama normalmente impede a cobertura da imprensa durante reuniões com líderes estrangeiros e em outros eventos, mas em seguida libera imagens tiradas pelo fotógrafo oficial. “Quando faz isso, o órgão está reconhecendo que os eventos interditados aos jornalistas são de interesse público”, argumentaram. Dharapak classificou este tipo de material de “press release visual”, que normalmente exclui detalhes que os jornalistas buscariam mostrar.

Há negociações em curso para maior acesso de fotógrafos aos eventos que a Casa Branca considera privados. “Nós não os culpamos por usar este método de alcance social”, disse Dharapak em uma entrevista concecida após sua apresentação. “Apenas não fechem a imprensa independente. Uma vez que, se perdermos o acesso, nunca mais vamos recuperá-lo”.

Contra o uso de press releases

A AP tem uma política contra o uso de fotos fornecidas pela própria Casa Branca, a menos que sejam de valor jornalístico significativo e que tenham sido realizadas em locais onde o acesso da imprensa não é esperado, como áreas particulares da residência oficial, por exemplo.

Em uma campanha contra a prática do governo, a ASNE e a APME, duas associações de editores dos EUA, pediram a seus membros para parar de usar fotos e vídeos fornecidos pela Casa Branca, dizendo que isto equivaleria a propaganda. Por outro lado, Josh Earnest, porta-voz de Obama, alega que estes materiais permitem maior acesso do público ao funcionamento interno da administração.

Convenção

A convenção anual mediaXchange, organizada pela Associação de Jornais da América (NAA, na sigla em inglês), foi realizada de 16 a 19/3 em Denver, no Colorado, reunindo executivos da indústria nos EUA. A AP apresentou suas diretrizes e planos para 2014. As iniciativas da agência para este ano incluem cobertura mais intensa do governo, uma colaboração mais estreita com os associados para assegurar que a cobertura de notícias seja mais relevante para eles, e a liberdade para que associados tenham acesso aos bancos de dados da AP para destacar os interesses locais em histórias de âmbito nacional.

Leia também

Casa Branca recebe críticas e boicote por impedir acesso de fotojornalistas

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem