Domingo, 18 de Novembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1013
Menu

MONITOR DA IMPRENSA >

Maioria em países emergentes apoia internet sem censura

25/03/2014 na edição 791

Uma pesquisa realizada pelo Pew Research Center em 24 países emergentes concluiu que a maioria da população apoia uma internet livre de censura governamental. A organização entrevistou 21.847 pessoas, perguntando “Quão importante é, para você, que as pessoas tenham acesso à internet sem a censura do governo?”.

Entre as opções de repostas estavam “muito importante”, “um pouco importante”, “não muito importante” e “sem nenhuma importância”. De acordo com o relatório do Pew, “a maioria em 22 dos 24 países que participaram da pesquisa disse que é importante que as pessoas tenham acesso à internet sem censura por parte do governo. Em 12 países, sete em dez pessoas deram essa resposta.”

Apenas em Uganda (49%) e no Paquistão (22%) as respostas favoráveis à liberdade na internet ficaram abaixo dos 50%, o que sugere que a maioria da população desses dois países não vê a censura na rede como uma questão preocupante.

Segundo a pesquisa, na América Latina a oposição a qualquer tipo de restrição na internet é muito comum. O relatoria do Pew Research Center também concluiu que o apoio à liberdade na rede costuma ser mais forte em países com uma alta taxa de penetração online, e mais fraco em países com baixa penetração, como a Indonésia (55%).

A Venezuela aparece com o maior índice de apoio à liberdade online, com 89% entre os entrevistados, seguido pelo Líbano, com 86%. O Brasil ficou empatado com a Argentina, com 80%. O estudo também concluiu que pessoas na faixa entre 18 e 29 anos estão mais dispostas a acreditar na importância da internet sem censura do que aquelas acima dos 50 anos.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem