Quarta-feira, 22 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

MONITOR DA IMPRENSA > O FUTURO DO JORNALISMO

BBC deve investir em plataformas digitais para aumentar audiência

27/05/2014 na edição 800
Tradução: Fernanda Lizardo, edição de Leticia Nunes. Com informações de Tara Conlan [“BBC News should learn lessons from Buzzfeed in digital strategy”, The Guardian, 22/5/14]

Em 2022, a BBC pretende alcançar uma audiência global de 500 milhões de pessoas com a BBC News e a BBC Worldwide, principalmente na internet. Para bater meta tão ambiciosa, o diretor da central de notícias da BBC News, James Harding, encomendou a Sir Howard Stringer – diretor da BBC que tem sido apontado como futuro presidente da rede britânica – um relatório com propostas.

Stringer criticou a presença da BBC na web, dizendo que ela tem “o tom neutro de um boletim de notícias” em comparação à presença vibrante de seus rivais das mídias sociais. Ele basicamente frisou a importância do site BuzzFeed, que tem dominado o conceito de compartilhamento social, mesmo tendo apenas oito anos de existência.

“Embora a BBC seja a empresa de notícias mais twittada globalmente, isto não se traduz automaticamente em cliques no website, tal como acontece com o BuzzFeed”, disse Stringer. “O dilema para a BBC é como transformar este reconhecimento em algo de maior alcance”.

Mudança de foco

O diretor afirmou que o alcance digital geral da BBC News e da BBC Worldwide fora do Reino Unido em março foi de cerca de 150 milhões – mais do que a CNN, porém “menos do que o pico de 160 milhões do BuzzFeed e o mesmo que a audiência mensal do Daily Mail online.”

Stringer alega que, fundamentalmente, a BBC precisa mudar seu foco – que atualmente coloca a radiodifusão tradicional em primeiro lugar – e priorizar o acesso via celular. Espera-se que, em 2022, o acesso à BBC pelo celular seja prioritário em todos os países. O diretor também sugeriu à BBC construir parcerias com operadoras de telefonia móvel e fabricantes de celulares, para que aplicativos da BBC News venham pré-instalados nos aparelhos.

“Estimulante e ambicioso”

De acordo com Liliane Landor, diretora em exercício do BBC World Service Group, o relatório foi muito bem acolhido no grupo. “É estimulante e ambicioso, e faz questionamentos revigorantes e por vezes provocativos à BBC. À medida que formos construindo os serviços globais de notícias da BBC, vamos avaliar atentamente as propostas do relatório.”

Ela reiterou, no entanto, que o relatório não é um projeto propriamente dito, e sim um documento com ideias para livre escolha, que podem ser adotadas ou não. “Todas as ideias apresentadas vão ajudar a ampliar o debate sobre a melhor forma de servir aos nossos diferentes públicos. Vamos continuar a aproveitar as mídias sociais, bem como focar em mercados digitais e de telefonia móvel, e adaptar nosso jornalismo em conformidade”, disse.

Stringer destacou que a BBC não vai bater sua meta de audiência de 500 milhões de pessoas se mantiver sua oferta digital do jeito que está hoje.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem