Agências criticam cobrança por retransmissão do evento | Observatório da Imprensa - Você nunca mais vai ler jornal do mesmo jeito
Quarta-feira, 15 de Agosto de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1000
Menu

MONITOR DA IMPRENSA > 70 ANOS DO DIA D

Agências criticam cobrança por retransmissão do evento

03/06/2014 na edição 801
Tradução: Pedro Nabuco, edição de Leticia Nunes. Informações da Associated Press [“France restricts coverage of D-Day anniversary”, 30/5/14] e Yahoo News [“News agencies cry foul over TV rights to D-Day events”, 30/5/14]

Milhões de pessoas podem ser privadas de assistir às comemorações do aniversário de 70 anos do Dia D – dia do desembarque na Normandia pelos Aliados durante a Segunda Guerra Mundial – devido a uma decisão de governo francês de ceder os direitos de transmissão do evento para duas redes francesas de televisão que teriam dedicido cobrar altos valores para agências de notícias internacionais pela retransmissão.

A rede pública France Televisions e a emissora privada TF1 receberam do governo francês os direitos de transmissão do evento do dia 6 de junho, que receberá 19 chefes de Estado, entre eles o presidente Barack Obama e a rainha Elizabeth II. Em uma decisão sem precedentes, no entanto, os canais teriam decidido cobrar cerca de 200 mil euros de agências de notícias como AP, Reuters e AFP para que possam retransmitir a cerimônia ao vivo – inclusive na internet.

As agências, que fornecem material para milhares de organizações de notícias ao redor do mundo, protestaram da cobrança de altos valores para a transmissão de um evento histórico. Um de seus argumentos é que milhares de veteranos que participaram do Dia D e não têm condições físicas e financeiras de viajar para a Normandia serão privados de assistir à cerimônia.

Protesto

As agências apresentaram um protesto formal ao governo francês solicitando que o acesso a um evento histórico global dessa importância seja gratuito para todas as organizações de notícias. “A comercialização deste evento histórico é chocante”, declarou o diretor de jornalismo global da AFP, Philippe Massonnet. Segundo ele, as restrições impostas a agências internacionais para a cobertura das comemorações do Dia D são “incompreensíveis”.

De acordo com representantes da TF1 e da TV pública francesa, o valor pedido estaria muito abaixo dos 200 mil euros citados pelas agências. Yannick Letranchant, da France Televisions, afirmou que o acesso para uma agência de notícias custaria cerca de 32 mil euros para o dia completo.

Em meio à controvérsia, o governo francês divulgou uma declaração afirmando que “todos os telespectadores em todo o mundo terão acesso direto e total a todas as imagens das cerimônias do dia 6 de junho”. A nota dizia que canais estrangeiros terão acesso às imagens gratuitamente.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem