Sábado, 22 de Setembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1005
Menu

MONITOR DA IMPRENSA > THE INTERCEPT

Forças Armadas dos EUA proíbem acesso ao site de Glenn Greenwald

26/08/2014 na edição 813
Tradução: Pedro Nabuco, edição de Leticia Nunes. Informações de Ryan Gallagher [“U.S. Military Bans The Intercept”, The Intercept, 20/8/14]

As Forças Armadas dos EUA proibiram o acesso de seus funcionários ao site de jornalismo investigativo The Intercept, criado pelo jornalista Glenn Greenwald, que ficou conhecido por ter revelado as informações secretas vazadas pelo ex-analista da NSA Edward Snowden.

De acordo com fontes militares, um aviso tem circulado na Marinha, Aeronáutica e Exército alertando aos funcionários que estão proibidos de ler artigos publicados pelo Intercept; a justificativa é que eles podem conter informações classificadas como confidenciais. O banimento vale para todos os funcionários, até mesmo aqueles que têm permissão para visualizar informações consideradas ultrassecretas.

Segundo o aviso, obtido pelo Intercept, aqueles que forem pegos visualizando informações secretas disponíveis em domínio público serão punidos. A proibição parece ter sido ordenada por oficiais preocupados com um possível novo vazamento de material confidencial.

Esta não é a primeira vez que as Forças Armadas dos EUA tentam proibir que seus funcionários acessem sites de notícias. Em 2013, o Exército admitiu que estava bloqueando o acesso a partes do site do jornal britânico The Guardian após a publicação de documentos vazados por Edward Snowden. Em 2010, o WikiLeaks e outras organizações similares foram bloqueadas após publicarem documentos diplomáticos vazados do Departamento de Estado americano.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem