Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº969

MONITOR DA IMPRENSA > PROFISSÃO PERIGO

Primeira morte de jornalista em 2015 foi registrada no Iêmen

13/01/2015 na edição 833
Tradução: Fernanda Lizardo, edição de Leticia Nunes. Com informações de Roy Greenslade [“Yemeni reporter killed - the first journalistic fatality of 2015”, The Guardian, 7/1/15]

Khalid Mohammed al Washali, correspondente do canal de TV iemenita Al-Masirah, foi o primeiro jornalista morto em 2015. O repórter foi uma das quatro vítimas da explosão de uma bomba em uma estrada em Dhamar, cidade ao sul da capital do Iêmen, Saná. O ataque foi supostamente realizado pela Al-Qaeda na Península Arábica (AQAP). As outras três vítimas eram membros de uma força policial local criada pela milícia dos Houthi (seita xiita do Islã).

O Sindicato dos Jornalistas do Iêmen e a Federação Internacional de Jornalistas (FIJ) emitiram um comunicado fazendo um apelo para que os responsáveis sejam levados à justiça. A FIJ também pediu que o líder dos Houthi, Abdul-Malik al-Houthi, retirasse suas forças das empresas jornalísticas atualmente ocupadas pelo grupo – dentre elas o al-Thawra, maior jornal estatal do Iêmen.

Esta é a segunda morte de um jornalista pela AQAP no Iêmen em menos de um mês. Em dezembro de 2014, o fotojornalista Luke Somers foi morto por sequestradores depois de ser mantido em cativeiro durante mais de um ano. Seu assassinato ocorreu durante uma tentativa frustrada de resgate por parte de forças especiais americanas.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem