Sexta-feira, 24 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

MONITOR DA IMPRENSA > FOTOJORNALISMO

Britânico quer documentar histórias impactadas pela guerra

03/03/2015 na edição 840
Tradução e edição: Leticia Nunes. Com informações de Giles Duley [“Photography: The Legacy of War”, The Guardian, 1/3/15]

O fotógrafo britânico Giles Duley foi gravemente ferido na explosão de uma mina terrestre no Afeganistão, em 2011. No incidente, ele perdeu as duas pernas e o braço esquerdo. Quatro anos depois, Duley planeja um projeto, via financiamento coletivo, para documentar os custos a longo prazo dos conflitos e guerras em diferentes partes do mundo.

“O que acontece com os países e seus habitantes quando uma guerra termina? Esta é uma questão que está na minha cabeça desde que comecei a fotografar temas humanitários e conflitos, há mais de uma década. Podemos dizer que uma guerra chegou ao fim se as pessoas continuam a morrer e as vidas continuam despedaçadas décadas após a assinatura de tratados de paz?”, questiona ele em artigo no Guardian.

Contador de histórias

Batizado de “Legacy of War” (Legado da Guerra), o projeto tem como objetivo o registro, durante dois anos, dos efeitos a longo prazo de conflitos em 14 países – como Vietnã, Angola, Líbano, Irlanda do Norte e Egito. O fotojornalista quer tratar de temas ligados a vítimas de guerras, como estresse pós-traumático, refugiados, violência sexual e a reabilitação de soldados mirins. A ideia de Duley é reunir o material fotográfico e as histórias dos personagens fotografados em um livro e uma exposição.

“Legacy of War é o clímax do meu trabalho e da minha vida. [O projeto] representa tudo em que eu acredito e sempre esperei alcançar através da minha fotografia e da minha escrita”, escreve ele na apresentação. “Este será, provavelmente, meu último projeto a longo prazo no exterior, e é, de longe, o mais importante para mim. Minha própria vida foi profundamente afetada por um conflito, mas minha experiência não é nada comparada à daqueles que eu fotografo. Eu me vejo como um contador de histórias e, para mim, estas são as histórias mais importantes que eu posso contar”.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem