Domingo, 24 de Setembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº958

MONITOR DA IMPRENSA > GRANDE MURALHA DA INTERNET

Reuters é mais nova vítima da censura chinesa

24/03/2015 na edição 843
Tradução e edição: Leticia Nunes. Informações da Reuters [“Reuters Websites Blocked In China”, Huffington Post, 20/3/15] e de Doug Young [“Chinese Fire Wall Slams Down On Reuters”, Forbes, 23/3/15]

Os sites jornalísticos da agência Reuters em inglês e chinês foram tirados do ar na China na sexta-feira [20/3]. Não se sabe o motivo oficial, mas o acesso a páginas de grandes organizações de notícias é, por vezes, bloqueado no país, principalmente após a publicação de artigos que tratam de questões consideradas sensíveis pelo governo chinês.

Para o correspondente Doug Young, da Forbes, a censura à Reuters ocorreu por conta do encerramento do Congresso Nacional do Povo, reunião anual do parlamento chinês controlado pelo Partido Comunista que discute as questões prioritárias para o próximo ano. “Reportagens negativas na mídia doméstica são, em grande parte, proibidas durante este período, e veículos estrangeiros que publicam tais reportagens também podem sofrer algum tipo de reação dos censores de Pequim”, afirma.

Young nota que o número de veículos de mídia estrangeiros acessíveis na China está diminuindo rapidamente. “O Google News, uma das minhas fontes de notícias favoritas, tem sido amplamente bloqueado nos últimos meses, como parte de uma campanha chinesa mais ampla para desabilitar muitos dos sites e serviços do Google. Tanto o New York Times quanto a Bloomberg estão bloqueados há mais de dois anos, e o Yahoo foi brevemente bloqueado no ano passado”, contabiliza.

Os sites do New York Times e da Bloomberg News foram cortados depois de controvérsias envolvendo a publicação de artigos sobre a riqueza de parentes de membros do governo e a revelação de autocensura por parte de veículos ocidentais. Autoridades chinesas também passaram a dificultar a renovação de vistos para jornalistas das duas organizações e o presidente Xi Jinping chegou a criticar, durante uma visita de Barack Obama, a imprensa estrangeira, afirmando que os profissionais que não conseguem a renovação ou obtenção de visto são culpados da situação. “Os meios de comunicação precisam obedecer às leis e regulamentos da China”, ressaltou, na ocasião.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem