Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº969

MONITOR DA IMPRENSA > THALÍA SODI

A maldição asteca

Por Fernando Schweitzer, de Buenos Aires em 26/01/2010 na edição 574

‘Seguir siguiendo al corazón y coquetear con la intuición.’ Com esta simples estrofe proferida mais recentemente por Thalía Sodi em uma das faixas de seu último e recente trabalho, ela parece realmente comprovar uma tese que estive a ponto de promulgar ao lançamento, em 1° de dezembro, do CD+DVD Primeira Fila. A canção é La Sole ou, para os menos íntimos de sua arte, Soledad Patorutti. A música ‘Brindis’, uma música muito ao estilo folclórico argentino entre vários temas magníficos e de expressão histórica pela América Latina são o recurso utilizado pela cantora e atriz mexicana para tentar recuperar seu público perdido no continente após a americanização de sua carreira.

Thalía era uma menina que cantava – isso já por meados da década de 80. Thalía tornou-se ícone latino, com a venda de álbuns que ultrapassa a marca de 27 milhões de cópias. No total, foram dezesseis discos lançados, sendo o mais recente, denominado ‘Primera Fila’, lançado mundialmente no dia 1º de dezembro. Hoje, no México, já atinge o disco de platina. Ela que já gravou diversas novelas pela rede de TV mexicana Televisa, sendo as mais conhecidas no Brasil Maria Mercedes, Marimar, Maria do Bairro e Rosalinda. Sem contar o sucesso 15 anos (Quinceañera), também exibida pelo SBT em 1991. Foi a primeira novela protagonizada por Adela Noriega e por Thalía, então integrante da banda ‘Timbiriche’, que interpretava o tema de abertura da telenovela. Quinceañera foi a segunda telenovela escrita por René Muñoz, um ator cubano.

Uma ofensa moral

Ao término do ciclo com sua ex-banda, Thalía segue a cantar. Até hoje dizem muitos que o fim do grupo se deu por brigas, que criaram inimizades, entre ela uma das integrantes hoje ainda na carreira, Paulina Rúbio. O início da carreira de cantora foi nos anos 1980 com o grupo ‘Pac Man’, mais tarde denominado ‘Din Din’. Anos depois se uniu à banda juvenil ‘Timbiriche’. Com o apoio de Alfredo Díaz Ordaz, Thalía decide iniciar carreira solo e sua escalada mundial também como cantora, abandonando o grupo ‘Timbiriche’. Foi assim que em 1990 lançou seu primeiro disco, titulado ‘Thalía’, que contou com músicas como ‘Un Pacto Entre Los 2’, ‘Saliva’, ‘Amarillo Azul’ e ‘Pienso En Ti’. Após seu álbum inicial, trouxe ao mercado ‘Mundo de Cristal’, ‘Love’, ‘En Éxtasis’, ‘Nandito Ako’ (para as Filipinas), ‘Amor a la Mexicana’ sendo este o mais vendido da sua carreira, seguido de ‘Arrasando’, mais dois discos homônimos em 2002 e 2003, ‘Greatest Hits’, ‘El Sexto Sentido’, ‘Lunada’ e ‘Primera Fila’, lançado mundialmente em dezembro de 2009.

O sucessor de ‘Lunada’ (2008), um de seus mais retumbantes fracassos da carreira, ‘Primera Fila’ se encontra nos primeiros lugares em vendas virtuais no Brasil e disco de platina no México. O álbum nos EUA estreou em primeiro na parada Top Latin Albums e Pop Latin Albums, da Billboard, e já vendeu cerca de 20.000 cópias em terras do Tio Sam. Mas esse oba-oba tem motivo frio e calculado já pelos produtores da nova gravadora de Thalía, a Sony Music.

Além do primeiro sencillo que catapultou o lançamento do DVD gravado em Miami, ‘Equivocada’, a seleção de canções é uma estratégia e por que não dizer um pedido de reconciliação da cantora com o mercado latino e em especial seu país natal o México. A queda gradativa e substancial de vendas em seu país nativo é algo que ocorre desde o seu álbum em inglês e que para irritação de seus super patriotas, os compatriotas mexicanos, fora lançado à época primeiro nos Estados Unidos. Esse fato somado a que o México recebeu o álbum apenas nas datas do lançamento mundial junto aos demais países soou como uma grande ofensa moral da até então estrela maior e absoluta dos mexicanos.

Reconciliação com os latinos

O fato causou protestos e também o cancelamento de shows no país da tequila e do guacamole. Ao lado de Fat Joe, o sencillo ‘I Want You’ obteve uma razoável repercussão no mercado americano, mas foi uma bomba negativa na trajetória da estrela no mercado latino e, por conseguinte e principalmente, no mercado mexicano. A avalanche sistemática foi se comprovando a cada álbum que sucedia e os número até Amor a la Mexicana seu recorde de vendas com 27 milhões de cópias no mundo em um ano. ‘Arrasando’ (2000), mesmo sendo um sucesso de crítica por misturar tendências da música mexicana com eletrônico, foi inferior no quesito vendas que seu antecessor e ‘Thalía con banda’ (2001), considerado também conceitualmente bom, tiveram um tempo de lançamento muito posterior ao êxito de 1997, ‘Amor a la Mexicana’, o que segunda a crítica positivista motivou um esfriamento do público. O prenúncio da caída seriam os álbuns seguintes, que foram mais que um fiasco, principalmente após Thalía fixar-se nos Estados Unidos. Ou seja, a técnica Shakiriana não funcionou muito para a diva mexicana.

Mesmo faturando cerca de 100 milhões de dólares ao ano, ainda um livro que vendeu mais de 900 mil exemplares, sendo o mais vendido dos Estados Unidos de não-ficção por algumas semanas, além de um programa de rádio Conexión Thalía, ainda hoje no ar em Nova York e ainda, segundo o Guinness Book, como a artista que mais ganhou prêmios em apenas uma noite. A maldição asteca fez com ao menos no segmento música Thalía fosse cada vez mais lembradas por suas novelas. O descontentamento asteca com sua ex-diva passa cada vez mais a crescer e principalmente de lá o antigo propulsor e mercado de referência para América Latina as coisas iam de mal a pior a cada novo disco.

Hoje, finalmente, depois de mais de uma década sem boa vendagem no seu país nativo, Thalía Sodí. As medidas drásticas para recuperação de seu público latino e mexicano estão consolidadas na escolha de repertório e participações em seu último trabalho. ‘Primera Fila’, em apenas três dias de lançado, foi disco de ouro no México e após cinco semanas já era disco de platina. Não obstante e estrategicamente, cada uma das músicas do DVD parece estar embutida de um discurso de reconciliação com os latinos.

Volta aos folhetins

‘Estoy Enamorada’ versão do estrondoso sucesso de Donato y Estefano com a participação do novato e promissor Pedro Capó; ‘Qué será de ti’ versão de ‘Como Vai Você’ gravada anos atrás em espanhol por Roberto Carlos, o qual inclusive é citado no DVD pela cantora; a regravação da romantissíssima ‘Cuando te beso’, do veterano Juan Luis Guerra, ‘Mujeres do Guatelmateco’, de Ricardo Arjona, bem como ‘Brindis’, da argentina Soledad Pastorutti, são prova cabal ou cabalística dessa estratégia milimetricamente traçada em busca do elo perdido, o público latino.

Para o público mexicano,o estratagema também foi feroz. Um pot-pourri contendo seus maiores sucesso em território mexicano contando com ‘Entre el mar y una estrella‘, ‘Piel morena‘, ‘No me enseñaste‘, ‘Amor a la mexicana‘ e ainda uma sequencia de inéditas que completam o repertório, em dueto com Joan Sebastian, a rancheira mariache ‘Con la Duda’. Impressionando também mais do que pelo repertório pelo primor das interpretações, a cantora está arrebatando seus antigos fãs bem como novos. E o mais audacioso do projeto é justamente ser um álbum de inéditas ao vivo, com a companhia de sucessos seus e de outros cantores nunca imaginados em sua doce voz de meso-soprano.

As letras inéditas são compostas por Mario Domm, Raúl Ornelas, Reyli Barba, Espinoza Paz, Leonel García, Afo Verde, Juan Luis Guerra, Ricardo Arjona, Mario Marcos e a própria Thalía, entre outros. ‘Primera fila’ é seu primeiro projeto na sua nova casa discográfica, a Sony Music Latina. Há 10 anos Thalía não fez mais nada na televisão, relacionada com telenovelas, e planeja em 2010, voltar à atuação, aproveitando esse momento de retomada. Obviamente também buscando a exposição natural que trará sua volta aos folhetins. Parece que por hora a maldição asteca dá sinais de ter abandonado a carreira da senhora Ariadna Thalía Sodi Miranda.

‘Seguir siguiendo al corazón y coquetear con la intuición.’ Seguindo o seu coração ela volta os olhos ao mercado que lhe fez estrela. E paquerando com sua intuição está colhendo os frutos de um excelente trabalho.

‘Incêndios e fracassos’

A defesa de tese se encerra com a letra da música-hino proferida por Soledad Pastorutt, ‘La Sole’, e hoje repetida por Thalía que retratam o espírito e intuito deste trabalho:

…Tantos incendios provoqué
tantos fracasos me probé
que no me explico como canto todavía
y es que siempre voy detrás de lo que siento
cada tanto muero
y aquí estoy
por esos días por venir
por este brindis para mi
por regalarle a la intuición el alma mía
porque los días se nos van
quiero cantar hasta el final
por otra noche como esta doy mi vida

…tantos incêndios provoquei
tantos fracassos eu provei
que não me explico como canto todavia
e é que sempre vou atrás do que eu sinto
a cada pouco morro
e aqui estou
por esses dias que estão por vir
por este brinde para mim
por regalar a intuição a alma minha
por que os dias nos vão
quero cantar até o final
por outra noite como esta dou minha vida

******

Ator, diretor teatral, cantor, escritor e jornalista

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem