Sábado, 16 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

ENTRE ASPAS > SEXTA-FEIRA, 5/10

Ações contra jornalistas no Brasil
representam “recorde mundial”

Por Textos selecionados por Luiz Antonio Magalhães em 07/10/2007 na edição 453

Leia abaixo a seleção de sexta-feira para a seção Entre Aspas.


************
Folha de S. Paulo


Sexta-feira, 5 de outubro de 2007


MÍDIA & JUSTIÇA
Folha de S. Paulo


Brasil tem recorde de ações contra jornalistas


‘Levantamento sobre a situação da liberdade de expressão no Brasil realizado pela ONG ‘Article 19’, com sede em Londres, revela que o elevado número de ações de indenização contra jornalistas e veículos de comunicação no país pode configurar ‘um recorde mundial’.


Missão enviada em agosto ao Brasil registrou que ‘advogados e jornalistas estimam que hoje exista cerca de uma indenização para cada jornalista trabalhando nos cinco principais grupos de comunicação’ do país (Folha, Organizações Globo, Grupo Abril, ‘O Estado de S. Paulo’ e Editora Três). ‘Se provada correta, tal proporção configuraria um recorde mundial’, diz o relatório.


A ONG baseou-se em pesquisa do site ‘Consultor Jurídico’ a partir de consulta a advogados de empresas de comunicação e rastreamento de processos em tribunais. Até o mês de abril deste ano, segundo o site, existiam 3.133 processos num universo de 3.327 jornalistas nesses veículos.


Os advogados calculam que o Supremo Tribunal Federal revogue cerca de 80% das decisões tomadas nas instâncias inferiores contra jornalistas.


‘Vários casos de indenização por danos morais trazidos ao conhecimento da ‘Article 19’ referem-se a investigações sobre corrupção, tema de claro interesse público, e envolvem políticos e juízes. Essas são exatamente as pessoas que deveriam demonstrar maior tolerância ao escrutínio da mídia em razão da função que exercem’, afirma o relatório.


Segundo o jornalista Márcio Chaer, editor do ‘Consultor Jurídico’, entre 2003 e 2007, o número de ações indenizatórias caiu, de 3.342 para 3.133 processos, mas o valor médio das indenizações multiplicou-se por quatro: passou de R$ 20 mil para R$ 80 mil. ‘O crescimento exponencial das indenizações é uma tentativa dessas pessoas de usar o Judiciário como escudo para se protegerem das críticas’, afirma Chaer.


A ‘Article 19’ é uma organização de defesa dos direitos humanos criada em 1987 e voltada para a liberdade de expressão (seu nome vem do artigo 19 da Declaração Universal dos Direitos Humanos, que diz que ‘toda pessoa tem direito à liberdade de opinião e expressão’). A ONG tem representante no Brasil desde 2006. A missão ao país, que ouviu advogados, jornalistas e congressistas, faz parte da Campanha Global pela Liberdade de Expressão.’


PAC DA CULTURA
Maria Luiza Rabello


Governo lança Mais Cultura e diz que só 13% vão ao cinema


‘Ao lançar o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) da Cultura ontem, sob o nome de Mais Cultura, o governo divulgou uma pesquisa que mostra que apenas 13% dos brasileiros freqüentam o cinema ao menos uma vez por ano, 93,4% nunca foi a uma exposição de arte e 78% nunca assistiu a um espetáculo de dança.


‘Indicadores mostram que pouco mais de 10% do povo brasileiro tem acesso pleno à cultura’, afirmou o secretário-executivo do ministério da Cultura, Juca Ferreira.


A pedido do ministério, foram cruzados dados de uma pesquisa do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) feita em janeiro deste ano com um levantamento do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgado em setembro último.


Com um investimento de R$ 4,7 bilhões até 2010, o programa Mais Cultura promete atuar em 1.700 municípios, em regiões com alto índice de violência e com baixos indicadores de saúde e educação, além de territórios de quilombos e em reservas indígenas. Uma das metas é fazer com que empresas adotem um vale-cultura, que funcionaria aos moldes de um vale-refeição.


A idéia é que o governo subsidie um valor na forma de isenção tributária. A empresa empregadora entraria com uma parte em dinheiro e o trabalhador pagaria uma cota mínima para desfrutar de espetáculos ou comprar livros. Segundo o secretário-executivo do Minc, a formatação deste sistema já está em andamento na Receita Federal e a novidade pode ser anunciada no próximo mês.


Outra prioridade do Mais Cultura é ‘zerar o déficit’ de bibliotecas em 600 municípios, sendo 440 na região Nordeste. Além dos R$ 4,7 bilhões repassados até 2010, o ministério espera ter, ainda este ano, cerca de R$ 190 milhões liberados.


Juca Ferreira afirma que um dos desafios do programa será gerir esses recursos e diz já ter pedido auxílio à CGU (Controladoria Geral da União).’


TODA MÍDIA
Nelson de sá


Quem é o dono?


‘Foi a obsessão de blogs, portais, rádios, canais de notícias o dia todo, com enunciados parciais e muita torcida, mas chegaram ‘Jornal da Record’, ‘Jornal Nacional’ e nada de decisão. ‘Prossegue o julgamento sobre quem é o dono do mandato’, bradou Fátima Bernardes. Se ‘o partido ou o político’, a oposição ou o governo. Por fim, deram um pouco para cada um.


‘FILING CLERK’


Na Europa, longe de questões sobre Salvatore Cacciola ou o tucanoduto, FHC falou à BBC -e não escapou de perguntas sobre o ‘engavetador-geral’, ‘filing clerk’, que nomeou em seu governo. Foi o destaque, para o site da própria BBC.


NEOPROTECIONISMO


Na manchete do ‘Wall Street Journal’, os eleitores ‘republicanos estão mais céticos com o livre comércio’, segundo pesquisa. Seguem-se aos democratas na tendência protecionista que ameaça a Rodada Doha e até os acordos bilaterais. E que avança pela União Européia, diz o ‘WSJ’. Para a nova ‘Economist’, ‘o humor já mudou’ nos EUA e também na América Latina.


AGORA OU NUNCA


Mas a representante comercial dos EUA, Susan Schwab, assinou ontem no ‘Financial Times’ e saiu em entrevistas dizendo que a Rodada Doha vive hoje a ‘oportunidade única em uma geração’ de ser aprovada. Diz que falta o Brasil convencer a Índia e a África do Sul. George W. Bush, segundo a notícia no ‘FT’, ‘vem exercendo uma pressão especial sobre Lula’.


AMÉRICA BLOGUEIRA


A subsecretária de Estado e ex-marqueteira de Bush Karen Hughes abriu ontem o blog do Departamento de Estado, com suas fotos e campanhas, tipo Mianmar.


A TRAGÉDIA E A FARSA


A ‘Economist’ contrastou os julgamentos da ‘tragédia sem solução’ da princesa Diana e da ‘farsa descarada’ em torno do assassinato de Jean Charles de Menezes. A ‘vida glamourosa’ da primeira e o ‘desconhecido’ brasileiro.


Sabe-se hoje muito da tragédia, mas ‘pouco’ da farsa. Daí a revista defender o julgamento, pelo que pode trazer à luz. Ainda que ‘tarde demais para a família Menezes’.


O REVELADO


O programa ‘Fala que Eu Te Escuto’, da Record, incensa o livro há dias. A Veja On-line deu que será ‘uma das mais caras campanhas’, R$ 2,8 milhões para vender uma tiragem recorde de 1 milhão. E a Folha Online adiantou ontem a imagem da capa, com o bispo lendo a Bíblia na cadeia. O suspense segue até sair no dia 25.


TELES VS. REDES


Enquanto as redes abrem a campanha de lançamento da TV digital, as teles começam a lançar serviços de IPTV, sua televisão on-line -que pela lei só vai poder transmitir ‘on demand’ e não ao vivo como as redes. Brasil Telecom (BrT) e Telemar (Oi) já estão em testes, no ar. E avançam em programação, com prioridade para os mecanismos de interação próprios da internet, segundo o site Teletime. Sugerem a mesma coisa para as redes e sua TV digital.


PARA POUCOS


De ‘Wired’ a agências, ecoa o Índice iPod, que deu Brasil com o maior preço para o aparelho, disparado, no mundo.’


CASO MADELEINE
Folha de S. Paulo


Investigador português pede afastamento


‘O jornal britânico ‘Guardian’ relata mais uma baixa na equipe policial portuguesa que investiga o desaparecimento da menina inglesa Madeleine McCann. Segundo o ‘Guardian’, o inspetor-chefe Tavares Almeida, segundo na cadeia de comando das investigações, pediu licença do trabalho.


Dois dias atrás, o investigador Gonçalo Amaral, chefe da polícia de Portimão, foi afastado do cargo.


Madeleine desapareceu no última dia 3 de maio, às vésperas de completar 4 anos de idade, num resort na Praia da Luz, em Portugal. A polícia portuguesa chegou a indiciar os pais da menina.’


MÍDIA & VIOLÊNCIA
Italo Nogueira


Ator morre ao violar ‘toque de recolher’ de traficantes no Rio


‘Acostumado a cenas de ação, o ator-dublê Cláudio Luciano da Silva, 33, não escapou da violência real. Foi morto ontem no acesso ao morro São João, no Engenho Novo, zona norte do Rio, por não respeitar o ‘toque de recolher’ imposto por traficantes da favela vizinha, do morro dos Macacos.


Silva ia à casa da ex-mulher, Thelma, onde buscaria o uniforme escolar do filho. Passava pela rua Acaú por volta das 6h30 quando foi abordado por três traficantes do morro dos Macacos. Segundo moradores, eles queriam seqüestrar o ator.


Segundo a polícia, o ator tentou dizer que era ‘trabalhador’. Após socar o rosto de um dos homens e tentar fugir, levou um tiro de fuzil na perna. Caído, foi atingido por mais cinco tiros no rosto e no peito.


Seu corpo ficou sete horas estirado na calçada sob um pano branco, aguardando a remoção. Agentes do 3º Batalhão da Polícia Militar (Méier) foram ao local, mas não subiram na favela. No alto do morro São João, traficantes andavam com pistolas.


Por rádio, os traficantes diziam que não eram responsáveis pela morte do ator. Temiam uma operação no local.


‘Como ele era muito conhecido na região, achou que não tinha problema em passar ali’, disse Jorge Só, 46, colega de Silva na agência de atores-dublês Só Ação. A vítima morava nas proximidades da favela.


Os morros São João e dos Macacos -onde o comércio de drogas está, respectivamente, sob controle das facções Comando Vermelho e ADA (Amigos dos Amigos)- estão em guerra constante. Traficantes da ADA impõem ‘toque de recolher’ entre 19h e 8h nas ruas Acaú e Açaré, que ficam entre as duas comunidades.


Atualmente, Silva prestava serviço para a TV Record, na novela ‘Caminhos do Coração’. Trabalhou na TV Globo no programa ‘Linha Direta’, que reconstitui crimes. Deixou dois filhos, de dois e nove anos, e a mulher, Fernanda.’


INTERNET
Tatiana Cunha


YouTube refaz a história na F-1


‘Um torcedor anônimo das arquibancadas do Fuji Speedway pode minar as chances de Lewis Hamilton no GP da China e mudar o rumo do Mundial de F-1. Mais importante, porém: criou precedente histórico na relação do esporte com a chamada ‘mídia alternativa’.


Seus instrumentos, uma câmera amadora e o YouTube, site de compartilhamento de vídeos mais acessado na internet.


O torcedor estava em Fuji no último domingo, acompanhando o GP do Japão. E flagrou um momento-chave da prova, não registrado pelas câmeras de TV: na 46ª volta, sob safety car, Hamilton reduziu a velocidade e jogou seu McLaren para a direita, numa trajetória atípica.


As emissoras mundo afora só mostraram o ato seguinte: Sebastian Vettel, então terceiro colocado, acertou com tudo a traseira de Mark Webber, que vinha logo atrás de Hamilton.


Ainda no Japão, Vettel foi considerado culpado pelo acidente e punido com a perda de dez posições no grid da China.


A história provavelmente ficaria assim se o torcedor não tivesse postado o vídeo no Youtube. Ele o fez. Os 18 segundos da filmagem viraram hit entre os fãs da F-1, e o link chegou à tela de Franz Tost, chefe da Toro Rosso, a equipe de Vettel.


O dirigente levou a novidade aos comissários da FIA em Xangai, acusando o inglês de ter sido o deflagrador do acidente. As imagens deixam claro que Hamilton estava muito próximo do safety car, e o regulamento esportivo estipula distância mínima de cinco carros.


E, aí, o precedente: com base num vídeo amador que fez fama na internet, a entidade máxima do automobilismo aceitou abrir investigação sobre a conduta de Hamilton. Ele estaria sujeito, por exemplo, à perda de posições no grid do GP da China. Os treinos livres começariam ontem à noite, e a sessão oficial acontece às 3h de amanhã (horário de Brasília).


O resultado da investigação provavelmente seria anunciado pela FIA nesta madrugada. Uma eventual punição mudaria um cenário que parecia extremamente favorável para Hamilton conquistar, já no domingo, o título da F-1.


Com 12 pontos de vantagem sobre Fernando Alonso e 17 sobre Kimi Raikkonen, o inglês pode ser campeão até se chegar atrás dos rivais na corrida. Se a folga para o adversário mais próximo for de 11 pontos ao término do GP, o Mundial é dele.


Ontem, em Xangai, Hamilton foi muito criticado pelos colegas. ‘Ele fez porcaria atrás do safety car’, disse Webber, que, ao lado de Ralf Schumacher e Alonso, dirige a GPDA, a associação dos pilotos.


‘O mais engraçado é que na reunião antes da corrida ele falou como agiria e acabou fazendo tudo diferente. Mas foi bom porque da próxima vez já sabemos o que esperar’, completou.


A queixa dos pilotos é que Hamilton estava lento atrás do carro-madrinha e que brecava constantemente -foram 25 voltas de safety car no GP.


‘A verdade é que ele não tinha velocidade. Ele estava tão devagar que achei que tivesse quebrado’, afirmou Vettel.


As críticas a Hamilton, porém, não vieram só de quem estava envolvido no acidente. E não se resumiram ao seu comportamento atrás do safety car.


‘Sem dúvida, neste ano vimos coisas que não deveriam ser punidas receberem punições e quem deveria passar ileso. Foi um campeonato em que muita gente queria ver o Hamilton campeão’, afirmou Felipe Massa.


NA TV – Treino classificatório para o GP da China Globo, ao vivo, às 3h de amanhã’


Folha de S. Paulo


Ilustrada estréia blog sobre pop hoje, com Arctic Monkeys


‘A cobertura de música e assuntos pop da edição impressa da Ilustrada ganha acompanhamento on-line. Estréia hoje o blog ‘Ilustrada no Pop’, na Folha Online.


Coordenado pelos repórteres Thiago Ney e Marco Aurélio Canônico, o espaço procura ampliar e diversificar temas tratados no jornal.


Reúne notícias, críticas de discos, entrevistas, além de áudio e clipes de músicas.


Em seu primeiro dia, o blog coloca no ar trechos de uma entrevista com Alex Turner, líder da banda Arctic Monkeys, que toca no Tim Festival, no final do mês.


O blog possui seções fixas, com atualizações semanais. Uma delas, a ‘3 Minutos com…’, traz pequena entrevista em que uma personalidade aborda temas pouco usuais de sua carreira. Na estréia, a convidada é a cantora Sandy, que fala sobre sua faculdade e sobre as aulas de boxe que pratica.


A seção ‘Pop/Flop’ é uma espécie de ‘termômetro’ bem-humorado que mostra quem esteve em alta e quem esteve em baixa nos últimos dias. Já a ‘Boas da Semana’ dá sugestões de shows e clubes noturnos.


NA INTERNET – Conheça o blog ‘Ilustrada no Pop’ – http://ilustradanopop.folha.blog.uol.com.br’


TELEVISÃO
Daniel Castro


Movimento pede cassação de canais de TV


‘A ‘Campanha por Democracia e Transparência nas Concessões’, que promove manifestações hoje nas principais capitais, vai entrar com ação civil pública na Justiça Federal pedindo a cassação da Mix TV (canal 16 de São Paulo) e do Shop Tour (canal 46/Osasco).


O movimento argumenta que esses dois canais, de televendas, extrapolam o limite de 25% de publicidade e não cumprem os princípios constitucionais de que a programação deve ter finalidade educativa, artística, cultural e informativa.


A ação será encabeçada pela ONG Intervozes, uma das líderes do movimento, que tem UNE, MST e CUT. A manifestação em São Paulo está prevista para as 12h na avenida Paulista.


Mix TV e Shop Tour negam as acusações. O Shop Tour afirma que ‘cumpre rigorosamente todas as legislações que regulam o setor de telecomunicações’. A Mix diz que ‘tem uma rica e variada programação de jornalismo, cultura, prestação de serviços e entretenimento, atendendo à legislação’.


Nos próximos dias, outra ação irá pedir a cassação das concessões tipo TVA, outorgadas nos anos 80 para exploração de TV paga. O argumento é que o serviço não existe mais.


A Globo, que detém uma das quatro TVAs de São Paulo, diz que o argumento não é verdadeiro, pois ela usa o canal 19 para serviço de TV fechada, levando a Globo News para 5.000 assinantes em condomínios.


LADEIRA


Caiu ainda mais a audiência de ‘Duas Caras’. Anteontem, a novela marcou 33,7 pontos na Grande São Paulo. Deu menos do que o ‘Jornal Nacional’ (35). Ou seja, o problema não é apenas o público que desligou a TV. Isso indica que a novela está sofrendo rejeição de quem continua com a TV ligada.


FERREIRO


A Record já comemora pequeno crescimento sobre ‘Duas Caras’. A rede do bispo Edir Macedo nunca tinha dado dois dígitos contra uma novela das oito da Globo. Nos três primeiros capítulos de ‘Duas caras’, está com 11.


PAISAGEM


A cúpula da Globo se esforça para mostrar ‘satisfação’ com ‘Duas Caras’. Aposta que vai decolar em duas semanas.


DEDO-DURO


Muita gente já aponta culpados pelo mau começo de ‘Duas Caras’. Marjorie Estiano é o principal saco de pancadas. Avalia-se que ela não tem carisma para ser protagonista.


MIRAGEM 1


A Record ampliou em setembro a diferença sobre o SBT na disputa pela vice-liderança no Ibope nacional, na faixa das 7h à meia-noite (que é a que realmente importa para o mercado publicitário). Fechou o mês com 6,4 pontos, contra 6,0 da rede de Silvio Santos.


MIRAGEM 2


Em agosto, a Record tinha vencido o SBT por 6,5 a 6,3 pontos. Pela regra de arredondamento do Ibope, podia dizer que ganhou por 7 a 6. Agora, não. Nesse critério, as duas redes estão empatadas em 6.’


***


Cultura recupera acervo em ‘Mosaicos’


‘A Cultura resolveu mexer no seu robusto acervo e criar um programa novo. ‘Mosaicos’, que estréia hoje e será exibido toda sexta, tem como eixo as imagens de arquivo do canal, mas também se sustenta em outros dois vértices: depoimentos atuais sobre o homenageado da vez e músicas dele interpretadas por novos artistas.


O personagem do programa de estréia é Johnny Alf, que ganha justa reverência num momento em que enfrenta problemas de saúde. Uma cena esquecida no baú da Cultura é um dos destaques: Alf tocando em 1969 ao lado do Quarteto Forma e da cantora Alaíde Costa -que também dá um depoimento.


Ainda há um bom duo do pianista com Baden Powell e trechos de suas participações no ‘MPB Especial’ e no ‘Ensaio’. Nas entrevistas, Alf mostra seu jeito discreto, que contribuiu para que, apesar do grande talento, ficasse freqüentemente em segundo plano na trajetória da música pós-bossa nova -da qual é um dos precursores.


Os jovens Bia Góes, Celso Lago e Trio Corrente interpretam alguns de seus sucessos, como ‘Eu e a Brisa’, ‘Rapaz de Bem’ e ‘Ilusão à Toa’. Na verdade, aparecem trechos das interpretações, pois ‘Mosaicos’ se pretende mais documentário do que show. Os números deverão ser exibidos na íntegra no futuro. Na próxima sexta, o homenageado será o flautista Altamiro Carrilho. (LFV)


MOSAICOS


Quando: hoje, às 21h


Onde: TV Cultura’


************


O Estado de S. Paulo


Sexta-feira, 5 de outubro de 2007


MÍDIA & POLÍTICA
Clarissa Oliveira


PT insiste em mudar concessões de TV


‘Em sua primeira reunião desde o congresso realizado em setembro, o Diretório Nacional do PT retomará hoje a proposta de cobrar do governo federal uma revisão do modelo de concessões de rádio e televisão em vigor no País. Apesar de já estar em meio aos preparativos para eleger suas novas direções em dezembro, a legenda deve ratificar a decisão, tomada no fim do mês passado pela Executiva Nacional, de encaminhar um pedido de audiência com os ministros Luiz Dulci (Secretaria-Geral da Presidência), Hélio Costa (Comunicações) e Franklin Martins (Comunicação Social) para tratar do assunto.


‘Os meios de comunicação eletrônica são objeto de concessão. Portanto, cabe à democracia analisar se o atual sistema de concessões é bom ou não para o bom funcionamento da comunicação social do País’, afirmou o presidente do PT, Ricardo Berzoini. ‘O PT avalia que é preciso ter mais transparência, mais democracia e um caráter de maior controle social para que haja de fato a função social dos meios de comunicação.’ De acordo com ele, o partido está elaborando uma pauta completa que será apresentada aos ministros.


O encontro do diretório ocorre no mesmo dia em que vencem as permissões de operação de algumas afiliadas de grandes emissoras que hoje atuam no Brasil. Aproveitando a ocasião, o PT decidiu apoiar formalmente manifestações em 14 capitais em favor da mudança nos critérios de concessão.


A proposta de alterar o modelo de permissões acompanha a defesa que o PT faz da criação de uma TV pública no País e da realização de uma conferência nacional sobre o setor. ‘São posições antigas do nosso partido. Vamos levar isso adiante’, afirmou o secretário de Finanças do PT, Paulo Ferreira. ‘Estamos convencidos, por tudo o que já aconteceu na história do Brasil, de que precisamos de uma democratização maior dos meios de comunicação’, completou o secretário de Relações Internacionais, Valter Pomar.


CONSTITUINTE


A reunião de hoje também retomará a discussão sobre a instalação de uma Constituinte exclusiva para tratar da reforma política. Desta vez, a direção partidária pretende submeter ao Diretório Nacional a idéia de aproveitar as eleições internas em dezembro para intensificar a campanha sobre o tema.


Ontem, após um seminário sobre o assunto organizado na sede do PT, em São Paulo, o secretário de Movimentos Populares, Renato Simões, foi incumbido de elaborar um texto propondo que a ida às urnas para a escolha da nova direção partidária sirva também para colher assinaturas para um projeto de iniciativa popular. ‘Queremos lançar essa discussão antes do PED (Processo de Eleições Diretas do PT) para que possamos construir esse projeto de iniciativa popular’, afirmou Simões.


A pauta da reunião de amanhã inclui ainda outros dois temas. Um deles é a aprovação do regulamento final para a realização das eleições, elaborado ao longo das últimas semanas por uma comissão integrada por Ferreira, Simões, Pomar e pelo secretário-geral Joaquim Soriano. Além disso, essa comissão deve aprovar um conjunto de normas a serem seguidas pelos diretórios petistas que optarem por antecipar as prévias destinadas a escolher o candidato a prefeito nas eleições de 2008.


FRASE


Ricardo Berzoini


Presidente do PT


‘O PT avalia que é preciso ter mais transparência, mais democracia e um caráter de maior controle social para que haja de fato a função social dos meios de comunicação’’


TV PÚBLICA
Lisandra Paraguassú


Minc quer ajudar TV pública com Lei Rouanet


‘No lançamento do Programa Mais Cultura – que está sendo chamado de PAC da Cultura -, o governo anunciou ontem que mudará a Lei Rouanet, de incentivo a produções, para fazer com que projetos financiados pelo poder público sejam apresentados gratuitamente em locais públicos e à população de baixa renda. As mudanças na legislação devem ser enviadas para o Congresso até o final do ano e servirão, também, para turbinar a programação da TV pública, a nova rede de comunicação a ser lançada pelo governo no dia 2 de dezembro.


A Lei Rouanet – que oficialmente se chama Lei Federal de Incentivo à Cultura – permite que artistas façam a captação de recursos de empresas privadas para financiar filmes, peças de teatro e outras produções culturais. Essas empresas podem descontar o valor doado na hora de pagar o Imposto de Renda, desde que não ultrapasse 4% do total devido à União. Hoje, porém, não há nenhuma contrapartida social ou qualquer tipo de apresentação gratuita.


‘As atividades culturais financiadas pelo poder público têm de ser disponibilizadas para centros públicos, como escolas, e para aquela parte da população que hoje não tem acesso’, disse o secretário-executivo do Ministério da Cultura, Juca Ferreira, na apresentação do Mais Cultura. Um dos veículos para isso, de acordo com Ferreira, seria a TV pública.


Os filmes e outras produções audiovisuais seriam liberados para apresentação na TV assim que fosse ‘economicamente viável’. Ou seja, a intenção não é evitar o lucro com os filmes, mas permitir que a TV pública os apresente sem ter de competir com as grandes redes de TV nem de pagar, já que o governo fez o investimento inicial, através da isenção fiscal.


ESPETÁCULO EXTRA


Essas produções também poderiam ser apresentadas em videoclubes, que o governo pretende criar, em escolas e bibliotecas públicas.


Outras produções financiadas pela Lei Rouanet, como espetáculos de teatro, dança ou outros, também teriam de participar de alguma forma.


Uma das possibilidades, de acordo com o secretário, é de um porcentual dos ingressos ser reservado para distribuição gratuita. Ou ainda que haja apresentações exclusivas para o público que não costuma ter acesso a esses eventos.


As mudanças ainda estão sendo discutidas com a comunidade artística. ‘Queremos a adesão da área cultural. Não queremos impor nada’, comentou o secretário.


Ainda de acordo com Ferreira, há apoio de alguns grupos culturais à mudança na lei, mas também temores. ‘Existe a preocupação de que não afete a comercialização. A gente também não quer. Se afetar está errado, porque também trabalhamos com a idéia do fortalecimento de uma indústria cultural’, disse. ‘É um ganho. É ampliação de mercado, formação de platéias.’’


JORNALISMO ECONÔMICO
O Estado de S. Paulo


Revista traz lições para investidores


‘A crise do mercado imobiliário dos Estados Unidos tem potencial para provocar novas ondas de turbulência no mercado financeiro global. Por não ser uma crise de Bolsa, os especialistas prevêem que o ajuste dos mercados será mais demorado, o que exige uma postura vigilante do investidor. Diante da incerteza, é preciso definir quanto se pode arriscar e quanto deve ser protegido.


Ao contrário de crises do passado, essa é diferente. ‘Quando o problema é com as bolsas, os preços se ajustam rapidamente, em meses’, alerta o economista-chefe do Banco Itaú-BBA, Alexandre de Ázara. ‘Agora, não será assim’.


No estouro da bolha da internet em 2001, algumas empresas pontocom chegaram a ter relação entre preço e lucro de 1.700. Ou seja, o investidor demoraria 1.700 anos para reaver o valor aplicado. Atualmente, a mesma relação na Bolsa de Nova York está dentro do padrão histórico.


A edição 16 da revista Estadão Investimentos, que chega às bancas a partir de hoje, mostra, em sua reportagem de capa, oito lições que o pequeno investidor pode tirar da crise que balançou os mercados no início do segundo semestre. A clareza em relação a metas e ao nível tolerável de risco ganha relevância porque, num mercado contaminado por incertezas, surgem novas possibilidades.


Uma das lições é a de que fases de oscilação no mercado financeiro ajudam a escolher fundos – sejam os agressivos, para tentar ganhar mais, sejam os conservadores, para proteger reservas. ‘Fundos têm de ser selecionados, prioritariamente, pelo seu perfil de risco e comportamento em épocas de crise’, indica o economista e consultor de finanças pessoais Francis Hesse.


Apesar da volatilidade, os especialistas afirmam que os fundamentos continuam favoráveis, por exemplo para ações do setor imobiliário, com destaque para a possibilidade de crescimento com o aumento da oferta de crédito. O diretor da Unibanco Asset Management (UAM), Alexandre Mathias, acredita que o setor apresenta potencial de ganho renovado a partir de agora.


Em tempos de turbulência, Estadão Investimentos mostra o que o investidor deve olhar quando compara e escolhe um fundo multimercado ou um de renda fixa. As duas famílias gigantes da indústria de fundos, que têm juntas quase R$ 600 bilhões em depósitos, disputam o dinheiro dos brasileiros. Às vezes, quem troca a renda fixa por um fundo multimercado em busca de retorno maior, frustra-se com o resultado. Entenda por que e veja vantagens e desvantagens desses dois tipos de fundos em relação a rentabilidade, risco, taxas de administração, carência e tributação.


Estadão Investimentos apresenta uma ampla radiografia do mercado de seguros e traz o mapa do risco no Brasil, identificando as áreas mais perigosas e caras, nas cidades de São Paulo e Rio, para seguros de automóveis, residências e de vida.


A revista mostra ainda produtos disponíveis no mercado para proteger os filhos, em momentos difíceis, como desemprego dos pais: seguro educacional e escolar ou um produto que alia o seguro à previdência privada.


A revista indica os caminhos para que o investidor defenda seu dinheiro. E mostra que mais da metade das queixas feitas ao Procon paulista são resolvidas pelas empresas em até 10 dias.’


TELEVISÃO
Keila Jimenez


A revanche da Globo


‘A Globo conseguiu uma liminar anteontem na Justiça proibindo a RedeTV! de exibir qualquer imagem do Big Brother Brasil em suas atrações. A liminar, que também engloba a próxima edição do programa, que começa em janeiro, tem cheiro de retaliação.


A Globo não gostou nada do programa de Sônia Abrão, da RedeTV!, exibir em primeira mão imagens de gravações de Paraíso Tropical. É a mesma Sônia Abrão que faz a festa durante a exibição das edições do Big Brother, reexibindo no dia seguinte imagens do reality, com direito à presença de ex-BBBs no sofá fazendo comentários. Trechos do BBB7 renderam boa audiência aos programas da RedeTV! este ano.


A assessoria da Globo confirma o veto, mas diz que ele só se limita à RedeTV! e ao BBB. E garante que se a emissora pedir previamente autorização para utilizar as imagens da atração, poderá até ter acesso a elas.


Procurada, a RedeTV! disse que até a tarde de ontem não havia sido comunicada da proibição. Caso isso aconteça, a emissora pretende respeitar a decisão, mas não deixará de recorrer na Justiça.


Mulheres Possíveis


Ao lado de Ingrid Guimarães, dona da idéia, Maria Rita participa da gravação do novo Mulheres Possíveis, programa com estréia prevista no GNT para o dia 24. O mote é traçar paralelos entre a vida de uma personagem anônima e de outra famosa.


Entre- linhas


Rafael Almeida, que viveu o pianista Luciano em Páginas da Vida, entrará em breve em Malhação e de novo se envolve com música.


O quarteto de Sex and the City está atraindo atenções em Nova York. O longa-metragem vem sendo filmado nas ruas de Manhattan. As últimas fotos publicadas por lá mostram Sarah Jessica Parker, a Carrie, vestida de noiva.


Ainda em Nova York, na segunda-feira passada, a fila para entrar na gravação do Late Show with David Letterman estava tão grande que quase alcançou a entrada do teatro onde Oprah Winfrey grava seu programa.


Carlinhos de Jesus não se acanhou em tietar Pedro Mariano nos bastidores do novo programa de Amanda Françozo na Gazeta: Papo de Amigos estréia hoje, às 22h, com Ivete Sangalo, Elaine Mickelly e Pepeu Gomes.


Por falar em Gazeta, o jornal carro-chefe da casa comemora o feito de ter ficado à frente do ‘novo’ SBT Manchete, com Carlos Nascimento e Cynthia Benini, por 12 minutos, terça-feira. Em outros 4 minutos, empatou, com picos de 2.7 e média de 2 pontos.


Atenção, Sportacus vem aí: militante da alimentação saudável e contrário ao sedentarismo, Magnús Scheving, o herói do programa Lazzy Town, exibido aqui via Discovery Kids, vem ao Brasil com Stephanie e cia. para shows no Citibank Hall, de 26 a 28 de outubro. Em seguida, a trupe baixa no Rio.’


************

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem