Domingo, 18 de Novembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1013
Menu

MONITOR DA IMPRENSA >

Afegão confessa ataque a comboio da imprensa

10/08/2004 na edição 289

Autoridade afegãs acusaram um homem identificado como Reza Khan de matar quatro jornalistas estrangeiros no fim de 2001, durante a queda do regime Talibã. Segundo informações do general Abdul Fatah, um procurador ligado ao serviço de inteligência afegão, Khan enfrenta acusações de assassinato, estupro e roubo.

Na ocasião, os jornalistas viajavam em um comboio da cidade de Jajajabad com destino a Cabul quando um grupo armado os tirou de seus carros e os matou. As vítimas eram o cinegrafista australiano Harry Burton e o fotógrafo afegão Azizullah Haidari, ambos da agência de notícias Reuters, e os repórteres Maria Grazia Cutuli, do jornal italiano Corriere della Sera, e Julio Fuentes, do espanhol El Mundo.

De acordo com Fatah, Khan admitiu ser um dos 11 homens que pararam diversos veículos na estrada na manhã do crime e afirmou ter matado um dos homens estrangeiros e ter estuprado a repórter italiana. Os carros dos jornalistas foram posteriormente saqueados. ‘Khan diz que recebeu as ordens de Maulawi Latif, um líder Talibã’, afirmou Fatah.

Khan também é acusado de ter cortado os narizes e orelhas de afegãos que estavam em um ônibus parado pelo grupo armado simplesmente porque ‘eles tinham barbas curtas’, uma das muitas proibições religiosas do regime Talibã.

Em abril do ano passado, as autoridades do país anunciaram que quatro pessoas haviam sido presas e duas haviam confessado ter participado dos crimes, mas suas identidades e detalhes das confissões não foram divulgados. Informações de Stephen Graham [AP, 5/8/04].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem