Domingo, 24 de Setembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº958

MONITOR DA IMPRENSA > VIOLÊNCIA CONTRA JORNALISTAS

Afegão condenado por blasfêmia

31/10/2005 na edição 353

O jornalista afegão Mohaqiq Nasab, editor-chefe da revista feminina Hoqooq-e-Zan (direitos das mulheres), foi condenado a dois anos de prisão na semana passada, acusado de escrever um artigo que blasfemava o Islã.

Nasab foi detido há pouco mais de um mês por ordem de um assessor religioso do presidente Hamid Karzai depois que um grupo de clérigos xiitas islâmicos reclamou que o editor teria blasfemado o Islã em sua revista. No artigo em questão, o jornalista questionava a necessidade das duras punições islâmicas aplicadas a ladrões, desertores da religião e outros. Sob a lei islâmica, blasfêmia pode ser punida com pena de morte.

O ministério da Informação do Afeganistão havia dito que a detenção de Nasab era tecnicamente ilegal, já que a comissão de mídia apontada pelo governo teria que interrogá-lo antes.

A missão de assistência da ONU no país protestou contra a sentença recebida por Nasab. Em uma declaração, a organização afirmou que ‘o direito à liberdade de expressão se aplica a todos, incluindo jornalistas, e deveria ser fortemente defendido’. Com informações da Reuters [23/10/05] e UN News Centre [24/10/05].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem