Domingo, 19 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

MONITOR DA IMPRENSA > NEWS OF THE WORLD

Andy Coulson e Rebekah Brooks indiciados por grampos

Por lgarcia em 25/07/2012 na edição 704

 

Tradução e edição: Leticia Nunes

 

Os ex-editores do News of the World Andy Coulson e Rebekah Brooks, junto com outras seis pessoas, serão indiciados por ligação com o escândalo dos grampos telefônicos no tabloide britânico, anunciou a Promotoria da Coroa do Reino Unido na terça-feira [24/7]. Coulson, ex-secretário de imprensa do primeiro-ministro David Cameron, editou o jornal de 2003 a 2007; Rebekah esteve no comando do News of the World de 2000 a 2003, e posteriormente foi executiva-chefe da News International, cargo que deixou no ano passado em meio ao escândalo.

Os outros indiciados são Stuart Kuttner, ex-chefe de redação do News of the World; Ian Edmondson e Greg Miskiw, ex-editores; Neville Thurlbeck, ex-repórter; James Weatherup, ex-editor-assistente; e o detetive particular Glenn Mulcaire, que prestava serviços ao jornal.

As acusações têm ligação com a prática de grampos ilegais para conseguir furos jornalísticos e cobrem de outubro de 2000 a agosto de 2006. Segundo a Promotoria, são 600 vítimas – de políticos a celebridades e pessoas envolvidas em crimes – e 19 acusações no total. Com exceção de Mulcaire, os indiciados responderão por conspiração para interceptar comunicações – no caso, mensagens de voz via telefone celular – sem autoridade legal.

Prática corriqueira

Em 2007, um jornalista do News of the World foi condenado – junto com Mulcaire – por grampear o telefone de funcionários da família real britânica, e ainda assim, nos anos seguintes, a News International insistiu que a prática limitava-se àquele único profissional. Em julho de 2009, o Guardian publicou uma série de artigos afirmando que os grampos eram mais corriqueiros do que a companhia de Rupert Murdoch admitia. O caso que levou ao fechamento do News of the World ­ocorreu em 2002 e veio à tona há um ano: o tabloide grampeou a caixa postal do telefone de uma adolescente desaparecida – a menina de 13 anos havia sido sequestrada e, descobriu-se meses depois, assassinada. A Polícia Metropolitana de Londres abriu investigação sobre o caso e chegou à conclusão, com base, em grande parte, nas anotações do detetive, que há mais de quatro mil possíveis vítimas de grampos ilegais.

A operação policial batizada de Weeting, aberta em janeiro de 2011, prendeu 24 pessoas, incluindo 15 jornalistas ligados ao tabloide. Agora, a promotoria recebeu arquivos desta operação sobre 13 pessoas, entre elas 11 jornalistas do News of the World e Mulcaire.

A polícia também prendeu 41 pessoas sob a operação Elveden, que investiga o suborno a policiais e outros funcionários públicos em troca de informações. Além disso, sete pessoas foram presas como parte da operação Tuleta, que abordava a invasão de computadores e outras violações de privacidade. Informações do Guardian.co.uk [24/7/12].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem