Quinta-feira, 18 de Julho de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1046
Menu

MONITOR DA IMPRENSA >

Após grave acidente, jornalista volta ao Iraque

15/07/2009 na edição 546

O jornalista americano Bob Woodruff, gravemente ferido em uma explosão no Iraque em 2006, voltou esta semana ao país. Woodruff, de 47 anos, trabalha para a emissora de TV ABC News e talvez seja o mais famoso profissional de imprensa vítima da guerra. Na ocasião, ele era âncora da emissora e tinha grande visibilidade nos EUA. O incidente ocorreu quando ele viajava com soldados em um tanque militar, para uma reportagem especial sobre o conflito, e o deixou inconsciente por 36 dias. A recuperação foi longa e dolorosa – Woodruff foi atingido na cabeça, e teve problemas de falta de memória. ‘Não conseguia lembrar das minhas duas filhas mais novas – de seus nomes ou de sua existência’, contou durante um programa especial na ABC News pouco mais de um ano depois da explosão.


Desta vez, o correspondente – que chegou ao Iraque na segunda-feira [13/7] – quer fazer uma reportagem voltada especialmente aos soldados que sofreram danos neurológicos por conta de ferimentos na cabeça ou foram diagnosticados com estresse durante o combate. Woodruff afirmou no blog da emissora que pretende entrevistar médicos e enfermeiras que trabalham na guerra e mostrar aos telespectadores novos equipamentos que, teoricamente, reduzem o risco de ferimentos nos soldados.


Empenho


O jornalista disse ser uma ‘honra’ poder continuar a contar histórias sobre o conflito para o público. Diante de todos os problemas enfrentados por ele, o público agradece o empenho. A vida de Woodruff, hoje, pode ser dividida entre antes e depois da bomba. Antes de janeiro de 2006, ele já havia estado seis vezes no Iraque. Naquele ano, fazia parte de um projeto da emissora para remodelar sua equipe e seu estilo de jornalismo – a idéia de ter âncoras fazendo mais reportagens externas veio daí. Em 29 de janeiro, dia da explosão, Woodruff completava seu 28º dia no cargo de âncora. Ele estava ao norte de Bagdá, acompanhado pelo cinegrafista Douglas Vogt, quando a bomba atingiu o comboio – Vogt também ficou ferido. O jornalista voltou ao trabalho mais de um ano depois, e hoje atua como correspondente da ABC e apresenta uma série semanal no canal a cabo Planet Green.


No blog, Woodruff diz que debateu com seus colegas e com membros do Exército se deveria voltar ao Iraque. Acabou percebendo que queria fazer a viagem. Desta vez, entretanto, promete ser mais comedido. Ficará em bases militares e não pretende se aventurar nas zonas de conflito. Ele acompanha, junto com outros correspondentes, o almirante Mike Mullen, chefe do Estado-Maior americano. Informações de Brian Stelter [New York Times, 14/7/09].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem