Sábado, 25 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

MONITOR DA IMPRENSA > RÁDIO PÚBLICA

Apresentadora demitida por participar de protesto

21/10/2011 na edição 664

Tradução e edição: Leticia Nunes

A apresentadora de rádio Lisa Simeone foi demitida do programa SoundPrint, transmitido pela estação WAMU, afiliada da NPR, rádio pública americana, por ter participado de um movimento em Washington inspirado no Ocupem Wall Street, nascido em Nova York. O SoundPrint é um documentário de rádio produzido pela empresa Soundprint Media Center, de Maryland; Lisa também apresenta o programa World of Opera (Mundo da Ópera), produzido pela estação pública WDAV, da Carolina do Norte, e também distribuído pela NPR. Ela não será afastada deste último.

Lisa, que trabalhava como freelancer, afirmou à Associated Press que o código de ética da NPR foi apresentado como justificativa para a demissão. Segundo o documento, jornalistas ligados à NPR não podem fazer trabalhos de relações públicas, pagos ou não – exceções são abertas para algumas atividades sem fins lucrativas voluntárias e apartidárias, como em igrejas e sinagogas ou organizações de caridade, desde que não entrem em conflito com os interesses da emissora.

Segundo a Soundprint Media Center, a apresentadora teria violado o código de ética da NPR porque os ouvintes não sabem a diferença entre a rede e produtoras independentes. “Para mim, não há problema em querer ser líder de um protesto organizado, mas você não pode ter ao mesmo tempo um papel jornalístico. Você não pode ser o apresentador de um programa de jornalismo e alegar que é diferente do repórter que entra um minuto depois que você faz a introdução do programa”, declarou Moira Rankin, presidente da Soundprint.

Outro lado

Em entrevista à Associated Press, Lisa havia ressaltado que não é jornalista. “Eu não cubro notícias. Em nenhum dos programas que faço, cubro notícias”. A apresentadora alega que, como freelancer, não violou o código de ética da rede pública de rádio. “Eu acho incompreensível que a NPR tenha objeções a eu exercer meus direitos como uma cidadã americana – o direito à liberdade de expressão, o direito à reunião pacífica – no meu próprio tempo e na minha própria vida”, afirmou.

Ela contou que participa, com cerca de 50 pessoas, de um comitê para organizar protestos na famosa Pennsylvania Avenue, em Washington – que liga a Casa Branca ao Capitólio. Lisa ressaltou que seu comitê não está ligado ao Ocupem Wall Street, que teve início em Nova York, mas que os dois movimentos compartilham das mesmas filosofias.

A NPR divulgou na quarta-feira, 19, uma declaração afirmando que tomou conhecimento da participação da apresentadora em um grupo “Ocupem D.C.”, mas enfatizou que ela não é funcionária da empresa. “Estamos conversando com a WDAV sobre como eles pretendem lidar com isso. Nós obviamente levamos esta questão muito a sério”, dizia a declaração. Já no dia seguinte, diante da notícia da demissão de Lisa do programa Soundprint, uma porta-voz da NPR declarou que não havia sido feito nenhum contato com os produtores ou pressão para que eles demitissem a apresentadora. Já a WDAV, que produz o World of Opera, declarou que não considera que as atividades pessoais de Lisa tenham violado as regras da empresa ou afetado seu trabalho.

No ano passado, a NPR demitiu o analista político Juan Williams depois que ele afirmou, durante comentário no canal de TV conservador Fox News, que ficava nervoso como pessoas com vestimentas muçulmanas em aviões. Na ocasião, a rede considerou que a frase de Williams violou o cógido de ética por encorajar “especulação” ao contrário de “análises baseadas em fatos”.

Com informações da Slate, do Huffington Post [20/10/11] e da Atlantic Wire [20/10/11].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem