Sábado, 25 de Maio de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1038
Menu

ENTRE ASPAS >

Autoridades tentam impedir cobertura internacional

28/04/2009 na edição 535

O governo de Mianmar tem planos de proibir antenas parabólicas para transmissão via satélite, que permitem que os moradores tenham acesso a programas de notícias e de entretenimento internacionais, porque estariam sendo usadas por nações estrangeiras para ‘causar inquietação e espalhar imoralidade’, noticia a AP [24/4/09]. Segundo artigo de Ko Gyi no jornal estatal Myanma Ahlin, ‘alguns países estariam usando transmissão via satélite para influenciar outros sob o pretexto do entretenimento’. ‘Eles estão usando estas ferramentas para interferir nas relações internas de outros países, para instigar a inquietação e destruir o nacionalismo. É hora de proibir a venda destas antenas’, afirmou. Não foram especificados os programas e países a que ele se referia.

A maior parte das casas da classe média usa antenas para poder ter acesso a eventos esportivos estrangeiros, novelas e notícias de outras fontes, além da mídia estatal fortemente controlada. De vez em quando, o governo faz ações de apreensão das antenas ilegais – forçando habitantes a esconderem as suas rapidamente. No ano passado, autoridades aumentaram a taxa anual paga pelos habitantes para ter antenas de US$ 6 para US$ 1 mil, um valor nada acessível para a maior parte das pessoas em Mianmar. Para se ter uma idéia, a quantia representa três vezes o salário anual de um professor de uma escola pública. O objetivo era limitar o acesso às notícias estrangeiras, em especial sobre a repressão do governo a manifestações pró-democracia e sobre a agressão a monges budistas que protestavam contra a alta no preço dos combustíveis, que causou um aumento no preço dos transportes públicos.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem