Domingo, 17 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

MEMóRIA > GERALDO BLOTA (1925-2009)

Bola com Pelé, o microfone com GB

Por Estêvão Bertoni em 20/01/2009 na edição 521

O trambolho de 8 kg que o radialista Geraldo Blota carregou para dentro do gol do Maracanã naquela noite de 19 de novembro de 1969 nada mais era do que um microfone. Meteu-o na boca de Pelé, que acabara de fazer o milésimo gol da carreira.

‘Ele se orgulhava de ter sido o primeiro a botar o Pelé no ar depois daquele gol’, conta a filha Dagmar. E o que o rei, com a bola nas mãos, disse? ‘Puta que pariu’, revela, aos risos. Na bagunça após o gol, GB, como era chamado, quebrou por acidente a antena de seu equipamento nas costas do jogador.

Natural de Ribeirão Bonito (SP), teve influência do irmão, o radialista e apresentador de TV Blota Júnior.

‘Ele foi radialista por causa do irmão e entrou na política por causa do irmão’, diz a filha. Do início da carreira, como sonoplasta, até 1992, quando se aposentou, GB passou pelas rádios Jovem Pan, Capital, Tupi e pelas TVs Record e Gazeta.

Foi também vereador em São Paulo. ‘O partido dele não era a Arena nem o PDS, o partido dele era Paulo Maluf’, diz a filha, que classifica o político como uma das pessoas mais leais à família.

‘Meu pai tinha um coração enorme e era o maior chato da paróquia’, brinca, sobre o perfeccionismo de GB. Quando algo o chateava, dizia: ‘Mas justamente hoje?’.

Morreu na noite de anteontem [14/1], aos 83, em SP, em consequência de um câncer de reto. Teve seis filhos, cinco netos e dois bisnetos.

******

Jornalista

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem