Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

CADERNO DO LEITOR > TRANSIÇÃO

Bush faz sua última coletiva na Casa Branca

14/01/2009 na edição 520

O presidente George W. Bush concedeu sua última entrevista coletiva no cargo na segunda-feira (12/1). Em novembro, a porta-voz da Casa Branca, Dana Perino, não confirmou se o presidente faria esta última entrevista com os correspondentes da sede do governo americano, como é praxe. Bush termina seu segundo mandato com a popularidade em baixa, e já foi até aconselhado por editoras a esperar um pouco para escrever um livro de memórias.


Ainda assim, o presidente usou a coletiva para refutar a idéia de que a moral da nação foi prejudicada por suas ações e para alertar o novo ocupante do cargo, Barack Obama, que, apesar dos problemas na economia, a prioridade mais urgente do governo, no momento, deve ser o combate ‘a um inimigo que gostaria de atacar a América e os americanos novamente’.


Erros


Relembrando seus dois mandatos, Bush admitiu que as coisas nem sempre ocorreram ‘de acordo com o planejado’ e que cometeu alguns erros, mas se recusou a falar sobre perdões presidenciais e alertou o Partido Republicano a ser mais inclusivo. O presidente ainda falou sobre como será fazer café para sua mulher, Laura, em seu rancho no Texas depois que Obama assumir o cargo, e arrancou risadas dos jornalistas ao dizer – sem entrar em detalhes – que arrumaria o que fazer logo após deixar a Casa Branca. ‘Eu não consigo me ver de camisa havaiana sentado em uma praia’, completou. ‘Ainda mais depois que parei de beber’.


A sessão de perguntas durou 47 minutos, e o momento mais tenso talvez tenha sido a defesa que Bush fez de sua guerra ao terrorismo. Enquanto ativistas dos direitos humanos criticam as táticas de contraterrorismo do governo, acusando a Casa Branca de fechar os olhos para casos de tortura e outros abusos, o presidente aproveitou o espaço para aconselhar a imprensa e, por extensão, seu sucessor a não esquecer as lições dos ataques de 11 de setembro de 2001 e o clima de medo em que foram baseadas suas políticas.


Sem sapatos


Esta é a primeira vez que Bush concedeu uma coletiva depois do episódio em Bagdá, em dezembro, em que foi atacado por um par de sapatos arremessado por um repórter iraquiano. Desta vez, apenas perguntas foram ‘arremessadas’. Bush começou agradecendo os correspondentes que o cobriram durante seu governo, ainda que sua relação com a imprensa tenha sido, em certos momentos, tensa. A entrevista de segunda-feira não foi, entretanto, o último pronunciamento de Bush enquanto presidente. Segundo a Casa Branca, ele irá fazer uma declaração de despedida na noite de quinta-feira (15/1) sobre os ‘grandes desafios do país’. Informações de Sheryl Gay Stolberg [The New York Times, 13/1/09].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem