Quinta-feira, 21 de Junho de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº992
Menu

MONITOR DA IMPRENSA > PERU

Camponeses seqüestram radialista

04/01/2005 na edição 310

Nova York, 29 de dezembro de 2004. Um grupo de camponeses armados com paus seqüestraram, na segunda-feira, o rádio-jornalista peruano Duber Mauriola Labán, após acusá-lo de promover os interesses de uma empresa mineradora local. A polícia estava tentando resgatar o jornalista, que ainda é mantido como refém em um povoado remoto.

De acordo com informes da imprensa local, mais de 50 integrantes de um grupo de camponeses seqüestraram Mauriola da casa de um amigo deste em Huancabamba, departamento de Piura, no noroeste do Peru. Os camponeses afirmam que os informes de Mauriola na estação local de rádio Centinela favorecem a empresa mineradora de cobre Majaz S.A. que, segundo os camponeses, contaminaria o ambiente.

Mauriola foi golpeado e levado a um povoado afastado, localizado a cerca de dez horas a pé, informou a imprensa peruana. A polícia iniciou os trabalhos de resgate para tentar a libertação do jornalista, mas as condições do tempo impediram a operação.

Amigos de Mauriola detiveram Josefa Adrianzén, que havia participado do seqüestro, e o entregaram à polícia local, informou o matutino El Comercio. A polícia também deteve Federico Ibañez, jornalista da rádio Difusora de Huancabamba, por ter instado os camponeses a continuar mantendo o refém, informou o El Comercio.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem