Terça-feira, 16 de Outubro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1009
Menu

MONITOR DA IMPRENSA >

Câncer mata jornalista da BBC

08/02/2005 na edição 315

Morreu em 31/1 o jornalista inglês Ivan Noble, aos 37 anos. Ele trabalhava na seção de ciência e tecnologia do sítio da BBC News, e há dois anos enfrentava um tumor no cérebro. Pouco depois de receber o diagnóstico, em agosto de 2002, Noble começou a escrever uma coluna sobre a doença. Ele recebia muitas mensagens do público, algumas das quais eram publicadas com seus textos. Leitores escreviam para dizer que a franqueza do jornalista os ajudara a enfrentar o câncer ou a auxiliar parentes e amigos com a doença. A última coluna de Noble, publicada há duas semanas, foi escrita no fim do ano passado, pouco antes de ele ser internado num hospital em Londres. Nela, o jornalista dizia que a resposta dada pelo público o havia ajudado a viver por tanto tempo com o câncer. Noble deixa mulher e dois filhos. Uma coleção com seu diário online será publicada no fim deste ano, e os lucros serão doados a instituições de caridade. Informações da BBC [1/2/05].



Telegraph demite 90 funcionários

A crise da queda de vendas enfrentada pelos jornais britânicos atingiu, agora, o grupo de mídia Telegraph, líder de mercado na Europa. A companhia vai demitir mais de 17% de seus jornalistas – cerca de 90 profissionais – para investir US$ 282 milhões em novos equipamentos de produção. Também o jornal Financial Times, da Pearson, anunciou, na semana passada, que começou a oferecer um programa de demissões voluntárias, que deverão atingir pelo menos 30 de seus repórteres veteranos. O Telegraph é o único grande jornal da Grã-Bretanha que não anunciou mudança de formato. O Times e o Independent já reduziram as edições ao formato tablóide. Informações da Reuters [4/2/05].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem