Sábado, 18 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

ENTRE ASPAS > SEXTA-FEIRA, 12/3

Cartunista Glauco é homenageado na internet

Por Leticia Nunes (seleção de textos) em 12/03/2010 na edição 580


Leia abaixo a seleção de sexta-feira para a seção Entre Aspas.


 


************


Folha Online


Sexta-feira, 12 de março de 2010


 


GLAUCO (1957-2010)


Glauco foi ser humano admirável, diz diretor de Redação da Folha


‘O cartunista Glauco Vilas Boas, 53, assassinado na madrugada desta sexta-feira em Osasco (Grande São Paulo), ‘foi um grande artista e um ser humano admirável’, afirma Otavio Frias Filho, diretor de Redação da Folha, em nota.


‘Glauco foi um grande artista e um ser humano admirável. Sua obra ficará na memória das gerações que amaram seus desenhos e no traço dos muitos artistas jovens que sua imaginação influenciou. Era uma pessoa que tinha a doçura de uma criança e a serenidade de um sábio. Sua morte e a de seu filho Raoni são motivo de profunda tristeza, especialmente na Folha, casa profissional do cartunista há mais de três décadas.’


Glauco e seu filho Raoni, 25, foram baleados por criminosos armados, nesta sexta-feira. A polícia procura os suspeitos.


Carreira


Nascido em Jandaia do Sul, interior do Paraná, Glauco começou a publicar suas tirinhas no ‘Diário da Manhã’, de Ribeirão Preto, no começo dos anos 70.


Nos anos de 1977 e 78, Glauco foi premiado durante o 4º e o 5º Salão Internacional de Humor de Piracicaba, respectivamente.


Em 1977, ele começou a publicar seus trabalhos na Folha de maneira esporádica. A partir de 1985, Glauco passou a publicar suas tiras regularmente no jornal.


Entre seus personagens estão Geraldão, Cacique Jaraguá, Nojinsk, Dona Marta, Zé do Apocalipse, Doy Jorge, Ficadinha, Netão e Edmar Bregman, entre outros.


Em 2006, ele lançou o livro ‘Política Zero’, reunião de 64 charges políticas sobre o Governo Lula publicadas na página 2 da Folha.


Glauco também era líder da igreja Céu de Maria, ligada ao Santo Daime e que usa a bebida feita de cipó para fins religiosos.’


 


 


Cartunistas se unem para prestar tributo a Glauco na internet


‘O cartunista Glauco Villas-Boas, 53, que foi assassinado nesta madrugada em sua casa, em Osasco (Grande SP), recebeu diversas homenagens na internet.


O blog do site Universo HQ, que existe há dez anos e é especializado em cartuns, reuniu algumas delas em um texto publicado de manhã e que está sendo atualizado à medida que chegam charges, cartuns e textos sobre o cartunista.


O editor-chefe do site, Sidney Gusman, que era amigo de Glauco e assina a introdução da homenagem, diz que a notícia da morte ‘derrubou todo mundo que ama quadrinhos neste país’.


Segundo ele, as homenagens estão sendo enviadas por autores, fãs e cartunistas de todas as partes do país.


Até a tarde desta sexta-feira (12), mais de quarenta pessoas já haviam prestado suas homenagens. Segundo Gusman, ele ainda estava recebendo diversos e-mails com mais tributos a Glauco.


‘Está vindo tanta coisa que não estou dando conta de colocar no ar’, afirma.


Algumas das homenagens de autores, fãs e cartunistas de todas as partes do Brasil recebidas pelo blog


Blogs


Em blogs de colegas de Glauco, também é possível ver homenagens ao cartunista. No de Caco Galhardo, por exemplo, ele escreveu que ‘Glauco sempre foi uma das minhas maiores referências, pelo trabalho, pela pessoa, por tudo e agora minha sensação é de que todos nós viramos um bando de órfãos’.


No blog de Adão Iturrusgarai, o cartunista diz que Glauco ‘tinha um dos traços mais difíceis de imitar. Era muito caligráfico, quase uma assinatura’.


Já Jean Galvão apenas registrou a notícia da morte com o título ‘triste’.’


 


 


 


************


Estadao.com.br


Sexta-feira, 12 de março de 2010


 


GLAUCO (1957-2010)


Gabriela Allegro e Rodrigo Martins


Twitteiros homenageiam Glauco e pedem paz


‘Assassinado na madrugada desta sexta, o cartunista Glauco movimentou a internet durante todo o dia. No Twitter, foi um dos assuntos mais comentados, encabeçando, inclusive, a lista por várias horas. Por hora, houve picos de até 1,7 mil twitts disparados, segundo o site Blablabra, que mede a movimentação dos brasileiros no serviço de microblogging.


Nesta sexta, twitteiros fazem e linkam homenagens aos cartunistas. Outros pedem paz, compartilham notícias novas e arquivos de tirinhas do cartunista. Veja abaixo uma núvem de tags que o estadao.com.br fez com os últimos mil twitts sobre Glauco, mostrando as palavras mais usadas pelos twitteiros.


Internautas também se reuniram para fazer uma homenagem a Glauco em forma de charge. Somente nesta sexta, o blog Universo HQ conseguiu reunir mais de 60 tirinhas inspiradas no artista.’


 


 


Rosana de Cassia


Lula e José Serra lamentam morte de cartunista Glauco


‘O presidente Luiz Inácio Lula da Silva lamentou há pouco, por meio de nota, a morte do cartunista Glauco e do filho dele, Raoni, ocorrida nesta madrugada, em São Paulo. Para o presidente, a morte do cartunista foi uma ‘tremenda’ perda.


‘Glauco foi um grande cronista da sociedade brasileira, entendia os usos e costumes da nossa gente e expressava isso com inteligência e humor’, afirmou o presidente.


José Serra


O governador de São Paulo também divulgou uma nota lamentando a morte precoce e se referindo ao cartunista como um ‘crítico dos usos e costumes’. Para Serra, Glauco era ‘dono de um traço caligráfico e criou toda uma galeria de personagens, alguns tão familiares que são hoje parte do nosso cotidiano nas ‘tirinhas’ dos jornais. Era um crítico dos usos e costumes do nosso país sem perder a leveza e o humor tão brasileiro de seu desenho’, analisou o governador paulistano, expressando suas condolências à família, amigos e fãs.’


 


 


 


************


Folha de S. Paulo


Sexta-feira, 12 de março de 2010


 


INTERNET


José Sarney


Internet e as flores


‘NESTA SEMANA , participei de um seminário sobre ‘As Novas Mídias e a Crise do Modelo Político’. A curiosidade geral era sobre como a internet está modificando nossa sociedade.


Refleti sobre as mudanças durante os anos da minha vida. Sou da geração que viu dois séculos, a maior guerra mundial e as transformações que nos levaram até a sociedade de informação, na qual não pensamos mais individualmente, mas nos tornamos um ser coletivo.


Comecei no lápis, na pena bico de pato, com direito a tinteiro, a caneta-tinteiro, com uma bolsa de borracha acionada para acumular tinta, a revolução da esferográfica, até todas as formas de hoje, da ponta porosa até o bico de balão.


A máquina de escrever batendo teclas manuais, depois elétrica, até abandonar-se tudo e ficar escravo do computador. Um retângulo que cabe na palma da minha mão me permite falar com quem quiser em qualquer lugar do mundo. Com um e-mail mando mensagens, converso, opino.


Aí, mergulhando na pesquisa, vou encontrar um mundo de informações tão vasto que me faz perder a verdade, porque são tantas verdades que nos oferecem que é difícil saber qual é a verdade. Talvez daí por que Dom Miguel de Unamuno, há cem anos, tenha dito no seu livro ‘Do Sentimento Trágico da Vida’ que a pergunta mais profunda do ‘Novo Testamento’ é a de Pilatos: ‘O que é a verdade?’.


Nasci numa pequena vila perdida no interior da Amazônia onde só havia a comunicação do fio que atravessava os campos e dava ao telegrafista condições de, duas vezes por dia, código Morse, receber mensagens. Depois, aos sete anos, ouvi fascinado o rádio, um único na cidade a atrair toda a população para saber notícias da Guerra da Espanha e, quando a estática fazia aquele zumbido enorme, o farmacêutico José Alvim explicava: ‘É tiro do lado republicano’.


Tudo se transformou, e vivemos um mundo em transformação e transformado, com TV e vídeos.


Hoje estou conectado com o Twitter e o YouTube, recusando a ficar para trás, corro a vista em alguns blogs. A mídia da internet, que era alternativa, hoje disputa o papel de principal. A notícia em tempo real faz os jornais ficarem velhos no mesmo dia do nascimento.


Mas o que mais me admirou nos últimos dias foi o que li num boletim econômico do BB: a cotação das flores. Elas eram inspiração dos poetas e hoje são objeto de mercado. Ali está escrito: ‘Que tipos de flores estão em alta neste verão?’. Resposta: ‘Eu destacaria as alpínias, as bromélias e a cúrcuma’. É a Bolsa das Flores.


Tudo mudou. E recordo que minha mãe conversava com elas, e Hipócrates, o sábio da medicina, cinco séculos antes de Cristo, aconselhava falar com as flores -hoje, até pela internet.’


 


 


Alec Duarte


Google de Lula não resiste à 1ª busca


‘Imagine se o Google fizesse buscas apenas dentro de si, apresentando como resultados unicamente ocorrências em sites próprios que detalham as funcionalidades dos mais de 150 produtos ou aplicativos da companhia. Pois é exatamente isso que o Portal Brasil (www.brasil.gov.br), chamado pelo presidente Lula de ‘Google brasileiro’, faz.


A comparação é descabida e não resiste à primeira busca, item em que o Google (o de verdade) construiu a sua sólida reputação de excelência. Como explicar que o Flamengo, time de futebol mais popular do país, tenha só duas incidências no Portal Brasil, enquanto o PAC tinha, até ontem, 298?


Fácil: o portal é, no máximo, um Google do governo do Brasil (ou o ‘espaço institucional do Estado brasileiro na internet’, como se apresenta) e não tem a extensão que a já conhecida megalomania presidencial tentou conferir à página.


A própria busca dentro do site público nada tem a ver com a eficiência da empresa que revolucionou o conceito de busca com um algoritmo que leva em conta a inteligência coletiva.


É o que supõem as parcas 94 vezes em que o nome de Lula surge ao se fazer uma busca simples no portal -dotado em boa parte de material oficial produzido pela Agência Brasil, que cobre fartamente as atividades diárias do presidente.


‘Por exemplo, se um cidadão qualquer do Chuí ou do Oiapoque quiser saber sobre cultura, saber sobre Portinari, sobre Di Cavalcanti, ele vai entrar no portal e vai ver os quadros, as pinturas desses grandes artistas brasileiros’, disse Lula na segunda, no programa ‘Café com o Presidente’.


Se o mesmo cidadão quiser se informar sobre Ariano Suassuna, importante dramaturgo popular brasileiro, porém, terá de procurar outra fonte.


No Portal Brasil, o que surge é o indefectível ‘não foram encontrados resultados’. E, para usar o exemplo de Lula, há sites sobre Di Cavalcanti e Portinari com muito mais substância.


As maiores críticas à página chapa-branca até agora dizem respeito apenas à sua instabilidade. Pudera: desde que foi lançado, na quarta passada, o portal passou ao menos três dias fora do ar, o que é natural diante da migração de conteúdo de mais de uma centena de sites e inclusão de elementos multimídia que não existiam.


O que não é normal é que ‘novas demandas de ajustes de configuração’, conforme a justificativa oficial da Secom (Secretaria de Comunicação da Presidência da República, responsável pelo produto), tenham sido detectadas após um ano, 200 profissionais e R$ 11 milhões empenhados na tarefa.


Esses números são muito superiores aos de qualquer reforma técnica de um grande portal comercial, como o UOL (quarto endereço mais acessado do Brasil, segundo a empresa de auditoria on-line Alexa).


A URL brasil.gov.br, que hospeda o portal de Lula, ocupa apenas a 3.298ª posição no mesmo ranking de acessos.’


 


 


TODA MÍDIA


Nelson de Sá


Profeta do diálogo


‘Com o título acima, o israelense ‘Haaretz’ adiantou ontem sua entrevista com Lula, que viaja amanhã para Israel. O texto de Adar Primor abre descrevendo ‘o mais popular chefe de estado da história do país’ e dizendo que ‘o consenso universal é que é simplesmente impossível não gostar dele’.


Lula ‘entra na sala e sorri em todas as direções’, para a entrevista que contou também com um repórter da agência árabe brasileira Anba. ‘Imparcialidade é o nome do jogo’, escreve Primor, e o brasileiro joga par ou ímpar quatro vezes até definir ‘quem vai fazer a primeira pergunta’. Lula conta que questionou Ahmadinejad por negar o Holocausto. Vincula suas visitas a Israel e ao Irã com a busca da paz -e pede novos atores, ‘brasileiros, muito provavelmente’, ironiza o repórter, na mediação do conflito árabe israelense. Lamenta que, dos acordos de Oslo, só restem ‘prêmios Nobel e fotos de pessoas abraçadas’.


O longo relato fecha com uma descrição da rua Saara, no Rio, ‘onde judeus e árabes vendem roupas e brinquedos lado a lado’, e de um comercial em que dois meninos com a camisa da seleção brasileira, um judeu e um árabe, iniciam ‘uma bela amizade. É a mesma mensagem, ingênua ou não, que Lula quer infundir nas nações em conflito’.


Por outro lado, no ‘Jornal Nacional’:


‘O jornal ‘Miami Herald’ comenta boatos de que Lula se lançaria a secretário-geral da ONU, com o título: ‘Presidente do Brasil como chefe das Nações Unidas? Esperamos que não’.’


BEM-VINDO À FESTA


Com o título acima, em português, a coluna Lex, do ‘Financial Times’, saudou ontem a aquisição dos negócios da americana Devon no Brasil, inclusive licenças no pré-sal, pela BP. A maior companhia britânica de petróleo ‘queria há muito entrar e está pagando US$ 7 bilhões para tanto’. Avalia que ‘o preço pago parece alto, à primeira vista, mas este acordo é sobre o futuro’.


O site do jornal britânico acompanhou o negócio desde a madrugada, em vários posts. Na reportagem principal, no alto da home, sublinhou à noite que a compra dá acesso aos poços ‘em parceria com a Petrobras’.


EXCITANTE


Com a foto acima, mais análise em vídeo, a Bloomberg destacou, ouvindo analistas do setor, que foi ‘um dos melhores negócios realizados pela BP em sua história’, por incluir ‘o Brasil em seu portfólio’, com ‘as excitantes águas profundas brasileiras’


UM PÉ NO BRASIL


A exemplo do ‘FT’, o ‘Wall Street Journal’ seguiu a negociação desde a madrugada, noticiando na home, por fim, que o acordo ‘garante um pé nas águas profundas do Brasil’ e ajuda a dispersar ‘as dúvidas sobre a capacidade da BP de continuar produzindo mais e mais petróleo’. Na análise ‘BP samba’, afirma que o negócio não eleva sua produção de imediato e ‘não foi barato, mas traz a promessa de um salto a partir de 2015’.


POTENCIAL


A notícia correu EUA e Europa. O ‘New York Times’ adiantou reportagem destacando que a petroleira ‘consegue acesso às reservas brasileiras’ e avaliando que ‘gigantes do petróleo como a BP estão em busca de aumento de produção em áreas com grande potencial’.


CORRIDA


Em Londres, o ‘Guardian’ noticiou que a ‘BP se junta à corrida do petróleo no mar profundo’. Depois, na análise ‘BP quebra a castanha do Pará’ (Brazil nut), afirmou que ‘o buraco no portfólio era óbvio há tempos’ e a empresa demorou para acordar para o pré-sal brasileiro.


CAIU, MAS SUBIU


Na manchete do UOL, abrindo o dia, ‘PIB recua 0,2% em 2009, mas cresce 2% no quarto trimestre’. Da Reuters Brasil, ‘PIB cai 0,2% em 2009, mas mostra vigor no final do ano’. No portal Terra, o economista Luiz Gonzaga Belluzzo deu entrevista para o enunciado, entre aspas, ‘Após recuo, PIB deve crescer até 6% em 2010’.


No exterior, o destaque foi todo para o futuro, com os mesmos números do IBGE. No enunciado do ‘Financial Times’, ‘Brasil pronto para crescer pelo menos 5,5%’ em 2010. Do ‘Wall Street Journal’, ‘Recuperação robusta pode levar o Banco Central a agir’.


OUTRO BC?


Lula até veio a público, através de um de seus ministros, afirmar que ‘deseja que Henrique Meirelles fique na presidência do Banco Central’, destaque na Agência Brasil. Mas as apostas já corriam, ontem, sobre os substitutos. No iG, por exemplo, ‘Luciano Coutinho voltou a ser cogitado para suceder Meirelles no BC’.’


 


 


GUIA PRÁTICO


Guia do Ministério Público ensina promotores de SP a ‘tratar bem’ jornalistas


‘O Ministério Público de São Paulo elaborou um ‘guia prático’ para ensinar promotores a se relacionar com a imprensa. Entre as dicas estão desde o oferecimento de um café ao jornalista a não se irritar com uma pergunta absurda feita por ele.


‘Nesse caso, tenha paciência e responda tudo com clareza’, explica trecho do documento, que está sendo distribuído para os quase 2.000 promotores no Estado.


De acordo com procurador-geral da Justiça de São Paulo, Fernando Grella, o material foi produzido por jornalistas para dar dicas para os promotores, em especial aos que não têm muito contato com a imprensa.


‘O objetivo é incentivar e orientar, principalmente os mais jovens, a se comunicar com a imprensa de maneira adequada e frequente’, afirmou o procurador.


A cartilha também orienta o promotor a ser simpático (sem ser bajulador), ser firme (sem ser rude), e a responder sempre de maneira educada até mesmo às perguntas mais ríspidas. ‘Perguntas indiscretas fazem parte do trabalho dos jornalistas. Não se irrite com elas.’


Também orienta ao entrevistado a não gesticular muito quando falar em especial para TV, manter calma e evitar muitos termos técnicos. A cartilha é bem detalhada.


‘Se errar, peça para regravar (exceto nos programas ao vivo)’, orienta o texto.


O documento, elaborado pela assessoria de comunicação da Promotoria, também dá algumas dicas de promover a instituição. Uma delas é começar as respostas com um ‘o Ministério Público’. ‘Dessa forma, em uma eventual edição da entrevista fica difícil desvincular a atuação do MP do assunto’.’


 


 


TELEVISÃO


Andréa Michael


Hélio Costa ‘vende’ TV digital brasileira na América Latina


‘O ministro Hélio Costa (Comunicações) apresentará nesta segunda-feira à Costa Rica o modelo nipo-brasileiro de TV digital. A visita é parte de um périplo na América Latina por adesões à opção tecnológica feita pelo Brasil e pela ampliação de mercados para a indústria nacional.


Ele vai se reunir com o ministro da Presidência da Costa Rica, Rodrigo Arias, cargo similar ao titular da Casa Civil, e depois almoçará com empresários e representantes do governo daquele país.


A tecnologia nacional já foi adotada por Peru, Argentina, Chile e Venezuela. Em todos esses casos, a escolha ocorreu após visitas semelhantes à que o ministro fará à Costa Rica.


Seria uma conquista estratégica principalmente pela proximidade do mercado dos EUA.


Estão bem adiantadas também as conversas com Equador, Cuba e Uruguai.


Na semana passada, em audiência com o presidente uruguaio, José Mujica, a apresentação do ministro brasileiro incluiu a oferta de uma linha de financiamento do BNDES de R$ 40 milhões para pesquisas de tecnologia e softwares.


O Uruguai seria uma adesão emblemática, já que há quatro anos o país elegeu o padrão europeu. Teria que migrar para o sistema nipo-brasileiro.


Linhas de crédito também fazem parte do pacote a ser oferecido aos costa-riquenhos, em valor ainda a definir.


PROMISSÓRIA


Segue a novela dos pontos adicionais da TV paga. Na semana passada, a 6ª Vara da Fazenda Pública de SP impediu as operadoras de cobrar pelos extras. Anteontem, a Comissão de Indústria e Comércio da Câmara Federal aprovou projeto de lei que autoriza a cobrança.


FILIAL


Além de articular seu primeiro debate presidencial, a MTV abrirá escritório em Brasília. Leo Madeira e Marcelo Soares se revezarão na cobertura.


FOGO AMIGO


A equipe de jornalismo da Globo foi homenageada informalmente em cerimônia pelos 130 anos do Corpo de Bombeiros de SP, na quarta. Os profissionais agradeceram às reportagens que estão sendo exibidas esta semana pelo SPTV.


ATÍPICO


‘Foi uma semana difícil. Terremoto, tsunami…’, disse o autor Tiago Santiago, sobre a estreia da novela ‘Uma Rosa com Amor’ (SBT), 11 dias atrás. ‘Mas ainda apostamos nos dois dígitos.’ Houve leve recuperação na média de audiência anteontem, com cinco pontos (300 mil domicílios ligados na trama na Grande SP). Nos dias anteriores, ficou entre três e quatro pontos.


BIQUINHO


Sobre sotaques como o do empresário Claude (Claudio Lins), Santiago prometeu: ‘Vão ficar mais brandos à medida em que os personagens forem se abrasileirando’. A diretora do SBT Daniela Beyruti agradecerá. ‘O sotaque desse francês me irrita…’, brincou no Twitter.


com Clarice Cardoso’


 


 


Mônica Bergamo


Futuro próximo


‘Paulo Markun termina seu mandato na TV Cultura em junho -e a discussão sobre sua sucessão já atinge altas temperaturas. O grupo de José Serra no PSDB defende a sua recondução, para não ‘criar marola’. O jornalista, no entanto, enfrenta forte resistência de parte do conselho da Fundação Padre Anchieta, que o elege. ‘Tratar desse assunto com o Serra é até impertinência no momento em que ele está angustiado com a própria candidatura à Presidência’, diz um assessor do governador que defende que o assunto seja discutido ‘só lá na frente’, quando Serra não for mais governador de SP.’


 


 


 


************


O Estado de S. Paulo


Sexta-feira, 12 de março de 2010


 


CUBA


Dissidente cubano passa mal e é internado


‘O dissidente cubano Guillermo Fariñas, em greve de fome há 16 dias, foi internado ontem em um hospital de Santa Clara, 280 quilômetros ao leste de Havana, após sofrer seu segundo choque hipoglicêmico. Ele estaria em ‘estado grave’. Na semana passada, Fariñas também foi hospitalizado depois de perder a consciência e dar sinais de desidratação.


Ontem, o jornalista e psicólogo perdeu a consciência por volta das 14 horas locais (16 horas de Brasília) e foi levado ao hospital por parentes e jornalistas que o visitavam no momento do colapso. Segundo o médico pessoal do opositor, Ismel Iglesias, Fariñas acordou ontem com seu estado de saúde ‘completamente deteriorado’, com taquicardia e pressão baixa.


Momentos antes de Fariñas desmaiar, um grupo de médicos do sistema de saúde pública de Cuba visitou o dissidente e pediu que ele concordasse em ir, de ambulância, até uma clínica para que fizesse um check-up profissional.


O opositor, porém, agradeceu ‘o profissionalismo e a humanidade’ dos médicos, mas insistiu em fazer os exames em sua casa. Fariñas reiterou que não abandonaria a greve de fome nem aceitaria ir para um hospital enquanto estivesse consciente. Os médicos aceitaram as condições e coletaram amostras no local, mas saíram antes de Fariñas desmaiar.


O dissidente começou seu protesto no dia 24 para pedir a libertação de 26 presos políticos que estão doentes. A greve de fome também é uma manifestação contra a morte de Orlando Zapata Tamayo, preso político que morreu após passar 85 dias em greve de fome.


Desde que começou o jejum, Fariñas já perdeu 13 quilos – há duas semanas, ele pesava 71 quilos e hoje está com 58 quilos. Essa é a 23ª greve de fome que o dissidente faz desde a década de 90, quando entrou para a oposição ao regime cubano. A mais famosa delas foi em 2006, quando decidiu protestar contra a censura à internet em Cuba e ficou quatro meses sem comer, mas recebendo soro.


CONDENAÇÃO


O Parlamento Europeu aprovou ontem uma resolução que condena Cuba pela ‘evitável’ e ‘cruel’ morte de Zapata no mês passado. O órgão também alertou para o possível ‘desfecho fatal’ que a greve de fome de Fariñas pode ter. Os parlamentares ainda pediram que os demais dirigentes europeus intensifiquem as medidas para exigir a liberdade dos presos políticos cubanos.


O governo de Cuba rejeitou a condenação, afirmando que o relatório é um ‘ataque feroz’ contra Havana e ‘oculta a realidade’.’


 


 


REFORMA


Novo projeto do ‘Estado’ amplia cobertura cultural do fim de semana


‘O fim de semana vai ficar mais empolgante no Estadão. O lançamento de novos cadernos e a remodelação dos atuais darão ao leitor maior diversidade de assuntos. A mudança começa na primeira página do jornal, que refletirá essa diversidade com destaques no alto, na sexta-feira, no sábado e no domingo.


‘Na reformulação do jornal, ficou evidente que o fim de semana começa já na edição de sexta ? com as estreias de cinema, por exemplo ?, prossegue com força no sábado e fecha em grande estilo no domingo’, explica a editora executiva de cadernos culturais, Laura Greenhalgh.


A ideia de manter um Caderno 2 de fato diário serviu de base ao projeto. ‘Antes tínhamos o Caderno 2 de segunda a sábado. No domingo, ele se fundia com o Cultura, mas isso levava a um produto sem identidade. Optamos por dar vida própria e contínua ao Caderno 2, reservando os sábados para o Sabático.’


Com isso, melhora a distribuição de temas e cadernos pelo fim de semana. Amanhã será lançado o caderno Sabático ? Um tempo para a leitura. Focado em livros e mercado editorial, será o primeiro suplemento do novo projeto a chegar às mãos dos leitores.


Também no sábado, a partir do dia 20, os leitores receberão o C2 + música. Diferentes tribos musicais ? da MPB ao rock, do hip hop ao jazz ? encontrarão no novo caderno perfis e entrevistas com artistas, reportagens e seções especiais. Além de um acompanhamento atento do mercado musical dentro e fora do País e de cinco novos colunistas que se revezarão semanalmente na coluna Ouvido Absoluto ? Gilberto Mendes, Claudia Assef, Nei Lopes, Roberto Muggiati e Lúcio Ribeiro. Para que o caderno também possa ser ‘visto’ e ‘ouvido’, o estadão.com.br e a Rádio Eldorado tornam-se parceiros na iniciativa. E uma outra novidade é incorporada: o Projeto Musique, um festival de MPB em tempos de internet, que permitirá a qualquer pessoa musicar letras de grandes compositores. Um júri especializado depois escolherá os melhores trabalhos.


Aos domingos, o destaque é o Caderno 2 Domingo, com grandes perfis e entrevistas exclusivas com quem faz, pensa e agita o mundo cultural. Entre as seções novas, estreia Impressão Digital, assinada pelo jornalista Alexandre Matias, editor do Link, com as novidades, polêmicas e tendências artísticas que circulam pelos sites culturais e de relacionamento. E uma prévia da agenda de eventos da semana que se inicia trará indicações de críticos e especialistas do Estado. As colunas de Sonia Racy, Verissimo, João Ubaldo e Daniel Piza permanecem.


NOVA CARA


Cadernos que já existiam foram remodelados. Com a análise dos fatos marcantes da semana que passou, o Aliás continua aos domingos, mas, além de mais bonito e elegante, ganhou uma edição mais leve de textos. ‘Continuaremos perseguindo um caderno plural, antenado, ousado e divertido, justificando sua reputação como uma das boas novidades da imprensa nos últimos anos’, diz Laura.


Com capa em papel especial, o Casa traz todo domingo o que há de novo na arquitetura e na decoração. E vai, segundo o editor executivo Luiz Américo Camargo, progressivamente se tornar um veículo de expressão de tendências e estilo de vida. ‘Queremos consolidar seu caráter de ‘crônica da vida privada’. Isso se percebe na pauta e na abordagem do que acontece no mundo: atualmente, o Casa já antecipa novidades no design, já projeta novos nomes.’


Repaginado, o TV também ganhou cara mais moderna e perdeu o Lazer do nome. Sua página de horóscopo e quadrinhos migrará para o Caderno 2 Domingo e os leitores perceberão algumas novidades. Como uma nova seção com dicas de jornalistas do Estado sobre o que não perder na programação da televisão aberta e fechada. Para que ao longo da semana telespectadores também não sintam falta do tema, uma página no Caderno 2 trará a coluna Sem Intervalo, assinada pela jornalista Keila Gimenez, a seção Controle na mão, com dicas do melhor na telinha, e um espaço com informações e críticas de todos os filmes do dia.


O Feminino também foi completamente remodelado. Mas sem perder suas tradicionais reportagens e dicas de moda, beleza, comportamento e saúde.’


 


 


‘Estadinho’ ganha formato de gibi e fica mais divertido


‘Uma das grandes surpresas do novo projeto será o Estadinho. Para começar, vai mudar de formato: em vez de tabloide, as crianças vão receber um gibi. Seu conceito também foi ajustado e deve focar principalmente as crianças de 6 a 10 anos, além de dialogar com os pais. ‘O Estadinho vai ficar bem mais divertido’, garante o editor-chefe de Publicações, Ilan Kow. E as novidades não vão se restringir ao papel. Um aspecto importante desta nova fase do caderno é a criação, para breve, da Sessão Estadinho de Contação de Histórias, envolvendo contadores e até editoras de livros. Outra estreia é a do Professor Sassá, um criativo especialista em trabalhos manuais e brincadeiras com materiais variados.’


 


 


TELEVISÃO


Keila Jimenez


Caetano Unplugged


‘Seu piti no palco do VMB em 2004 entrou para a história da MTV, história essa que ele ajudará a comemorar este ano, quando a rede musical completa 20 anos no ar. Após muita negociação, Caetano Veloso será a grande estrela do aniversário da emissora musical, ganhando um Acústico MTV – ‘emetevê’, como ele prefere dizer – que será realizado em maio.


O programa/show, que já ressuscitou muita banda, esbarrava justamente, ou melhor, ainda esbarra, no que anos atrás era a garantia de fechar a conta do azul: a venda de CDs e DVDs frutos do acústico. Com a crise desses mercados, Acústico virou artigo de luxo na MTV. A rede, que chegou a produzir cinco edições do formato em um só ano, vinha aposentando o programa, homeopaticamente. O último, em 2009, com Paulinho da Viola, foi quase como uma despedida.


Com um custo alto de produção e captação de áudio – cerca de R$ 1,5 milhão – o Acústico MTV com Caetano terá, então, um modelo comercial diferente dos anteriores. A emissora musical busca uma empresa que queira aliar sua marca à programação dos 20 anos do canal. Uma espécie de patrocinador oficial do aniversário.’


 


 


Entrelinhas


‘Jornal Nacional, Jornal da Globo e Bom Dia Brasil abrem em agosto a rodada de entrevistas na bancada com candidatos à Presidência da República. O primeiro será o JN, de 9 a 12 de agosto, seguido por JG e Bom Dia Brasil.


As rodadas de entrevistas na Globo com os candidatos a governo estadual vão ao ar de 16 a 20 de agosto, na 2.ª edição dos noticiários locais de cada praça, como o SPTV.


Avatar, sensação do Oscar, deve de ir parar – sabe Deus quando – no pacote de filmes da Globo. Coisa de distribuidor.


Ordem no SBT: que as produções deem um tempo na ‘Maisinha da vez’, a Mini Lady Gaga, nestes tempos de olho grande da Justiça. Solução: chá de sumiço até maio na menina, que já tem contrato com o canal.


Quem acha que Legendários, nova atração de Marcos Mion na Record, terá o mesmo público de Tom Cavalcante, levante a mão! A Record diz que sim, e vai colocar a trupe modernosa antecedendo o Show do Tom aos sábados.


Vem a calhar a desculpa da Globo para não cobrir a F-Indy, no domingo, que terá transmissão na Band. Pressão da turma da F-1, que inicia temporada no mesmo dia, no GP de Bahein.


Pularam de 33 para 47 as câmeras da Band espalhadas no circuito da F-Indy, o mesmo que demanda uma transmissão das 500 milhas de Indianápolis.’


 


 


 


************

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem