Domingo, 21 de Outubro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1009
Menu

MONITOR DA IMPRENSA >

China restringe cobertura da tocha no Everest

24/04/2008 na edição 482

A China alterou os planos de cobertura midiática da subida da tocha olímpica ao Monte Everest, prevista para maio, alegando que o tempo ruim dificultará as condições de transmissão. Isto significa que os correspondentes poderão ficar apenas 10 dias no Tibete – metade do tempo inicialmente previsto. Funcionários do governo negam que as mudanças estejam relacionadas aos protestos no Tibete contra a administração chinesa, ocorridos no mês passado.


Depois das manifestações, o governo permitiu que um grupo de repórteres estrangeiros visitasse a capital tibetana, Lhasa, em uma tentativa de mostrar que a situação estava sob controle. A visita, no entanto, foi marcada por protestos de monges de um importante templo budista, que manifestavam-se contra a falta de liberdade religiosa no território ocupado pelo governo chinês. ‘[A mudança na cobertura] não tem nada a ver com a situação no Tibete’, afirmou Wang Hui, porta-voz do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Pequim (Bocog, sigla em inglês). ‘Tudo isto é devido às condições incertas do tempo’.


A partida de um grupo de repórteres previamente selecionado para cobrir a subida foi adiada em quatro dias, informou Shao Shiwei, outro porta-voz do Bocog. A princípio, os jornalistas embarcariam para o acampamento-base nesta quarta-feira (23/4). A subida do pico é um desafio para aqueles que irão carregar a tocha, devido ao forte vento e neve, além da baixa pressão atmosférica. Para ajudar na escalada, o governo chinês criou uma lanterna especial para manter a chama acesa e construiu uma estrada até o acampamento-base. Informações da AP [22/4/08].


 

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem