Sexta-feira, 17 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

ENTRE ASPAS > ORIENTE MÉDIO

CNN enfrenta alta concorrência em cobertura árabe

09/01/2006 na edição 363

Pelo nono ano consecutivo, a rede de notícias a cabo americana CNN faz, no período de 7 a 12 de janeiro, uma extensa cobertura do ritual anual muçulmano hadj, peregrinação à Meca que é um dos cinco pilares do Islã. Todos os muçulmanos são obrigados a realizá-lo pelo menos uma vez na vida se tiverem condições físicas e econômicas; a cada ano, mais de dois milhões de muçulmanos de mais de 70 países se dirigem à Meca, como informa Daniel Psenny [Le Monde, 6/1/06].

A emissora enviou a apresentadora Hala Gorani ao local, para transmitir ao vivo boletins diários. No dia 7/1, a CNN divulgou um programa especial, com especialistas que explicaram o significado dos rituais sagrados muçulmanos. ‘O hadj é uma experiência muito pessoal para os peregrinos, mas igualmente um evento de importância global para mais de um milhão de muçulmanos no mundo’, explicou Rena Golden, vice-presidente da CNN International. Segundo ela, o Oriente Médio ocupa um lugar de destaque na pauta da CNN. ‘Há 25 anos, o canal está engajado em cobrir de maneira completa e imparcial os eventos desta região, com o objetivo de compreender o que é importante para os habitantes locais’, afirmou Rena.

Concorrência ameaça rede

A CNN não é mais o canal de referência em matéria de informações de conflitos internacionais, como aconteceu na Guerra do Golfo, em 1991. Em relação à cobertura do Oriente Médio, ela tem grandes concorrentes em língua árabe – como a al-Jazira, al-Arabiya, Abou Dhabi TV ou Dubai TV. Estes canais de notícias 24 horas atingem um público de mais de 50 milhões de telespectadores. O canal mais visto é a al-Jazira, com grande tráfego também em seu sítio na internet. Em março deste ano, a emissora planeja lançar o al-Jazira International, sua versão em inglês.

Por sua vez, a BBC planeja lançar, em 2007, a BBC Arabic TV, canal em árabe com escritórios em Londres e no Cairo. A França não quer ficar de fora do mercado e a Rede Internacional Francesa de Notícias (CFII, sigla em francês), parceria entre a rede privada TF1 e a companhia estatal France Télévisions, deve lançar telejornais em língua árabe no fim de 2006. Na França, nenhum canal quis cobrir o hadj.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem