Segunda-feira, 26 de Agosto de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1051
Menu

MONITOR DA IMPRENSA >

Cobertura britânica enfurece alemães

Por Edição de Leticia Nunes (com Dennis Barbosa) em 26/04/2005 na edição 326

Jornais alemães reagiram com fúria à cobertura da mídia britânica sobre a escolha do novo papa. Os jornais ingleses, informa Luke Harding, do Guardian [22/4/05], em vez de celebrar a ocasião, enfatizaram o passado do alemão Joseph Ratzinger e sua participação na Juventude Hitlerista, organização paramilitar do Partido Nazista.

Os jornais da Alemanha lembraram os leitores de que, no fim da década de 30, todos os meninos alemães de 10 e 11 anos de idade eram obrigados a servir na Juventude Hitlerista. A imprensa ressaltou também que Ratzinger desertou do exército alemão no fim da Segunda Guerra Mundial – ato que poderia ter-lhe custado a vida.

Os jornais britânicos, porém, não perdoaram a escolha de Bento 16. No tablóide The Sun, a manchete foi ‘Da Juventude de Hitler a… Papa Ratzi’. O Daily Telegraph chamou o novo papa de ‘Rotweiller de Deus’; e o Daily Mirror estampou em sua capa o termo ‘Cardeal Panzer’, em referência aos tanques usados pelo exército alemão na Segunda Guerra. O Independent usou uma foto de Ratzinger em uniforme de guerra, em vez de uma com as vestes de papa.

O Bild, jornal mais vendido na Alemanha, liderou o coro de revolta da imprensa do país, publicando a manchete ‘Juventude Hitlerista – os ingleses insultam o papa alemão’. O diário TZ, de Munique, acusou a imprensa britânica de usar os mesmos ‘velhos clichês’; e o Die Welt contra-atacou, afirmando que a escolha de Ratzinger foi um ‘gesto de perdão à Alemanha’.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem