Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº969

MONITOR DA IMPRENSA > AFEGANISTÃO

Colegas lamentam morte de repórter canadense

05/01/2010 na edição 571

A repórter canadense Michelle Lang, morta no Afeganistão no dia 30/12/09, trouxe uma dimensão humana aos campos de batalha, afirmam seus colegas de trabalho. ‘Michelle era uma pessoa incrível e uma jornalista extraordinária’, desabafou Lorne Motley, editor-chefe do Calgary Herald, jornal onde ela trabalhava desde 2002. ‘Ela tinha uma curiosidade natural para colocar um lado humano ao que estava acontecendo no Afeganistão, seja focando no que os soldados faziam ou em como os civis estavam agindo na reconstrução’. Uma página no site do diário foi criada em homenagem à repórter.

Primeira jornalista canadense a morrer cobrindo o conflito no Afeganistão, Michelle recebeu no ano passado um prêmio da Associação de Jornais do Canadá por sua cobertura de conflitos. Ela e mais quatro soldados morreram quando uma bomba explodiu o veículo militar em que estavam. O Talibã assumiu a responsabilidade pelo ataque. O incidente aconteceu em uma estrada perto de Deh-e-Bagh, vilarejo visto como modelo pelo Exército canadense, onde pequenos grupos de soldados vivem com civis unindo esforços para reconstruir o local. O vilarejo fica na província de Kandahar, antigo reduto talibã visto como cada vez mais seguro graças aos intensos esforços canadenses para engajar a comunidade. Informações da AFP [31/12/09].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem