Quarta-feira, 22 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

MONITOR DA IMPRENSA > NATALIE NOUGAYRÈDE

Com jornal em crise, diretora do ‘Le Monde’ deixa o cargo

Por lgarcia em 15/05/2014 na edição 798

Tradução e edição: Leticia Nunes. Informações de Laure Guilbault [“Le Monde Shareholders Tap Interim Director”, WWD, 15/5/14] e de Alexandre Martins [“Directora do Le Monde demite-se em confronto com a redacção”, Público, 14/5/14] 

No mesmo dia do supreendente anúncio da demissão de Jill Abramson do comando do New York Times, outro tradicional jornal – o francês Le Monde – também foi atingido por mudanças. Natalie Nougayrède, primeira mulher a chefiar o Monde depois que os cargos de diretor e editor-chefe foram fundidos, anunciou sua saída na quarta-feira [14/5]. Ela havia assumido o posto em março do ano passado, no lugar de Érik Izraelewicz, morto meses antes vítima de um infarto.

A saída de Natalie ocorre após meses de crise no jornal por conta de desacordos sobre um plano de reestruturação, incluindo o processo de unificação do impresso com o meio digital, e de críticas sobre o estilo de gerenciamento da diretora. Na semana passada, sete dos 10 redatores-chefes pediram demissão, alegando desgaste na relação com uma liderança que, segundo eles, não se comunicava, os consultava ou atendia a seus pedidos. Três dias depois, dois diretores adjuntos, Vincent Giret e Michel Guerrin, que também eram criticados pela redação, pediram demissão.

Desandou

Natalie era vista por alguns funcionários como “autoritária”, e a relação com a equipe editorial desandou de vez após o anúncio, em fevereiro, de um plano para transferir mais de 50 jornalistas do jornal impresso para outros serviços do Monde, a maioria para a edição online. Parte da redação temia que o plano de reestruturação pudesse acabar em uma demissão em massa. Em uma mensagem aos funcionários, Natalie argumentou que os “ataques diretos e pessoais” a seu trabalho e a falta de apoio por parte da redação a impediam de levar adiante o programa de reforma que havia prometido aos acionistas.

O trio de acionistas majoritários do diário, Pierre Bergé, Xavier Niel e Matthieu Pigasse, indicou um diretor interino, o jornalista Gilles van Kote, para substituir Natalie, e escreveu em uma mensagem à equipe que um novo diretor será nomeado até o fim do ano. Van Kote é vice-presidente do conselho fiscalizador do Monde.

***

Leia também

‘Le Monde’ e ‘Libération’, jornais em mutação – Leneide Duarte-Plon

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem