Segunda-feira, 23 de Setembro de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1055
Menu

MONITOR DA IMPRENSA >

Com visita de Clinton, Kim Jong-il perdoa jornalistas americanas

04/08/2009 na edição 549

A agência de notícias norte-coreana KCNA noticiou nesta terça-feira [4/8] que o líder do país, Kim Jong-il, perdoou as duas jornalistas americanas presas por entrarem ilegalmente na Coréia do Norte, em março. O ‘perdão especial’ foi obtido durante visita do ex-presidente americano Bill Clinton a Pyongyang para pedir pela soltura das repórteres.


Laura Ling, de 32 anos, e Euna Lee, de 36, haviam sido condenadas a 12 anos de trabalhos forçados. Elas foram detidas no início do ano perto da fronteira com a China quando faziam uma reportagem para a emissora Current TV, do ex-vice-presidente americano Al Gore, sobre norte-coreanos que tentam fugir para o país vizinho em busca de uma vida melhor. As famílias das jornalistas divulgaram uma declaração conjunta na tarde de terça-feira onde agradecem ao governo de Barack Obama, a Bill Clinton e ‘a todas as pessoas que nos ajudaram durante este sofrimento’.


John Podesta, último chefe de Gabinete do governo Clinton, viajou com o ex-presidente. Podesta preside uma organização de pesquisa em Washington, o Center for American Progress, e atua hoje como conselheiro informal do governo de Obama. Clinton chegou a Pyongyang na manhã de terça, horário local, e a Casa Branca confirmou a viagem, dizendo se tratar de uma ‘missão privada’. A última vez que um membro do governo dos EUA se encontrou com Jong-il foi em outubro de 2000, quando a então secretária de Estado Madeleine Albright visitou a Coréia do Norte.


Para analistas de Seul, o perdão do líder norte-coreano sugere que o governo comunista estaria pronto para voltar a dialogar com Washington. As tensões entre os dois países têm sido grandes desde que a Coréia do Norte realizou, em maio e julho, testes com mísseis nucleares. Assessores afirmaram, entretanto, que a visita de Clinton tinha como objetivo apenas discutir a soltura das jornalistas. Ainda não se sabe quando Euna e Laura poderão voltar aos EUA. Informações de Choe Sang-Hun, Mark Landler e Peter Baker [The New York Times, 4/8/09].


Nota da Redação: O ex-presidente Bill Clinton deixou a Coréia do Norte na terça-feira (quarta-feira de manhã pelo horário local) em companhia das jornalistas Laura Ling e Euna Lee. Sua mulher, a secretária de Estado Hillary Clinton, também teve papel importante na libertação das repórteres. Nas negociações com a Coréia do Norte, ela sugeriu opções de pessoas que pudessem viajar ao país para tratar do assunto. Um dos nomes cogitados foi o de Al Gore. Mas os norte-coreanos demonstraram preferência por conversar com Bill Clinton – que aceitou a missão desde que não houvesse problema com o governo Obama. Com informações de Mark Landler e Peter Baker [The New York Times, 4/8/09].


 

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem