Sábado, 16 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

MONITOR DA IMPRENSA > MÉXICO

Congresso aprova reforma eleitoral

16/11/2007 na edição 459

Uma ampla reforma eleitoral aprovada esta semana no México desagradou a políticos e empresas de mídia: dentre outras medidas, os partidos políticos ficam proibidos de comprar espaço publicitário em rádio e TV e as emissoras são obrigadas a transmitir 48 minutos de propaganda política gratuita. Nas eleições passadas, os partidos não tinham limite para compra de anúncios.


As mudanças não afetam apenas a imprensa. A campanha presidencial está limitada a três meses antes das eleições e partidos estão proibidos de insultar instituições políticas e candidatos. As duas maiores redes de TV do México afirmaram estar preocupadas com a obrigação de dar aos políticos ‘direito de resposta’, por temerem que isto afete a liberdade de expressão.


As leis mexicanas já restringem contribuições privadas para campanhas políticas e os partidos recebem a maior parte dos recursos – que no ano passado foram de US$ 350 milhões – do governo. Na eleição de 2006, 56% dos gastos com campanha foram investidos em anúncios de rádio e TV. Informações de Eduardo Castillo [AP, 13/11/07].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem