Quarta-feira, 23 de Maio de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº988
Menu

MONITOR DA IMPRENSA > TV NOS EUA

Controverso âncora Lou Dobbs deixa a CNN

12/11/2009 na edição 563

Lou Dobbs, o mais controverso âncora da rede americana CNN, anunciou sua demissão na noite de quarta-feira [11/11/09], afirmando que quer ‘ir além do papel’ de um jornalista televisivo ao lidar com os problemas do país. Segundo artigo de Howard Kurtz no Washington Post [11/11], Dobbs adotou um tom populista, posicionando-se como um líder político com a missão de ‘superar a falta de verdadeira representação’ no debate público de Washington – que estaria tomado por ‘partidarismo e ideologia’.


O anúncio do âncora pegou muitos colegas de surpresa. Dobbs sugeriu, em seu discurso, que haveria desacordos entre ele e o presidente da CNN, John Klein, sem entrar em detalhes. Indicou apenas que Klein, depois de muita conversa, permitiu que ele quebrasse seu contrato. Em declaração, Klein classificou Dobbs de incansável e destemido. ‘Com sua assertividade característica, Lou decidiu levar a bandeira do jornalismo engajado para outro lugar’, afirmou.


Veterano


Dobbs ajudou a lançar a CNN, no início da década de 80, e tornou a oposição ferrenha à imigração ilegal marca em sua carreira. O jornalista deixou a rede em 1999, por discordâncias sobre um projeto pessoal na internet, mas voltou dois anos depois. Recentemente, o tom engajado de Dobbs passou a contrastar completamente com a ideia de moderação que a CNN tenta passar.


Grupos liberais, como o Media Matters, começaram a fazer campanha para que Dobbs fosse demitido da emissora por conta de declarações polêmicas. Em 2006, ele foi criticado por organizações latinas por afirmar que um terço dos presos no país era formado por imigrantes ilegais – posteriormente, ele reconheceu que não podia comprovar a afirmação.


No início deste ano, Dobbs causou problemas para Klein ao insistir na ideia de que o presidente Barack Obama deveria provar que nasceu de fato no Havaí, e não na África – teoria espalhada em sites conservadores. Ativistas políticos liberais, mais uma vez, pediram pela demissão do âncora por sua obsessão por ‘teorias conspiratórias racistas’. O presidente da CNN teve que enviar um memorando para a equipe de Dobbs afirmando que a história sobre o nascimento de Obama deveria ser encerrada, ao mesmo tempo em que fazia declarações públicas defendendo a atuação do jornalista na emissora.


Em outubro, Dobbs afirmou, no ar, que alguém havia atirado contra sua casa. Em seu programa de rádio, que planeja continuar a apresentar, o jornalista ligou o incidente a suas posições sobre a imigração ilegal. ‘A mídia liberal nacional escolheu lados. E escolheu que irá focar no ponto de vista liberal, o que significa apoiar a imigração ilegal, não importando quem é ameaçado, quantas leis são quebradas e as consequências disso’, declarou, na ocasião. Um policial minimizou a história, afirmando ao site liberal Huffington Post que o tiro que atingiu o sótão da casa de Dobbs teria, provavelmente, vindo de alguém caçando na região. Também no mês passado, surgiram rumores de que Dobbs poderia se mudar para a emissora conservadora Fox News. Um porta-voz do canal afirmou esta semana que não houve discussões com o âncora.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem