Terça-feira, 23 de Julho de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1047
Menu

MONITOR DA IMPRENSA >

Correspondente do ‘NYT’ obrigado a deixar a China

30/01/2014 na edição 783

Um correspondente do New York Times na China foi obrigado a deixar Pequim nesta quinta-feira (30/1) por não ter tido seu visto renovado pelo governo. O jornalista Austin Ramzy, que trabalha no país há seis anos, é o terceiro funcionário do jornalão americano a ter o visto de residente negado desde a publicação de uma matéria sobre a riqueza da família do ex-primeiro-ministro Wen Jiabao em 2012.  

Um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês afirmou que Ramzy violou regras do visto, alegação classificada de falsa pelo Clube dos Correspondentes Estrangeiros da China. De acordo com a organização, as regulações sobre a emissão e renovação de vistos de trabalho para jornalistas não são claras e não foram aplicadas para outros profissionais de imprensa em situações parecidas com a de Ramzy. “É difícil não concluir que as autoridades estão punindo o New York Times”, declarou o Clube.

Emenda

De acordo com o governo, Ramzy, que anteriormente trabalhava para a revista Time, não teria pedido uma emenda em seu visto quando mudou de emprego. Este visto expirou no fim do ano passado, e o Ministério teria dado ao jornalista um visto temporário de um mês por motivo “humanitário” até que a questão fosse resolvida. Com este visto, no entanto, ele não poderia trabalhar como correspondente. Já o New York Times alega que está em contato com o Ministério desde o meio de 2013. Segundo um colega de Ramzy, o diário entregou o pedido de transferência do visto em junho.

 

Enquanto a questão não é solucionada, no entanto, ele terá que ficar em Taiwan. “Nós esperamos que as autoridades resolvam a questão sem que Austin seja obrigado a se mudar. Já faz mais de um ano que outro de nossos correspondentes, Chris Buckley, foi forçado a deixar Pequim enquanto tentava transferir sua credencial, e nós continuamos a trabalhar com as autoridades para reuni-lo com sua família”, afirmou um porta-voz do jornal. Buckley vive hoje em Hong Kong. O chefe da sucursal do Times em Pequim, Philip Pan, é o terceiro jornalista que aguarda renovação de visto – no caso dele, a espera já dura quase dois anos.

Sites bloqueados

O Times também não conseguiu aprovação de vistos para novos correspondentes desde a matéria de 2012. O site do diário foi bloqueado após o episódio – assim como o da agência Bloomberg News, que no mesmo ano publicou reportagem sobre a fortuna da família do atual presidente, Xi Jinping.

Na semana passada, os sites do Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos e dos jornais The Guardian, Le Monde e El País foram bloqueados depois de uma matéria revelando que parentes de líderes chineses têm contas e negócios em paraísos fiscais no Caribe.

***

Leia também

China dificulta renovação de vistos para correspondentes estrangeiros

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem